barra Site Coamo barra
Coamo Agroindustrial Cooperativa | Edição 368 | Dezembro de 2007 | Campo Mourão - Paraná

Agricultura / Pecuária

A integração dos irmãos Vonsowski

Produtores de grãos, eles resolveram apostar na integração com a pecuária, buscando diversificar a propriedade

A propriedade dos irmãos Luiz Carlos e Humberto Vonsowski, em Farol (Centro-Oeste do Paraná), passou a contar recentemente com uma nova paisagem. Além de grãos, os Vonsowski também resolveram produzir bois, no sistema integrado entre a agricultura e a pecuária. Eles querem diversificar e estabilizar a geração de renda na propriedade, de 388 alqueires, que até este ano era explorada apenas com as culturas de soja e milho no verão e trigo, milho safrinha, aveia preta e triticale no inverno.

Empreendedores, os irmãos querem também “plantar bois” e “colher carne” na maior escala possível. “A idéia de diversificar a área era antiga e amadureceu no ano passado, quando fomos motivados pela área técnica da Coamo, através do agrônomo que nos atende”, explica Luiz Carlos, referindo-se ao incentivo do agrônomo Hevandro César Fadoni, do Detec da Coamo em Campo Mourão.

Sem incertezas do mercado – O cooperado lembra que já tinha interesse em diversificar a propriedade e fugir do risco de possíveis frustrações ou das incertezas do mercado. Como vive no meio de pecuaristas, uma vez que seu pai também é criador, se interessou pela alternativa apresentada pelo agrônomo da Coamo. “A partir do interesse deles ficou mais fácil planejar o que seria feito: como, quando, onde e quanto seria investido”, esclarece Fadoni, adiantando que o processo já foi iniciado com a implantação de pastagem perene, com grama da espécie Tifton 85, em uma área de 16 alqueires, onde serão instalados cerca de 450 animais para terminação. O esquema prevê ainda o pastejo dos animais, no inverno, em 64 alqueires de aveia e azevém.

Solo equilibrado – A área escolhida para implantação da pastagem, segundo Vonsowski, está entre as melhores dos talhões da propriedade. “De fato escolhemos uma área bem equilibrada, uma vez que para a lotação que desejamos colocar é preciso que o solo tenha alta fertilidade, para favorecer o desenvolvimento pleno da forrageira”, observa o co-operado.

Junto com a pastagem, que deve receber os primeiros animais em janeiro, uma mangueira também já foi adquirida e a cerca está em inicio de construção. “Os cooperados optaram por comprar uma estrutura semi-nova, visando diminuir os custos de introdução do sistema na propriedade”, destaca Fadoni.

Plantio da pastagem com criatividade – As maiores dificuldades dos Vonsowski, no início de implantação do sistema, foi encontrar mudas da forrageira Tifton 85, sem misturas, o que só foi possível depois de muita procura; e introduzir a espécie na área, o que demandou de mão de obra e muita imaginação. “Foi neste momento que a criatividade falou mais alto. Decidimos fazer uma experiência que deu certo, através da adaptação de sacos nos facões do subsolador, e, na medida em que o implemento perfurava o solo o mesmo abria um sulco, deixando-o mais largo que o normal. Ao mesmo tempo, jogávamos as mudas dentro do sulco. E para fechar e compactar as covas foi usado o próprio pneu do trator, que era conduzido em cima das covas”, explica Luiz Carlos.