Coamo 50 anos

Video

Coamo 50 Anos

Nossa História

O engenheiro agrônomo José Aroldo Gallassini conduziu os primeiros experimentos de trigo na região de Campo Mourão no período de abril a setembro de 1969 com pesquisa de competição de variedades, adubação, calagem e época de plantio. Depois foi a vez da soja. Os agricultores, então, passaram a ter uma outra preocupação: afinal, para quem vender a produção? Foi assim que começou a ganhar força a idéia de se montar uma cooperativa de produtores rurais.

Tarefa difícil. A região contava com terras impróprias para a exploração devido à acidez do solo e os agricultores desconheciam a tecnologia agrícola. Tratores, por exemplo, só existiam cinco na região. Pelos campos, apenas algumas lavouras manuais de arroz, milho e algodão. Não por menos, a região era conhecida como terra dos "três S" - sapé, samambaia e saúva. 

O ciclo da madeira estava chegando ao fim na região de Campo Mourão, no Centro-Oeste do Paraná, quando o engenheiro agrônomo recém-formado, José Aroldo Gallassini, chegou ao município. Era maio de 1968. Ele era funcionário da extinta Acarpa (hoje Emater) e foi enviado a Campo Mourão com a missão de levantar a realidade rural da região.

Fioravante João Ferri, um madeireiro que tinha conhecimento de uma cooperativa de madeiras no Rio Grande do Sul, foi escolhido como presidente da Coamo devido ao prestígio na comunidade e intocável idoneidade. Ele aceitou o desafio, com a condição de que Gallassini fosse o seu gerente geral. Como funcionário da Acarpa, Gallassini sabia que a formação de uma cooperativa era fundamental para o desenvolvimento da agricultura regional. Foram identificadas as lideranças do setor e iniciou-se uma série de reuniões e encontros para debater o assunto. E assim, em 28 de novembro de 1970, nasceu a Cooperativa Agropecuária Mourãoense Ltda, cuja sigla COAMO foi sugerida pelo cooperado e posteriormente vice-presidente, Gelindo Stefanuto.

A cooperativa nasceu com 79 agricultores associados que subscreveram a ata de fundação e um capital social de Cr$ 37.540,00. A primeira sede foi um escritório com 50 m2. Com a Coamo, veio o crescimento da produção de trigo na região, o que obrigou a cooperativa a alugar armazéns para receber a produção.

Em 1971, já haviam sobras do exercício, o que se tornou uma tradição na cooperativa, e, no ano seguinte, saiu o primeiro armazém próprio. Em 1974, foi aprovada a construção dos primeiros entrepostos, em Engenheiro Beltrão e Mamborê.

No final do ano de 1974, o presidente Fioravante João Ferri faleceu e o vice-presidente Gelindo Stefanuto administrou a cooperativa até o término do mandato. Em janeiro de 1975 por meio de Assembléia Geral os cooperados elegeram o engenheiro agrônomo José Aroldo Gallassini presidente da Coamo que iniciava o seu primeiro mandato a frente da administração da Coamo. Era o reconhecimento pelo trabalho do engenheiro agrônomo desde as reuniões que deram origem à cooperativa até os quatro anos em que ele atuou como gerente geral da Coamo.

Expoente do movimento cooperativista paranaense e brasileiro, o engenheiro agrônomo José Aroldo Gallassini plantou em Campo Mourão a semente do cooperativismo, que vem sendo exemplo para todo o país. Entusiasta pelo movimento, o idealizador e presidente da Coamo acredita que está no cooperativismo a solução para os problemas e também para o desenvolvimento da agricultura, motivados pela organização, união e participação dos cooperados.

Para Gallassini, a cooperativa é um importante agente de desenvolvimento por meio de compromisso com os cooperados, disponibilizando relevantes benefícios como assistência técnica para difusão de pesquisa e tecnologia, aumento da produtividade, diversificação e renda da propriedade, além de colaborar decisivamente para a melhoria da qualidade de vida e do meio ambiente produtivo.

Em 1975, a Coamo instalou a sua Fazenda Experimental, a loja de peças e implantou o seu moinho de trigo – primeira indústria na história da Coamo. Porém, foi a partir dos anos 80 que o setor agroindustrial registrou grande impulso com o surgimento de outras indústrias, como as de óleo de soja e fiação de algodão. Em 2000, foi inaugurada a fábrica de margarina.

Com o passar dos anos, a Coamo e seus cooperados cresceram e se desenvolveram. Entrepostos foram sendo criados em diversos municípios. Hoje, eles existem em 63 municípios nos estados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul.

Após mais de quatro décadas da sua fundação, os volumes de recebimento da Coamo vêm aumentando ano após ano, perfazendo cerca de 3,5% de toda a produção nacional de grãos e fibras e 17% da safra paranaense.

A Coamo nasceu de idéias e ideais. Nasceu do sonho de 79 agricultores, na busca de uma vida melhor para suas famílias e, hoje, é a realidade de milhares de pessoas que acreditam no cooperativismo e na força do trabalho em conjunto. No Brasil e na América Latina, a Coamo é a maior cooperativa agrícola e uma das maiores empresas do país.

Continuar lendo

Fundadores

Fundadores
Homens que construíram a história.

Coamo em Décadas

Acompanhe o desenvolvimento da Coamo na linha do tempo

  1. 1970 à 1980

    1970

    A história da agricultura na região de Campo Mourão é contada a partir das primeiras lavouras surgidas no final da década de 60. As matas foram derrubadas para extração de madeira, e junto com esse cenário, agricultores de outras regiões do Paraná e até do Rio Grande do Sul chegaram para iniciar a atividade agrícola em uma das últimas áreas e fronteiras de terras mecanizáveis a serem exploradas no Paraná. O solo da região era de latossolo roxo, profundo, de textura argilosa e muito fértil, porém, com alta acidez. Situação que os agricultores tinham conhecimento, assim como a necessidade da correção do solo para produzir e ter sucesso na agricultura. As terras eram conhecidas como as “Terras dos três Ésses” com formiga saúva, sapé e as tradicionais samambaias. A mecanização agrícola era o caminho para resolver e melhorar este cenário.

    A solução para os agricultores foi encontrada no cooperativismo. Após várias reuniões, trabalho sério e responsável coordenado pelo engenheiro agrônomo José Aroldo Gallassini, então extensionista da Acarpa, que chegou em maio de 1968 na cidade para iniciar o trabalho de organização dos produtores- surgiu a Cooperativa Agropecuária Mourãoense, com a sigla Coamo, no histórico 28 de novembro de 1970, por meio de um grupo de 79 agricultores.

    O primeiro presidente da Coamo foi o madeireiro e agricultor Fioravante João Ferri, com propriedade em Campina do Amoral. Ele foi escolhido presidente por sua credibilidade, dedicação e honestidade na busca do bem comum. Ferri aceitou o desafio com a condição de que o jovem agrônomo Gallassini assumisse a gerência geral da cooperativa.

    1971

    ESTRUTURA - A cooperativa funcionou inicialmente no centro de Campo Mourão em um pequeno escritório alugado, com máquinas de escrever e calcular emprestadas. Em 14 de setembro iniciou suas atividades com o recebimento em armazéns alugados de 209 mil sacas de trigo, e contava com 148 associados. A safra de trigo foi tão expressiva, que provocou a contratação de financiamento para o surgimento do primeiro armazém próprio.

    1972

    SEDE PRÓPRIA - Constituída no final de 1970, a Coamo começou a funcionar efetivamente em abril de 1972, quando mudou do escritório alugado e provisório de 50 m², para as instalações próprias numa área construída de 130 m², o que proporcionou uma maior mobilidade funcional. A sede própria tinha salas para contabilidade, administração, escritório geral e assistência técnica.

    Em 1º de setembro desse ano foi inaugurado o primeiro armazém da cooperativa para 80 mil sacas com máquinas de secagem e limpeza, financiado pelo BRDE – Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo-Sul. A segunda etapa resultou na construção e entrega em maio do ano seguinte, de armazém graneleiro para 500 mil sacas e armazém de sementes para 60 mil sacas. Sucederam-se inúmeros financiamentos para ampliação da estrutura em função do crescimento nos números de associados e de produção nas áreas de atuação da cooperativa.

    1973

    TRIGO E SOJA – Com participação de 650 associados, a cooperativa recebeu 480 mil sacas de soja e 830 mil sacas de trigo, sendo a campeã estadual no recebimento deste cereal, o que motivou o lançamento na cidade da Campanha Estadual para aumento na produção de trigo, sediando evento com a presença do governador do Paraná, Emilio Gomes. “Simpatia por Campo Mourão e região, homenagem aos produtores da cidade que mais produziram trigo no Estado e incentivar o aumento da produção para ser exemplo aos outros Municípios”, foram os motivos da cidade para o lançamento da Campanha de Trigo, segundo o governador.

    LABORATÓRIO DE SEMENTES - A produção de Sementes fez parte do planejamento estratégico desde o início da Coamo. Nesse ano entrou em operação o Laboratório de Análise de Sementes, para produção com qualidade nos campos dos cooperados, que no ano seguinte, obteve o credencimanto oficial. Trata-se de um laboratório próprio e moderno, com profissionais qualificados realiza testes de germinação, pureza, peso hectolítrico (densidade dos grãos) e umidade, e acompanha as análises dos lotes de sementes atualmente em 11 UBS – Unidades de Beneficiamento de Sementes.

    1974

    DESCENTRALIZAÇÃO - Com 1.200 associados, uma capacidade de armazenagem de 1.200.000 sacas e uma estrutura e organização das mais modernas foi aprovado em Assembleias Gerais pelos associados o início da descentralização da cooperativa, inicialmente no município de Engenheiro Beltrão e depois para Mamborê, com a construção dos primeiros entrepostos da cooperativa, com capacidade para 700 mil sacas cada.

    COMUNICAÇÃO – A implantação dos Comitês Educativos em 1972, era fonte de ligação entre a diretoria e cooperados para disseminar as diretrizes e políticas da cooperativa, coletar informações e demandas do quadro social. Em função do aumento da sua área de ação, para facilitar a integração com os produtores, a Coamo criou em novembro de 1974, a publicação impressa “Informativo Coamo”, exatamente para informar as notícias de interesse dos cooperados, que no ano seguinte foi ampliado e circulando com o nome de Jornal Coamo.

    PERDA – Em 23 de novembro desse ano, faleceu repentinamente o fundador e primeiro presidente da Coamo, Fioravante João Ferri. O vice-presidente, Gelindo Stefanuto, que inclusive, na fundação da cooperativa foi o autor da sigla “Coamo”, assumiu o cargo interinamente até o final da gestão. Seu Ferri, foi homenageado com o nome da rua em frente a sede da Coamo.

    1975

    NOVA DIREÇÃO – Por ocasião da 5ª Assembleia Geral Ordinária em janeiro de 1975, os cooperados elegeram para a presidência da cooperativa o engenheiro agrônomo José Aroldo Gallassini.

    MOINHO - Começa a funcionar, em 30 de junho, o Moinho de Trigo Coamo.

    REORGANIZAÇÃO - Para continuar crescendo e pensando no futuro, foi realizada uma reorganização administrativa com a criação inicialmente de sete departamentos - Transportes, Técnico, Produção de Campo Mourão, Produção de Entrepostos, Administrativo e Financeiro, Fornecimento de Insumos, e Comercial, para propiciar um bom atendimento aos cooperados. Posteriormente passou-se a 15 departamentos em função da prosperidade da cooperativa com a movimentação expressiva dos associados.

    FAZENDA EXPERIMENTAL - Criada nesse ano para que os produtores pudessem aumentar a produtividade de suas culturas com a utilização de tecnologias modernas. De uma produtividade média na época de 70 sacas de soja por alqueire, esse número atualmente é de 150 sacas e muitas propriedades já colheram mais de 200 sacas por alqueire. O trabalho com experimentos na Unidade demonstrativa da Coamo permite testes em todas as fases do cultivo, da preparação da terra à colheita.

    CULTURA – ”Esse período foi fundamental na consolidação da ‘Cultura Coamo’ , com a definição informal das regras de comportamento no relacionamento interno e externo com os funcionários, com os cooperados, e com a sociedade. Regras estas que teriam influência no futuro da cooperativa”, informa o Relatório de 5 anos da Coamo.

    MAIS DE 2 MIL ASSOCIADOS – Voltada já no seu início para seus cooperados, dos 79 fundadores, a cooperativa encerrou seus primeiros cinco anos com mais de dois mil associados, com a certeza de que, com passos firmes, constitui-se como agente de transformação da agricultura, da sociedade e de pessoas.

    1976

    CRÉDITO - Para facilitar o entendimento e o acesso dos cooperados ao crédito, a cooperativa implantou na safra de trigo 1976, o crédito de Repasse, sendo os recursos tomados no Banco do Brasil. Os trâmites foram feitos dentro da própria cooperativa e foi considerado um grande serviço, haja vista que os produtores puderam fazer adiantamento para plantar as safras para pagamento na comercialização.

    HORTELà– Entre 1976 e 1978, a Coamo recebeu a produção de óleo de ementa de 15 cooperados das regiões de Engenheiro Beltrão, Quinta do Sol, Fênix e Barbosa Ferraz, que era conhecida na época como a “Capital da Menta do Paraná.” O gênero Mentha abriga uma variedade de 25 a 30 espécies diferentes. No Brasil é mais comum encontrar a Mentha piperita, popularmente conhecida como hortelã e a Mentha spicata, mais conhecida como menta.

    PNCS – Campo Mourão, por meio da Coamo, foi sede em setembro do lançamento do Plano Nacional de Conservação de Solos (PNCS), com a presença do ministro da Agricultura Alysson Paulinelli, governador do Paraná, Jayme Canet Júnior e autoridades. Monumento alusivo foi construído na Praça do Fórum (Bento Munhoz da Rocjha Netto).

    ENTREPOSTO DA USINA – Entrou em funcionamento o entreposto Fioravante João Ferri, inicialmente com dois silos para 42 mil toneladas cada e capacidade de 1,4 milhões der sacas a granel. Entreposto funciona no parque industrial da cooperativa em Campo Mourão.

    ALGODÃO - Coamo inicia o recebimento de algodão, com atuação em 15 municípios.

    CTA - Início das atividades do Centro de Treinamento Agrícola da Coamo (CTA), com objetivo de capacitar os cooperados no uso correto dos equipamentos, maquinários e insumos.

    1977

    INSUMOS – Em junho desse ano foram inauguradas as lojas de insumos em Engenheiro Beltrão e Mamborê, resultado da política de interiorização definida pela diretoria em 1975.

    INFORMATIVO NO RÁDIO - A partir desse ano, a Coamo passa a produzir e apresentar programa de rádio com o nome de “Informativo Coamo” com o objetivo de levar as informações da cooperativa e da agricultura aos associados de forma mais rápida e com mais regularidade. Posteriormente, o programa foi veiculado também em outras regiões. Atualmente está presente em emissoras que abrange toda a área de ação da cooperativa nos Estados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul.

    PLANTIO DIRETO - Coamo promove primeira Convenção sobre Plantio Direto, em junho.

    TERMINAL PORTUÁRIO – Inaugurado em Paranaguá, com a presença do presidente da República Ernesto Geisel, o Terminal Portuário da Cotriguaçu, da qual a Coamo fez parte juntamente com cooperativas singulars de várias regiões do Paraná. Com o Terminal, na época, o Porto de Paranaguá dobrou sua capacidade de embarque a graneis passando a carregar navios de 30 mil toneladas em 10 horas. A capacidade independente do Terminal era de 1.500 toneladas/hora, idêntica a do Corredor de Exportação.

    1978

    CAFÉ- A cooperativa passou a receber, beneficiar, armazenar e comercializar a produção dos seus cooperados, que recebiam assistência técnica e o fornecimento dos insumos para produzir bem e com qualidade.

    COAMO-SUL - Em agosto, a Coamo começa a atuar no Sul do Paraná, com a incorporação da Cooperativa Palmense (Copalma) e atuar nas regiões de Palmas e Mangueirinha (Sudoeste), passando a produzir sementes próprias de qualidade em região com clima propício e beneficiando também produtores de Mangueirinha.

    ESCOAMENTO - O presidente da Coamo, Dr. Aroldo Gallassini, reivindica ao governador Ney Braga, em nome dos cooperados, as pavimentações das rodovias BR 487 (Campo Mourão/Iretama) e PR 460 (Iretama/Pitanga), para facilitar o escoamento das produções dos agricultores.

    EXPANSÃO - Antes de terminar a década de 1970, a Coamo já era uma potência regional, tendo se estabelecido em diversas localidades na região de Campo Mourão com entrepostos em Engenheiro Beltrão, Mamborê, Fênix, Boa Esperança, Peabiru, Iretama, Roncador, Juranda e Barbosa Ferraz. Sem contar as incorporações nas regiões Centro e Sul do Paraná. A maior parte dos associados era formada por pequenos e médios produtores. Mas em muitos municípios era de mini e pequenos produtores e muitos utilizavam tração animal, como principal instrumento de trabalho. A cooperativa recebia milho, arroz, feijão, algodão, soja e outros produtos, e estava perto das propriedades dos seus mais de 5 mil associados.

    1979

    COAMO-CENTRO - A cooperativa passou a partir desse ano a beneficiar produtores da região de Pitanga, uma das maiores produtoras de milho do Paraná daquele ano, com a incorporação da Coopercentro. Expansão possibilitou desenvolvimento com tecnologia e cooperativismo aos produtores também de das regiões de Cândido de Abreu e Palmital.
    1980

    PRÊMIO - Em setembro, a Coamo é eleita pela primeira vez, a empresa de "Melhor desempenho no setor Agropecuário Nacional", pela revista "Exame".

    EUCALIPTO – A Coamo inicia experimentos inéditos no Paraná, com a cultura do eucalipto, em parceria com a Embrapa/CNPF.

  2. 1981 à 1990

    1981

    INDÚSTRIA DE ÓLEO DE SOJA: Começou a funcionar, em setembro, a Indústria de Óleo de Soja, em Campo Mourão, na rodovia BR 487 – Campo Mourão/Iretama. A fábrica renderia benefícios adicionais para os cooperados e com ela foi colocada em operação projeto de verticalização industrial, transformando grãos em óleo e farelo de soja, que passava a agregar valor aos produtos comercializados. A capacidade de processamento era de cerca de 600 toneladas por dia.

    CONTROLE DE PULGÕES: Numa iniciativa pioneira, Coamo desenvolve ensaios biológicos visando o controle de pulgões do trigo.

    FARMÁCIA VETERINÁRIA: Em março, o Jornal Coamo destaca o início do funcionamento da farmácia veterinária da cooperativa que estava instalada junto a loja de peças em Campo Mourão.

    INFORMATIVO COAMO: A informação e transparência aos cooperados sempre foi objetivo da diretoria da cooperativa. E um dos canais para chegar ao quadro social era o rádio, por meio do programa Informativo Coamo apresentado nas manhãs de segunda a sábado, inicialmente pelas rádios Colméia e Humaitá, em Campo Mourão, e depois ampliado para várias regiões da área de ação.

    1982

    CONSTRUÇÃO DA DESTILARIA: Dentro do planejamento estratégico, Coamo inicia implantação da sua segunda indústria: Destilaria de Álcool.

    CONTROLE BIOLÓGICO: “Coamo pesquisa controle biológico de pragas”, foi um dos assuntos da capa do Jornal Coamo abril/maio. As experiências com os insetos foram realizadas na Fazenda Experimental da Coamo. A vantagem deste método era a redução de 50% dos defensivos químicos e propicia a diminuição do custo de produção.

    VISITA DO PRESIDENTE: No início de novembro, Campo Mourão recebeu a visita do presidente da República João Batista de Oliveira Figueiredo. Na oportunidade, lideranças da Coamo apresentaram reivindicações como recursos para financiamentos para custeio agrícola, tendo em vista notícias da retirada de subsídios à agricultura, com mudanças nas taxas dos encargos financeiros do Crédito Rural. Medida que deixou produtores preocupados por ser prejudicial ao setor agrícola.

    1983

    LOJA DE PEÇAS EM PITANGA: Coamo inaugurou loja de peças em Pitanga, na região Centro do Paraná, no dia 1º de março. “O interesse da Coamo é equipar cada vez mais os entrepostos e no caso de Pitanga, para atender produtores de milho e agora com a expansão das lavouras de soja”, afirmou o presidente José Aroldo Gallassini.

    BENEFICIAMENTO DE ALGODÃO: Roncador ganha moderna Unidade de Beneficiamento de Algodão com capacidade para receber 10 mil arrobas de algodão por dia. Investimento beneficiou produtores, maioria pequenos cotonicultores que não dispunham de recursos para transportar sua produção, permitindo que eles recebessem preço justo, sem que fossem prejudicados pelos atravessadores.

    1984

    INVESTIMENTO E EXPANSÃO: Inauguradas lojas de peças em Fênix (foto) e Juranda, e entrou em funcionamento o entreposto da Coamo em Corumbataí do Sul.

    SAFRA DE VERÃO: Dos 2 milhões e 200 mil hectares de soja na safra 1983/84 no Paraná, cerca de 400 mil hectares foram plantados na área da Coamo, equivalente a 18% da área paranaense.

    CHEGADA A SC: No dia 10 de agosto, a Coamo “fincou os pés” em Santa Catarina, com a incorporação da Cooperal - Cooperativa de Abelardo Luz. A incorporação foi comemorada pelos agricultores e realizada com satisfação e euforia em duas assembleias com aprovação unânime dos associados. E 60 dias após, os catarinenses já contavam com uma loja de peças da cooperativa para ampliar o leque dos benefícios.

    FAZENDA EXPERIMENTAL: Em outubro, a Coamo instala em sua Fazenda Experimental em parceria com a Embrapa o Laboratório de Entomologia, que foi o primeiro do Brasil na iniciativa privada, para a produção artificial do inseticida biológico (baculovirus anticarsia) para o controle de lagartas na soja.

    ADMINISTRAÇÃO CENTRAL: Planejando o crescimento futuro e a necessidade de dar suporte as atividades das unidades, em 1984, então com 14 anos de existência, a cooperativa inaugurou sua primeira etapa da conclusão do prédio da administração central com três pavimentos. Uma estrutura moderna facilitaria o desenvolvimento das operações para o funcionamento eficaz da cooperativa em diversas áreas. A segunda etapa foi encerrada no final da década de 1990 resultando na organização atual que recebe os trabalhos das cooperativas Coamo e Credicoamo, além da Via Sollus Corretora de Seguros.

    1985

    REUNIÃO DE CAMPO: Aproximadamente cinco mil cooperados compareceram na Reunião de Campo do primeiro semestre promovida em 25 cidades da área de ação da Coamo. Estas reuniões propiciam condições para um diálogo mais próximo como quadro associativo, com a participação direta do presidente José Aroldo Gallassini.

    LUTA PELA REGIÃO: Estrada Boiadeira: a luta pelo asfalto” foi capa do Jornal Coamo, em edição que mostrava a esperança dos agricultores pla pavimentação asfáltica que consolidaria Campo Mourão como o maior entrocamento rodoviário do Sul do Brasil e uma importante via escoadora de produção.

    DESTILARIA: Em 8 de agosto entra em operação a Destilaria de Álcool da Coamo. Muitos cooperados passaram a cultivar a cana, como opção agrícola, além da geração de empregos em vários Municípios, e significando na época, um marco definitivo no desenvolvimento industrial de Campo Mourão.

    1986

    FIAÇÃO DE ALGODÃO: Em 25 de julho foi inaugurada a Fiação de Algodão da Coamo com a presença do governador do Paraná, João Elísio Ferraz de Campos. A unidade completava um ciclo inicial na industrialização da cooperativa iniciada com a Indústria de Óleo e a Destilaria de Álcool.

    RECEBIMENTO DE TRIGO: Coamo registrou na época seu maior recebimento de trigo na história, em 1986 com a colheita de 5.425.200 toneladas. Cultura passou a ser fonte de recursos financeiros para os produtores.

    A GRANJA DO ANO: Coamo recebeu troféu "A Granja do Ano", pela primeira vez, como destaque no setor Cooperativista, numa promoção da Revista A Granja.

    MEIO AMBIENTE: Em novembro, o Parque Industrial da Coamo passa a funcionar com energia elétrica gerada pela queima do bagaço de cana, oriundo da Destilaria de Álcool. A iniciativa possibilitou a autossuficiência na geração elétrica para o funcionamento das indústrias.

    1987

    OCEPAR: O presidente da Coamo José Aroldo Gallassini foi eleito vice-presidente da Ocepar – Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná.

    PIVO CENTRAL: Instalação de um moderno sistema de irrigação (pivô central) na Fazenda Experimental da Coamo.

    1988

    COOPERATIVISMO: Coamo participa em Brasília do X Congresso Brasileiro de Cooperativismo.

    RECORDE: Coamo bate pela segunda vez consecutiva o recorde nacional de recebimento de trigo.

    RECONHECIMENTO: “Empresa-Modelo”, foi o título concedido pela Copel à Coamo no sistema de integração e conservação de energia no Paraná.

    1989

    INVESTIMENTO: Em março a diretoria se fez presente nas unidades de Campina do Amoral e Quinta do Sol para inaugurar dois modernos entrepostos e em Manoel Ribas, o funcionamento da loja de peças e insumos.

    CREDICOAMO: Fundada, em 17 de novembro, a Cooperativa de Crédito Rural Coamo Ltda. (Credicoamo), para dar apoio financeiro e crédito rural aos cooperados.

    ENCONTRO DE COOPERADOS: Coamo promoveu o 1º Encontro de Cooperados na sua Fazenda Experimental em Campo Mourão.

    1990

    PARANAGUÁ: A Coamo adquire Indústria de Óleo de Soja e um Terminal Portuário em Paranaguá.

    TÍTULOS DE CIDADANIA: Presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini recebe o título de Cidadão Honorário de Campo Mourão e do Paraná, respectivamente nos meses de abril e maio, em Campo Mourão e em Curitiba.

    AMPLIAÇÃO DE ARÉA: A década de 1980 foi consolidada com o funcionamento da estrutura da cooperativa em várias regiões, em Palmital, Altamira do Paraná, Cândido de Abreu, Luiziana, Corumbataí do Sul, Araruna, Quinta do Sol, São João do Ivaí, Manoel Ribas, Boa Ventura de São Roque e Honório Serpa, no Paraná, e de Ipuaçu, em Santa Catarina.

  3. 1991 à 2000

    1991

    EXPORTAÇÃO: Os produtos dos cooperados Coamo (óleo, farelo de soja, café, algodão em pluma e fio de algodão) passam a ser exportados para diversos países do mundo, por meio do terminal portuário da cooperativa em Paranaguá.

    1992

    CONFIANÇA: Cooperados dão apoio maciço à administração da cooperativa e em Assembleia Geral Ordinária, no início da de década de 1990, reelegem à presidência da Coamo o líder cooperativista José Aroldo Gallassini, consolidando o cooperativismo de resultados. “A Coamo é um grande orgulho e faz sempre o melhor para os cooperados”, disse o presidente reeleito.

    DIVERSIFICAÇÃO: Para incentivar a diversificação da propriedade agrícola, bem como contribuir à fixação do homem à terra, a Coamo criou projetos específicos de apoio aos seus cooperados, como os Projetos Colono, Calcário, Fertilidade do Solo, Gado de Leite, Suinocultura e Assistência Técnica Integral.

    1993

    COPA COAMO: Realizada a primeira edição da Copa Coamo de Cooperados-Futebol Suíço, considerado o maior evento esportivo rural do País com a participação de mais de 7 mil atletas e dirigentes integrando 500 equipes de toda a área de ação da cooperativa.
    1994

    OESTE DO PR: Em dezembro, a Coamo inicia suas atividades na região Oeste do Paraná nos entrepostos de Toledo, Dez de Maio, Vila Nova, Nova Santa Rosa, Bragantina, Tupãssi, Ouro Verde do Oeste e São Pedro do Iguaçu.
    1995

    CERTIFICAÇÃO: Laboratório de Análise de Sementes da Coamo obtém conceito máximo da Claspar – Empresa Paranaense de Classificação de Produtos- pelo segundo ano consecutivo.

    COODETEC: Entra em funcionamento a Cooperativa de Desenvolvimento Tecnológico e Econômico Ltda. (Coodetec), em Cascavel – PR, tendo a Coamo como uma das suas cooperativas associadas

    1996

    REFINARIA: Inaugurada a Refinaria de Óleo de Soja, uma das mais modernas do País.

    CERTIFICAÇÃO: Coamo conquista o ISO 9003 para o seu Laboratório da Fiação de Algodão.

    LABORATÓRIO: Coamo inaugura laboratório de análise de qualidade de trigo, no seu parque industrial em Campo Mourão.

    1997

    AQUISIÇÃO: Em dezembro, a Coamo adquire definitivamente diversos entrepostos na região Oeste do Paraná, através de carta de arrematação em leilão judicial.

    VISITA: O presidente do Banco do Brasil, Paulo Cezar Ximenes, visita, em fevereiro, Encontro de Cooperados na Fazenda Experimental e elogia atuação da Coamo.

    1998

    EXPANSÃO: Coamo amplia atuação no Vale do Ivaí, iniciando atividades nos municípios de Ivaiporã, Jardim Alegre e Lunardeli.

    SOLO: Coamo lança Projeto de Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas, para aumentar a produtividade e a renda dos cooperados.

    TECNOLOGIA: Trado da Coamo, para coleta de amostras do solo, faz sucesso em Congresso Brasileiro de Soja.

    JOVENS LÍDERES: Coamo inicia Programa na educação cooperativista brasileira: Programa Coamo de Formação de Jovens Líderes Cooperativistas, promovendo no ano as duas primeiras turmas com a participação de 90 cooperados de várias regiões da área de ação da cooperativa.

    1999

    EXPANSÃO: Ampliada atuação da Coamo na região Centro-Sul do Paraná, iniciando atividades em Guarapuava, Pinhão e Candói.
    2000

    MARGARINA: Fábrica de margarina, a primeira do País com garantia de inviolabilidade, é inaugurada no dia do 30º aniversário da Coamo, 28 de novembro.

    VISITA: Presidente da Aliança Cooperativa Mundial, Roberto Rodrigues, visita à Coamo.

    SOLO: Com apoio da Coamo, a Associação dos Engenheiros Agrônomos de Campo Mourão, em parceria com a Fecilcam (Faculdade Estadual de Ciência e Letras de Campo Mourão), inicia o curso de Pós-graduação em Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas.

  4. 2001 à 2010

    2001

    LANÇAMENTO: Em abril, Margarina Coamo é premiada como lançamento do ano. Prêmio foi entregue durante a 10ª Mercosuper e 20ª Convenção Paranaense de Supermercados, realizada em Foz do Iguaçu.
    2002

    ENTREPOSTOS: A Coamo inaugura novo entreposto em Vila Nova, no Oeste do Paraná, e no Vale do Ivaí, em Ivaiporã, novo escritório administrativo, loja de peças e Credicoamo; Em Pitanga, Centro do Paraná, entra em funcionamento, o Posto de Atendimento Cooperativo da Credicoamo.

    ACESSO ÁGIL E SEGURO: Coamo implanta sistema de Autoatendimento, que permite maior agilidade, comodidade e segurança ao quadro social; e firma parceria com a Visanet para a instalação de terminais eletrônicos nas unidades da cooperativa, habilitando o aceite de cartões Visa Electron. Em setembro, a Credicoamo lança cartão de crédito para seus cooperados com bandeira Visa Internacional, em parceria com o Banco Bradesco.

    GUERREIRO DO PR: Presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini, recebe, em junho na Assembleia Legislativa o prêmio “Guerreiro do Paraná”, pelo Movimento Pró-Paraná e Assembleia Legislativa do Paraná, em face do seu espírito empreendedor, impresso como exemplo no progresso do Paraná. E em dezembro, Gallassini é eleito o “Cooperativista do ano”, recebendo o troféu Ocepar 2002 no Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses.

    UNIMED RURAL: Coamo lança plano de saúde Unimed Rural. Menor custo e cobertura nacional são os principais benefícios do plano de saúde, fruto de uma parceria entre a Coamo e a Unimed.

    PRIMÊ: O creme vegetal Primê alcança a marca de um milhão de caixas na linha de produção.

    2003

    DEVOLUÇÃO DE CAPITAL: Cooperativa inicia a devolução do capital social aos cooperados com mais de dez anos no quadro social e idade igual ou superior a 65 anos. Na primeira etapa foram devolvidos aos cooperados R$ 9 milhões.

    ENTREPOSTOS: Entram em funcionamento os entrepostos de Moreira Sales e Nova Brasília (Araruna); Vista Alegre (Coronel Vivida); Cantagalo e Napoleão (Guarapuava). Em Mamborê, foi inaugurado novo e moderno escritório administrativo.

    ALIMENTOS: Em maio, a Coamo recebe o prêmio “Fornecedor Nota 10”, durante a 22ª edição da Mercosuper – Feira e Convenção Paranaense de Supermercados. O prêmio foi concedido pela Apras – Associação Paranaense de Supermercados.

    INOVAÇÃO: Coamo lança, em junho, o Programa de Manejo de Plantas Invasoras Resistentes a Herbicidas, numa verdadeira cruzada contra o avanço das plantas daninhas resistentes a herbicidas.

    EXAME/EXPRESSÃO: A Coamo recebeu prêmio de Melhor Empresa de Comércio do Sul do Brasil. O troféu foi oferecido pela revista Exame. A cooperativa constou do ranking das 500 maiores e melhores. Cooperativa está entre as “Melhores Empresas da Década”, conforme ranking da revista Expressão: a cooperativa é uma das 20 empresas da década no Sul do Brasil.

    NOVA LOGO E RAZÃO SOCIAL: Em outubro, a Coamo lança sua nova logomarca e apresenta aos cooperados a sua nova denominação social – Coamo Agroindustrial Cooperativa-. Também em Assembleia Geral cooperados aprovam investimentos de R$ 77 milhões para a modernização industrial e de operações. E, ainda, a expansão da cooperativa para o Mato Grosso do Sul.

    2004

    EXPANSÃO: Em janeiro, a Coamo instalou sua primeira unidade em Mato Grosso do Sul, na cidade de Amambaí.

    INTERNACIONAL: Presidente da Bolsa de Chicago visita Coamo. A comitiva de representantes da Bolsa veio ao Brasil para conhecer o potencial produtivo do país. A Coamo foi uma das empresas escolhidas pelo grupo.

    EXPANSÃO: Coamo inaugura entrepostos em Faxinal e Marilândia do Sul e novos escritórios administrativos em Pinhão, Juranda e Primavera.

    DUPLICAÇÃO: Coamo investe R$ 50 milhões e duplica indústrias de óleo de soja em Campo Mourão; premiada como a Maior Empresa Exportadora do Sul do país, pela revista Expressão.

    PRÊMIO OCB/GLOBO RURAL: Coamo é Cooperativa do Ano na categoria ´Educação Cooperativista’ com prêmio OCB/Revista Globo Rural, em reconhecimento pela excelência na formação de jovens líderes cooperativistas, idealizado em 1998 pelo presidente Gallassini.

    EXPERIMENTO NO MS: Em Amambaí, no Mato Grosso do Sul, Coamo implanta Unidade Experimental. Trabalho é inédito naquele estado e apresenta soluções para manejo do solo dos agricultores sul-mato-grossenses.

    JORNAL COAMO 30 ANOS: Em dezembro, Jornal Coamo completa 30 anos. Veículo comemora três décadas levando informação com qualidade a família cooperativista.

    2005

    PROGRAMA TA: Cooperativa lançou o Programa Tecnologia de Aplicação de Defensivos Agrícolas (TA) visando a redução do desperdício na aplicação de defensivos.

    FAZENDA 30 ANOS: Fazenda Experimental Coamo completa 30 anos de pesquisa a favor do cooperado.

    UNIDADES NO MS E NO PR: Em Caarapó, Laguna Carapã e Aral Moreira, no Mato Grosso do Sul, cooperativa inicia recebimento da produção dos cooperados. E no Paraná, Cândido de Abreu ganha moderno entreposto e melhorias foram feitas também em Candói, no Centro-Sul com novo escritório administrativo e loja de peças.

    CERTIFICAÇÃO: Indústrias da Coamo conquistam certificação internacional BPF/APPCC, que garante boas práticas de fabricação e os procedimentos padrões de higiene operacional.

    CREDICOAMO: Inaugurados Posto de Atendimento Cooperativo (PAC) da Credicoamo em Palmas, no Sul do Paraná e em São João do Ivaí, no Vale do Ivaí.

    PRÊMIO ANDEF: Coamo recebe dia 21 de março dois prêmios da Andef – Associação Nacional de Defesa Vegetal, nas categorias “Empresa” e “profissional”. A cooperativa foi premiada por realizar ações estratégicas na educação e treinamento sobre o uso correto e seguro de produtos fitossanitários.

    COAMO NA BOLSA: Presidente da Coamo lança dia 20 de maio em Chicago, nos Estados Unidos, a negociação dos contratos de soja sul- -americana. E no mês anterior, é tema de reportagem na Gazeta do Povo na série “Vida Moderna”, como exemplo de liderança e sucesso empresarial.

    UNIVERSIDADE: Em dezembro, Campo Mourão recebe campus da Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR- com a oferta de seis cursos. A Coamo sempre esteve presente nas principais lutas e reivindicações em prol do desenvolvimento dos municípios. Participou em Brasília com assinatura do protocolo de intenções para criação de uma unidade do então Cefet, em 1993.

    2006

    PORTAL/INOVAÇÃO: Inaugurado portal da Coamo na Internet para facilitar o acesso dos cooperados e do público em geral sobre as atividades da cooperativa e do agronegócio brasileiro.

    ENTREPOSTO: Cantagalo, na região Centro-Sul, é o mais novo entreposto da Coamo; diretoria anuncia para 2007 instalações dos Postos de Atendimento Cooperativo (PAC) da Credicoamo em Roncador e Candói.

    NA PONTA DO LÁPIS: Coamo lançou em 20 de junho, o Programa de Aperfeiçoamento em Gerenciamento Rural no Dia do Cooperativismo, com a presença de mais de 300 lideranças da sua área de ação.

    2007

    INVESTIMENTOS: Coronel Vivida recebe investimentos de R$ 7 milhões com novo entreposto da Coamo; Iretama e Cantagalo recebem novos escritórios administrativos; Honório Serpa, no Sudoeste do Paraná, é elevado à Categoria de Posto de Atendimento, e Credicoamo inaugura Postos de Atendimento Cooperativo (PAC): Roncador e Candói.

    GARRAFA PET: Coamo lança em Curitiba, na Mercosuper 2007, a nova garrafa “Pet” de óleo de soja - mais novo investimento da cooperativa na área industrial. Fábrica terá investimento de R$ 10 milhões no seu parque industrial da Coamo em Campo Mourão, com capacidade de envase de 15 mil garrafas de óleo de soja refinado por hora.

    HOMENAGEM AO PARANÁ: Copa Coamo encerra 9ª edição com grande festa e homenagem ao Estado do Paraná.

    2008

    ESTRATÉGIA: Cooperativa amplia fábrica de margarinas.
    2009

    NOVIDADE: Início das operações da Torrefação e Moagem de Café, em Campo Mourão.

    2010

    INVESTIMENTOS INDUSTRIAIS: Ampliação das Indústria de Esmagamento de Soja e Refinaria de Óleo de Soja, e das fábricas de Envase de Óleo de Soja Coamo em embalagens PET, em Campo Mourão.
  5. 2011 à 2020

    2011

    PREMIAÇÃO: Os Alimentos Coamo receberam três prêmios de prestígio no cenário empresarial. Os prêmios foram: "Troféu Ponto Extra", da Associação Paulista de Supermercados (Apas), "Marcas de Destaque" da revista Distribuição e "Cozinha Profissional", detentora de um site para profissionais da área.

    EMBALAGEM: Alimentos Coamo lançou balde retangular para margarina e gordura. Novidade maximizou os espaços de armazenamento e passou a permitir maior aproveitamento da capacidade de carga.

    MAIS ADMIRADA: Pela terceira vez na história, a Coamo foi eleita em pesquisa da revista Carta Capital, a Empresa Mais Admirada do Agronegócio do Brasil.

    CAMPEÃ DAS CAMPEÃS: A Coamo recebeu em outubro, o título de Campeã das Campeãs do prêmio Melhores do Agronegócio 2011, concedido pela revista Globo Rural.

    RAÇÃO: Novidade para os cooperados: Rações e Concentrados Coamo passaram a ser disponibilizados para bovinocultura, piscicultura, suinocultura e avicultura.

    QUALIDADE: Café Coamo Premium chegou ao mercado. Linha de Alimentos Coamo trouxe mais uma novidade para surpreender o consumidor que aprecia um café de qualidade superior. Outra novidade dos Alimentos Coamo foi a nova embalagem a vácuo de 500 gramas do Café Sollus.

    COPA COAMO: Foi realizada a 11ª edição da Copa Coamo Futebol Suíço de Cooperados. Cerimônia finalizou o maior evento esportivo rural do Brasil, foi marcada por homenagens e lembranças ao Mato Grosso do Sul.

    2012

    COMENDA: Presidente da Coamo foi homenageado com a Comenda de Santa Catarina, quando recebeu em sessão solene da Assembleia Legislativa, a Comenda do Legislativo Catarinense.

    EXTERIOR: Durante o Encontro Nacional de Comércio Exterior (Enaex), a Coamo recebeu da Associação de comércio Exterior do Brasil (AEB) o prêmio Destaque de Comércio Exterior 2012 no segmento Agronegócios.

    SUSTENTÁVEL: O resultado da 9ª Pesquisa de Gestão Sustentável, promovida pela Editora Expressão de Santa Catarina, apontou a Coamo como a cooperativa mais sustentável do Sul do Brasil.

    MS: Em Maracaju, a cooperativa começou a funcionar na primeira quinzena de julho com o recebimento de milho safrinha.

    UNIDADE: Em Luiziana (PR) foi inaugurado o novo escritório administrativo e loja de peças.

    RECONHECIMENTO: A Coamo foi campeã no setor “Cooperativas Agrícolas”, e está inserida entre as 1000 empresas brasileiras na 9ª edição das “Melhores da Dinheiro”, conforme ranking da revista IstoÉ Dinheiro.

    SC: A Coamo inaugurou no dia 17 de julho em Ipuaçu (SC) um moderno escritório administrativo.

    MEIO AMBIENTE: “Em que Campo Mourão eu quero viver!” Este foi o tema do concurso cultural lançado na rede pública municipal e estadual de Campo Mourão. O concurso fez parte da última etapa do projeto Atlas Ambiental.

    DESTAQUE: Óleo de Soja Coamo foi destaque em vendas no país. Pesquisa confirmou o produto como o 4º no Brasil, 3º no interior de São Paulo e o 2º mais vendido na região Sul.

    UNIDADES: A Coamo inaugurou novos entrepostos em Reserva (PR) e Paulistânia, distrito de Alto Piquiri (PR).

    EXPANSÃO: Foram concluídas as novas unidades de recebimento em Arapuã e São João do Ivaí (PR).

    INVESTIMENTOS: A 52ª Assembleia Geral Ordinária aprovou investimentos de R$ 275 milhões na melhoria e modernização de 48 unidades, das quais oito novas construções no Paraná e no Mato Grosso do Sul.

    AGRÔNOMO: O engenheiro agrônomo José Aroldo Gallassini, idealizador e presidente da Coamo, foi eleito o "Engenheiro Agrônomo de 2011 no Brasil ". Homenagem foi entregue em São Luís, capital do Estado do Maranhão, no XXVII Congresso Brasileiro de Agronomia e no IV Congresso Panamericano de Engenheiros Agrônomos, que reuniu milhares de profissionais brasileiros e de vários países do continente americano.

    2013

    DOURADOS: Entrou em operação a mais nova unidade em Dourados (MS). A cooperativa comemorou dez anos no Mato Grosso do Sul.

    GOIOXIM: Cooperados comemoraram chegada da Coamo em Goioxim (PR).

    INVESTIMENTOS: Os associados da Coamo aprovaram na 54ª Assembleia Geral Extraordinária, investimentos da ordem de R$ 465 milhões para modernização, adequação e ampliação de 67 unidades no Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul.

    COMERCIALIZAÇÃO: Coamo vendeu milho para o Nordeste. Em junho, cereal foi enviado pelo Porto de Paranaguá, no Paraná, para atender necessidades de municípios afetados pela seca.

    PD 40 ANOS: Foi comemorado os 40 anos do Plantio Direto. Além de conservar e proteger o ambiente produtivo, o Plantio Direto, sempre com rotação de culturas, melhora a estrutura e aumenta a matéria orgânica no solo.

    NOVO SITE: Com novo e moderno design, novo site passou a apresentar uma nova dinâmica e conceito de navegação.

    BATISMO DE NAVIO: O navio da Oetker foi batizado como “Santa Paulina”, por sugestão do padrinho José Aroldo Gallassini homenageando àquela que é considerada a primeira santa brasileira.

    COMENDA DO PARANÁ: Dr. Aroldo recebeu a mais alta comenda do Paraná em solenidade realizada no Palácio Iguaçu. Evento marcou as comemorações dos 159 anos da emancipação política do Estado.

    2014

    OESTE DO PARANÁ: A Coamo comemorou 20 anos no Oeste do Paraná. Evento celebrou a data reunindo cooperados e funcionários das oito primeiras Unidades do Oeste.

    JORNAL COAMO 40 ANOS: Em novembro de 1974 circulou pela primeira vez o Jornal Coamo, então com o nome Informativo Coamo. Em 2014, o Jornal Coamo comemorou 40 anos.

    30 ANOS EM SANTA CATARINA: A Coamo comemorou 30 anos em Santa Catarina.

    COMENDADOR: José Aroldo Gallassini recebeu o título de Comendador de Brusque, sua terra natal.

    ESTÁTUA: José Aroldo Gallassini foi homenageado durante realização dos Jogos InterUnidades (JIU) com uma estátua na sede da Arcam.

    40 ANOS: O funcionário Djalma Cândido de Godoy foi o primeiro a chegar a marca dos 40 anos de trabalho na Coamo e recebeu uma homenagem da cooperativa.

    XANXERÊ: Entrou em funcionamento em Xanxerê a mais nova unidade da Coamo em Santa Catarina.

    MARACAJU: Foi inaugurado o novo escritório e loja de peças. Também foi entregue Agência da Credicoamo.

    2015

    COOPERADO ON-LINE: Nova versão passou a oferecer serviços para que o cooperado passasse a acessar informações de onde esteja, seja no computador pessoal, smartphone ou tablet.

    VISITA: Membros do Conselho de Administração do CME Group (Bolsa de Chicago) e da BMF/Bovespa. A comitiva veio ao Brasil para reuniões de negócios na BMF/Bovespa e visitou a diretoria da Coamo.

    MOBILIDADE AGRONOMIA: Coamo lançou o programa Mobilidade Agronomia.

    40 ANOS DA FAZENDA EXPERIMENTAL: Ao longo de quatro décadas a agropecuária brasileira passou por grandes transformações. Na maioria delas, a Fazenda Experimental Coamo contribuiu.

    MOINHO DE TRIGO: Início das operações do novo Moinho de Trigo da Coamo.

    REVISTA COAMO: Foi lançada a Revista Coamo para seguir a mesma linha da comunicação da cooperativa. A Revista substituiu o Jornal Coamo, após 40 anos de circulação.

    INVESTIMENTOS: Entre janeiro e fevereiro, a Coamo inaugurou obras e melhorias em três Unidades. Em Abelardo Luz (SC) foi entregue um novo escritório administrativo. Os cooperados de Marilândia do Sul (PR) também receberam um novo escritório e uma loja de peças. Em Vila Nova foi inaugurada uma loja de peças.

    2016

    PEDRA FUNDAMENTAL: A Coamo lançou em dezembro a pedra fundamental de suas unidades de processamento de soja e refinaria de óleo de soja em Dourados (MS).

    RECONHECIMENTO: A Coamo foi a melhor empresa do agronegócio no setor Indústria de Soja e Óleo, segundo o ranking da revista Globo Rural.

    HOMENAGENS: João Paulo Koslovski e Alysson Paolinelli receberam homenagem pelos serviços prestados ao agronegócio. Eles foram reconhecidos pela diretoria da Coamo.

    DIRETRIZES: Cumprindo com seus objetivos, disponibilizando benefícios para o desenvolvimento dos seus cooperados a Coamo apresentou oficialmente suas Diretrizes Corporativas.

    2017

    NOVAS UNIDADES NO MS: Unidades de Itaporã e Sidrolândia entraram em funcionamento.

    MARGARINAS: Pelo terceiro ano consecutivo, as margarinas Coamo foram destaque em pesquisa realizada pela Universidade de Campinas (Unicamp).

    NOVO ESCRITÓRIO: A diretoria da Coamo inaugurou novo e moderno escritório administrativo em Ivaiporã.

    CERTIFICAÇÕES: A Coamo obteve certificação sobre a produção sustentável de soja.

    2018

    SITE: Foi lançado o novo site da linha alimentícia.

    COMEMORAÇÃO: Cinco unidades da Coamo completaram 40 anos de fundação. Boa Esperança, Iretama, Palmas, Peabiru e Roncador.

    TSI: Coamo passou a disponibilizar aos cooperados Tratamento de Sementes Industrial (TSI).

    COAMO FRETES: Coamo lançou aplicativo de fretes. Os caminhoneiros passaram a ter uma importante ferramenta para ofertarem seus serviços diretamente à Coamo.

    AUTOATENDIMENTO: A Coamo inaugurou no entreposto de Campo Mourão, a primeira loja de autoatendimento para cooperados.

    2019

    AGO E LIVRO: Durante a 49ª Assembleia Geral Ordinária da Coamo (AGO) foi realizado o lançamento do livro “José Aroldo Gallassini – uma visão compartilhada. A inspiradora trajetória do presidente da maior cooperativa agrícola da América Latina”.

    INDÚSTRIA EM DOURADOS: Em momento histórico para a Coamo no Mato Grosso do Sul, foi inaugurado em novembro o complexo industrial da cooperativa em Dourados. As novas indústrias produzem farelo, óleo bruto e óleo refinado de soja, agregando mais valor à produção dos associados.

    30 ANOS: Credicoamo comemorou 30 anos de solidez e bons serviços.

    40 ANOS: Unidades da Coamo em Barbosa Ferraz e Pitanga completam 40 anos.

    INVESTIMENTOS: Unidades da Coamo em Candói e Guarapuava comemoraram 20 anos, e Mangueirinha 40 anos. Foi inaugurada loja de peças em Cruzmaltina e escritório administrativo em Honório Serpa.

    GOVERNANÇA: Associados aprovaram em Assembleia Geral Extraordinária a reforma integral do Estatuto Social com ênfase na adequação da estrutura de Governança Corporativa.

    2020

    PANDEMIA: Considerando a declaração de pandemia para o Coronavírus, pela Organização Mundial da Saúde (OMS) Coamo e a Credicoamo sensibilizadas com a situação, formaram o Comitê de Prevenção ao Coronavírus.

    SEMENTES: No Parque Industrial da Coamo, em Campo Mourão (PR) entrou em operação um dos maiores e mais modernos Laboratório de Sementes do Paraná.

    GOVERNANÇA: No dia 10 de fevereiro o engenheiro agrônomo e idealizador da cooperativa, José Aroldo Gallassini, foi eleito presidente do Conselho de Administração 2020/2024 e foi apresentada a Diretoria Executiva, tendo como presidente Airton Galinari.

    LOGO 50 ANOS: Diretoria da Coamo apresentou durante Assembleia Geral Ordinária, em fevereiro, a marca dos 50 anos da cooperativa com o slogan “A vida é a gente que transforma”.

Mostrar Tudo

#SomosCoamo

Palavra do Fundador

José Aroldo Gallassini

Presidente dos Conselhos de Administração Coamo e Credicoamo

"Temos a honra e a graça de Deus em comemorar os 50 anos da Coamo, fundada por 79 agricultores em 28 de novembro de 1970. Essa história tive a honra e a graça divina de poder vivê-la passo a passo como idealizador, e ela faz parte da minha vida. O trabalho de fundação da Coamo iniciou em 09 de dez...

Diretoria Executiva

Airton Galinari

Airton Galinari

Presidente Executivo Saiba mais
Antonio Sérgio Gabriel

Antonio Sérgio Gabriel

Diretor Administrativo e Financeiro Saiba mais
Edenilson Carlos de Oliveira

Edenilson Carlos de Oliveira

Diretor de Logística e Operações Saiba mais
Aquiles de Oliveira Dias

Aquiles de Oliveira Dias

Diretor de Suprimentos e Assistência Técnica Saiba mais
Divaldo Corrêa

Divaldo Corrêa

Diretor Industrial Saiba mais
Rogério Trannin de Mello

Rogério Trannin de Mello

Diretor Comercial Saiba mais

Nosso Time

Nosso Time

O funcionário com mais tempo de casa na Coamo é Djalma Cândido de Godoy. Ele é chefe do departamento de Logística e Operações de Alimentos, mas ingressou na cooperativa como aprendiz de escritório, em 1974, quando tinha 18 anos. “A Coamo não tinha a vaga de auxiliar na época e...

Saiba mais

Vidas Transformadas

Há 50 anos a Coamo
transforma vidas.
E aqui vamos conhecer
algumas delas.

Futuro da Cooperação

São 50 anos construídos que consolidaram a Coamo no cooperativismo e no agronegócio. Mas, como sempre diz o idealizador, José Aroldo Gallassini, a Coamo não foi feita para uma geração, e sim para sempre. Todos podem envelhecer, mas a Coamo precisa continuar nova e moderna. Por esta razão, a cooperativa desenvolve divers...

Saiba mais
Futuro da Cooperação

Galeria

Sala de Imprensa

50 Perguntas e Respostas