Agricultura

Maior lucro diversificando

Segurança e estabilidade são os benefícios de se investir em mais de uma atividade

Conciliar agricultura e pecuária, fechando um novo ciclo de atividades dentro da propriedade, tem sido um bom negócio para muitos produtores rurais. Dessa forma, a renda de uma atividade complementa a outra e a mão-de-obra que ficaria ociosa em determinada época do ano é utilizada com eficiência. Os ingredientes dessa receita de sucesso fazem parte de um pacote que encontra na diversificação o equilíbrio para ampliar a renda no campo. A prática vem se tornando comum entre os cooperados da Coamo que acabam ganhando mais explorando todas as atividades possíveis dentro da propriedade.

Em Barbosa Ferraz, o cooperado Sérgio Pegoraro mantém uma série de atividades na propriedade.

Abramoski, mais atividade, maior renda

Com a bovinocultura de corte, suinocultura e agricultura, os resultado são animadores. Na granja, implantada em parceria com a Coamo, são terminados a cada 130 dias uma média de 480 leitões. E não só isso, Pegoraro está ampliando as instalações e se preparando para terminar 1.600 animais no mesmo período. Ele também investe para adequar a granja para abrigar 240 matrizes, buscando atingir uma meta de produzir até o final de 2002 uma média de 400 leitões por mês.

Da área de 75 alqueires, metade é destinada a pastagem e reservas florestais. No sistema extensivo o cooperado cria bezerros para comercializar. Parte dos animais - em torno de 200 bois, são confinados e terminados anualmente pelo produtor. "Essa renda me ajuda manter as despesas da propriedade. A alimentação dos animais é produzida no sítio, o que torna a atividade um negócio lucrativo", confidencia.

Na parte de agricultura, Pegoraro vem evoluindo ano após ano. Na safra passada, no verão, plantou 34 alqueires de milho, repetindo a mesma área no milho safrinha e fechou com 20 alqueires de feijão, colhido nesse mês de novembro. A novidade nesta safra é o cultivo da soja. "Estou experimentando a soja, pela primeira vez, para rotacionar com feijão. Essa 
Pegoraro, integrado a agricultura e a pecuária

estratégia faz parte do planejamento feito junto com agrônomo que me assiste na propriedade", diz o cooperado.

Para gerenciar melhor as atividades, o cooperado - que é formado em zootecnia, está voltando para propriedade com a família, depois de quase 30 anos morando na cidade. "A minha intenção é ficar mais próximo dos negócios. Hoje a prioridade são as atividades aqui no sítio", finaliza.

Negócio lucrativo - Marcos Aurélio Abramoski, cooperado da Coamo em Altamira do Paraná, também aposta nessa idéia. Profissional em todas atividades que trabalha, ele vem conquistando resultados interessantes. A sua meta é sempre inovar para ter mais lucro no seu negócio.

Foi pensando assim que na safra 99/00 ele se tornou o pioneiro no cultivo da soja, na região de Laranjal. A produtividade superou a expectativa, produzindo 125 sacas por alqueires. "Fiz a análise, corrigi o solo e resolvi acreditar. Na safra passada a média subiu para 135 sacas em 10 alqueires. Estou ampliando a área em 20% nesta safra e vou caprichar para atingir 150 sacas em cada alqueire", adianta.

Na parte de pecuária os 100 litros leite produzidos a pasto reforçam o orçamento. O rebanho soma um total de 180 animais, incluindo os de corte. Com a diversificação, houve um equilíbrio dentro propriedade. "Hoje é diferente aqui no sítio. Saí da monocultura do milho e melhorei também as pastagens fazendo as correções, aplicando a rotatividade dos piquetes e das lavouras", esclarece Abramoski. O cooperado reconhece que sem o apoio da Coamo não seria possível dar esse salto em produtividade e lucro.