Especial

Mercado externo:
Coamo é a maior exportadora do Sul

Resultado é fruto do excelente desempenho em 2001, quando a cooperativa exportou US$ 272 milhões


A Coamo foi agraciada no dia 18 de abril com o prêmio Maiores Exportadores do Sul do Brasil, no segmento Cooperativas. O reconhecimento é fruto do excelente desempenho da cooperativa em 2001, considerado um dos melhores da história da entidade, quando ela exportou US$ 272,12 milhões.

O diretor presidente da Coamo, engenheiro agrônomo José Aroldo Gallassini, recebeu a homenagem durante o seminário Perspectivas das Exportações Brasileiras em 2002, realizado em Florianópolis (SC). O evento foi promovido em conjunto pela Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) e Editora Expressão e reuniu as lideranças das maiores empresas do Sul do Brasil. "O prêmio é um reconhecimento ao trabalho da Coamo, durante os seus 32 anos, respaldado no apoio dos cooperados e baseado numa política de administração moderna e voltada para os resultados", comemorou Gallassini.

Na classificação geral, envolvendo os 25 segmentos da economia do Sul do País, a Coamo figura entre as maiores exportadoras, ocupando a segunda colocação no ranking paranaense (a primeira é a Volkswagem). O ranking da Revista Expressão, entre as 200 maiores empresas exportadoras da Região Sul, tem como base dados da Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Sozinha, a região é responsável por cerca de 25,2% do total das exportações brasileiras.

Crescimento - A consolidação da Coamo no mercado externo tem sido cada vez maior com o passar dos anos. Em 2001, o crescimento desta área foi de 94,9% em relação ao volume físico e 59,1% em relação aos valores financeiros, em comparação com o ano anterior. No ano, foram exportados 1,79 milhões de toneladas de produtos e embarcados 253 navios pelo terminal portuário da cooperativa.

A Coamo ocupa lugar de destaque nas exportações de commodities, contribuindo para o saldo positivo da balança comercial brasileira. O produto Coamo goza de excelente conceito no exterior, sendo fornecido inclusive com certificado de rastreabilidade, o que tem se constituído como um grande diferencial no mercado Europeu.

Estrutura - Com 77 unidades de recebimento de produtos, localizadas em 47 municípios dos Estados do Paraná e Santa Catarina, a Coamo está dotada de uma moderna infra-estrutura administrativa e operacional para a prestação de serviços com qualidade aos seus 17 mil cooperados, desde a orientação para a escolha da semente, passando pelo recebimento da produção, comercialização, até a exportação da produção.

Consolidando a sua atuação como importante parceira do seu quadro social, em 2001, graças a forte participação dos seus cooperados e dos significativos investimentos na infra-estrutura de armazenagem, a Coamo bateu mais um recorde de recebimento, atingindo um total de 3,35 milhões de toneladas de produtos. Este número representou um crescimento de 26,2% em relação ao recebimento do ano anterior. Assim, a força do trabalho e da cooperação, aliada à confiança e responsabilidade dos seus cooperados no dia-a-dia da sua cooperativa, têm feito com que a Coamo seja responsável pelo recebimento e comercialização de 3,7% da produção brasileira de grãos e fibras e de 14% da produção paranaense. A sua capacidade de armazenagem é de 2,55 milhões de toneladas, com armazéns dotados de infra-estrutura moderna, que propiciam eficientes controles de qualidade dos seus produtos.

Pelos números preliminares da colheita da safra de verão que está apresentando boas produtividades, a Coamo deverá apresentar este ano novamente um bom desempenho, para a satisfação dos seus cooperados.

Dr. Aroldo recebe o prêmio das mãos de Maria Tereza Bustamante, presidente da Câmara do Comércio Exterior da Fiesc

Pose especial dos homenageados. Prêmio foi entregue a empresas de 25 segmentos

 

Solidez e sucesso

No ano de 2001 a Coamo registrou o melhor desempenho econômico-financeiro de toda a sua história. O balanço social do exercício foi apresentado e aprovado pelos cooperados, em assembléia geral realizada no dia 14 de fevereiro em Campo Mourão. A receita global da cooperativa atingiu R$ 1,6 bilhão, com crescimento de 34% em relação ao ano anterior. As sobras líquidas foram superiores em 140,3% as do ano 2000, atingindo R$ 96,25 milhões. O ativo total da Coamo cresceu 25,4%, atingindo o montante de R$951,83 milhões e o patrimônio líquido somou R$471,18 milhões, um crescimento de 22,1% em relação ao ano de 2000.

A solidez da Coamo pode ser verificada pelos índices apresentados no balanço do exercício de 2001: liquidez corrente - 1,92 (significando que para R$ 1,00 de obrigações a cooperativa têm R$ 1,92 disponíveis, sem contar todo o seu patrimônio); índice de autofinanciamento - 1,10, o que evidencia a solidez financeira da Coamo e a independência de recursos de terceiros para a condução das suas atividades. Em 2001 a Coamo gerou um montante de R$ 85,22 milhões em tributos e taxas, volume 18% maior que o registrado no ano anterior, que coloca a cooperativa entre as principais empresas do 
Estado do Paraná no pagamento de impostos.

Para o presidente da Coamo, engenheiro agrônomo José Aroldo Gallassini, os excelentes resultados conquistados pela cooperativa ao longo dos seus 32 anos de existência são motivos de orgulho para toda a família Coamo. "A confiança, apoio e participação maciça dos nossos 17 mil cooperados são os principais fatores de sucesso, o que impulsionam o nosso crescimento sustentável, como uma empresa sólida, moderna e bem-estruturada, com planejamento estratégico e visão de futuro", conclui Gallassini