Site Coamo
Coamo Agroindustrial Cooperativa | Edição 393 | Abril de 2010 | Campo Mourão - Paraná

Treinamento e Produtividade

Formação profissional que gera excelência nos campos da produção

A implantação de novas tecnologias e o acompanhamento da evolução agrícola vem levando produtores rurais a uma maior utilização dos maquinários agrícolas, com o foco principal na redução dos custos e no aumento das potencialidades de produção, visando maior rendimento da atividade agrícola

Diante dos custos dos novos maquinários é fundamental que haja cuidados quanto a sua utilização e prevenção nos trabalhos de manutenção visando a eficácia das operações de plantio e colhei-ta nos campos dos cooperados. “Se não forem observados e checados esses detalhes periodicamente, e acontecer a utilização inadequada ou a falta de manutenção, os custos com o maquinários serão muito altos e implicarão na redução de produtividade e na renda do produtor”, salienta o instrutor de treinamento da Coamo, Domingos Carlos Basso, responsável pelos trabalhos de orientação e de treinamentos junto aos cooperados, filhos e empregados dos cooperados e também aos técnicos da Coamo.

A capacitação da mão de obra rural é um benefício direto que proporciona economia com a redução dos custos e a otimização dos equipamentos, que vem sendo feito nesses 40 anos de existência da cooperativa. Este trabalho de apoio aos cooperados, filhos e empregados quanto ao uso das máquinas e implementos é tão importante que desde 1977, portanto, há 33 anos, a Coamo idealizou um Centro de Treina-mento Agrícola, o CTA para ajudar e aprimorar a capacitação da mão-de-obra rural. “Inicialmente, os cursos e treinamentos eram realizados na fazenda experimental, mas já nos anos seguintes a demanda foi crescendo e a Coamo descentralizou e passou a promover as atividades do CTA nas comunidades bem próximas das propriedades dos produtores associados”, informa Basso.

O trabalho do Centro de Treinamento Agrícola consiste na orientação teórica e prática aos operadores quanto ao uso e operações de tratores, colheitadeiras, aplicação de defensivos e uso dos pulverizadores, plantadeiras e semeadeiras. “Hoje é bem diferente, se por um lado ficou muito melhor com a modernização da agricultura e a fabricação de maquinários com modernas tecnologias, os operadores também tiveram que se adequar e voltar a aprender como operar essas máquinas novas. Antigamente, a soja era plantada em implementos com tração animal e há muitos anos essa técnica utilizada em vá-rias regiões da Coamo deixou de existir. Hoje as plantadeiras possuem sistema de distribuição que permite a uniformidade no plantio, o que facilita, inclusive, a colhei-ta”, avalia Basso.

Cena se repete a cada safra

Antes do plantio e da colheita a cena se repete há mais de 30 anos nos campos dos cooperados da Coamo em várias regiões, seja no Paraná, Santa Catarina e mais recentemente no Mato Grosso do Sul. Dezenas de operadores entre cooperados e filhos, e empregados, estão reunidos e participando de alguns dos muitos treinamentos de capacitação promovidos no meio rural pela Coamo com apoio do Senar – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural. Pode ser regulagens ou práticas de trator, plantadeira, pulverizador ou colheitadeira, mas o que importa é que esse benefício tem ajudado a melhorar a agricultura brasileira e otimizando a diminuição dos custos com insumos e máquinas, e impulsionado as produtividades agrícolas.

Somente em 2009 o CTA da Coamo promoveu 86 cursos com a participação de 1.285 pessoas, dos quais 29 foram de regulagem e operação de colheitadeira.

“A Coamo está ao lado dos seus cooperados o ano todo, essa assistência do CTA é muito importante e valorizada pelos produtores que querem implantar suas lavouras e colher boas produtividades. Daí a importância de se ter um maquinário bem cuidado e regulado, preparado para semear e colher com eficiência”, explica o engenheiro agrônomo Nei Leocádio Cesconetto, gerente de Assistência Técnica da Coamo.

 

 

Detalhes fazem a diferença

O técnico do CTA, Domingos Carlos Basso, afirma que melhorou muito a conscientização e a prática por parte dos produtores na prevenção, manutenção, uso e no aumento da vida útil dos maquinários agrícolas. “Os cuidados são necessários e fundamentais para um plantio correto e uma colheita produtiva. A cada nova safra o agricultor tem o novo desafio de recolher a sua produção e evitar o máximo possíveis as perdas. Mas, para isso, ele não pode abrir mão de se preocupar com os detalhes, por exemplo, de uma boa regulagem e das condições necessárias para o êxito das atividades. Os detalhes simples fazem a diferença”, diz Basso.

Para o presidente da Coamo, Dr. Aroldo Gallassini, é muito importante a preparação da mão de obra. “É um investimento que tem que ser feito, com este trabalho ganha-se muito no cuidado com as colheitadeiras, com os tratores e a economia que resulta no uso e na conservação correta dos maquinários”.

APOIO TÉCNICO – A assistência da Coamo é realizada com a instrução do técnico do CTA e das empresas parceiras da cooperativa com o aprimoramento das tecnologias também aos técnicos da cooperativa para que estes possam ajudar no repasse das informações e novidades aos cooperados visando o atendimento das suas necessidades. “Quem almeja altos rendimentos nas produtividades tem que estar atentos aos detalhes e estes fazem a diferença antes e durante o plantio e na hora da colheita. O Detec não consegue acompanhar todos os cooperados ao mesmo tempo, por isso, a importância dos cursos do CTA que treinam os operadores visando a melhoria das operações e o êxito nas colheitas. Uma mão de obra capacitada e treinada vai diminuir o custo e o uso correto vai resultar em maiores possibilidades de rentabilidade na safra”, enfatiza José Marcelo Rúbio, chefe do Departamento Técnico (Detec) da Coamo em Mamborê.

Uma lição passada de pai para filho

Associado da Coamo desde janeiro de 1978, o produtor Domingos Pereira destaca a importância da aprendizagem para melhoria das atividades agrícolas. Ao lado do filho, também associado, Anderson Pereira, ele faz questão de afirmar que “os treinamentos proporcionados pelo CTA da Coamo são de grande valia, ensinam a fazer um plantio bem feito, economizar no uso de sementes e adubos que devem ser colocados dentro de um limite e não pode ser em excesso. E se não tiver uma boa regulagem as coisas se complicam, a gente perde produção e dinheiro. Que bom que temos o Detec nos ensinando a fazer as coisas como devem ser feitas”, comemora Pereira, afirmando que “os filhos aprendem e levam uma nova sabedoria e experiência, e vão se identificando cada vez mais com a agricultura e o manejo perfeito das lavouras”.

Mesmo entendimento tem o filho do “seo” Domingos, Anderson Pereira, associado há 6 anos. A exemplo do pai, ele diz aprender a cada novo curso, tanto nas orientações repassadas pela cooperativa quanto na troca de experiências com os demais participantes. “A gente aprende sempre e na agricultura precisamos usar bem os maquinários, diminuir as despesas e conquistar a rentabilidade esperada na propriedade”, comemora.

Mil cursos na parceria Coamo e Senar-PR

A Coamo e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-Paraná) celebraram dia 13 de abril o milésimo curso de capacitação agrícola no convênio entre as duas instituições. O curso de número 1.000 foi o de Plantadeira e ministrado pelo instrutor de Treina-mento Domingos Carlos Basso, da Coamo, sendo realizado na Arcam em Mamborê, no Centro-Oeste do Paraná.

Com a presença do presidente da Coamo José Aroldo Gallassini e do superintendente do Sistema FAEP/Senar Ronei Volpi, cooperados e autoridades, aconteceu a solenidade com entrega de placas para marcar o milésimo curso da parceria entre Senar e Coamo. O Senar foi criado em 1991 pela lei 8315 e beneficia milhares de produtores e produtoras em todo o país.

A Coamo agradece e destaca importância do convênio entre a cooperativa e o Senar-PR. “A parceria Coamo e Senar reforça a importância da preparação de produtores, filhos e empregados para a aprendizagem constante e a melhor utilização dos equipamentos agrícolas e de técnicas que impulsionem o desenvolvimento da atividade agropecuária”, explica José Aroldo Gallassini, presidente da Coamo.

Na análise do superintendente do Senar-PR, Ronei Volpi, o desenvolvimento das pessoas não apenas de forma econômica, mas também social, é muito importante e tem feito a diferença no campo. “Este trabalho com a Coamo é fruto de uma parceria vitoriosa e certamente é a maior que o Senar possui em termos individuais no Estado do Paraná. A Coamo é uma cooperativa que valoriza as pessoas, os seus cooperados, pois são eles que fazem à cooperativa e sobretudo o cooperativismo. Sem dúvidas todo o crescimento da agropecuária nesses últimos anos deve ser atribuído aos avanços da qualificação e a tecnologia”, observa Ronei.

MAIS DE 53 MIL PESSOAS – Em 2010 a Coamo está completando 40 anos de existência e com o CTA e o trabalho de capacitação agrícola nos últimos 33 anos de atuação a Coamo promoveu 2.819 cursos de máquinas e implementos agrícolas reunindo, ao todo, 53.920 participantes, entre co-operados, seus filhos e funcionários das propriedades rurais.