Site Coamo
Coamo Agroindustrial Cooperativa | Edição 403 | Abril de 2011 | Campo Mourão - Paraná

Safra de Inverno

Caminhos opostos para o trigo e a safrinha

Com o mercado de milho em alta, plantio da safrinha cresce 27,3%. Já o trigo enfrenta mais um ano de desestímulo nacional

Com o encerramento da colheita de verão os agricultores voltam as atenções para os cultivos de inverno. Na região de atuação da Coamo, o milho segunda safra já está todo implantado e o trigo encontra-se em fase inicial de plantio. Predominantes na área da cooperativa, os dois cereais seguem caminhos opostos na preferência dos produtores rurais.

Enquanto o milho teve um incremento de 27,3% na área de plantio deste ano, saltando de 424,6 mil hectares na safra passada, para 540,6 hectares neste ano, o trigo novamente perde espaço no campo. A redução no cultivo deve-se, mais principalmente ao fato de o trigo, que já foi explorado pela maioria dos produtores no inverno, ser novamente desestimulado pela política de preços e classificação. No Paraná a área plantada deve cair 10,1%, enquanto no Brasil a redução estimada é maior ainda:11,5%. Na região da Coamo, como a maioria dos produtores iniciam a semeadura a partir do mês de maio, ainda não é possível prever com exatidão se haverá e de quanto será a redução de área.

Se o trigo perde espaço o milho, por sua vez, ganha terreno não apenas da região da Coamo. A área de cultivo será 19% maior no Paraná e 5,8% no Brasil. Segundo o presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini, o aquecimento dos preços foi o principal fator de estímulo para esse incremento. Já o trigo, conforme ele, mais uma vez vem sendo prejudicado por questões de mercado. "É uma confusão a comercialização do trigo. Nem sempre temos compradores no mercado. O milho, pelo contrário, teve um bom aumento nos preços e fez com que os produtores apostassem ainda mais na cultura", explica Gallassini.

Para não perder o ritmo dos bons resultados das últimas safras, a Gerência de Assistência Técnica da Coamo (Getec), está atenta e vem orientando os cooperados para o planejamento do cultivo de inverno, que a exemplo do verão pode render bons lucros para o bolso do produtor. "Realmente o verão foi vantajoso, com safra cheia e bons preços, e começamos o inverno também com boas perspectivas. O produtor está animado, por isso, precisamos nova-mente ficar atentos aos tratos culturais para repetirmos os bons resultados do verão e do inverno passado", argumenta Luiz Carlos de Castro, supervisor de Assistência Técnica da Coamo. Ele lembra que o milho está com bom desenvolvimento vegetativo, enquanto o trigo começa a ser implantado. "O clima vem colaborando, assim com foi no verão, e a cada dia nossa expectativa está se confirmado. Esperamos que os preços continuem aquecidos, como é o caso do milho, e que o produtor tenha um inverno de produtividade e qualidade", conclui.