Mercado Internacional
Coamo recebe cooperativistas franceses

Encontro fortaleceu ainda mais a parceria da cooperativa com os clientes do mercado europeu

O grupo visitou a sede administrativa, o complexo industrial da Coamo e a fazenda Santa Alice (foto) na região de Luiziana
Um grupo de 51 franceses, membros do Conselho de Administração da Cana – uma central de cooperativas, esteve visitando a Coamo e a região de Campo Mourão recentemente. O grupo mantém negócios com a Coamo, principalmente na aquisição de farelo de soja, e atendeu a um convite especial feito pela diretoria da cooperativa.

Eles conheceram a estrutura administrativa da Coamo e também visitaram a fazenda experimental e o complexo agroindustrial.

Acompanhados das esposas, ainda tiveram contato com os produtos de trabalhos manuais feitos pelas esposas e filhas de cooperados da Coamo, durante visita especial à fazenda Santa Alice, na região de Luiziana.

O presidente da Cana, Louis Evain, disse que a oportunidade foi bem aproveitada. “Além de conhecer esta bela região, que possui um elevado nível tecnológico na exploração das atividades agropecuárias, estreitamos o nosso

Os agricultores franceses, com suas esposas, conheceram trabalhos manuais feitos por esposas e filhas de cooperados da Coamo

Dr. Aroldo Gallassini (direita) com o presidente da Cana, Louis Evain (esquerda): carta de progresso e consolida negócios
relacionamento e fortalecemos ainda mais a parceria”, ressaltou, reforçando a expressividade da Coamo e a seriedade e competência na condução dos seus negócios.

José Aroldo Gallassini, presidente da Coamo, ressaltou que a cooperativa vem consolidando as exportações para o mercado internacional com a certificação da produção. “Na Europa o nosso produto também goza de excelente aceitação, porque os clientes têm a garantia da entrega CIF e da rastreabilidade”, garantiu. Segundo Gallassini, uma carta de progresso (como é chamada na França uma garantia de parceria) já foi firmada entre a Coamo e a Cana, o que garante uma continuidade na parceria com as cooperativas que integram a central francesa.