barra Site Coamo barra
Coamo Agroindustrial Cooperativa | Edição 368 | Dezembro de 2007 | Campo Mourão - Paraná

Cooperativismo

Cooperativistas do Paraná em Curitiba

Mais de 2 mil cooperativistas comemoram avanços do setor em 2007 durante encontro estadual promovido pela Ocepar/Sescoop

Mais de 2 mil cooperados e familiares vindos de todas as regiões do Paraná participaram em Curitiba, no dia 1º de dezembro, do Encontro Estadual de Cooperativistas. O evento teve por objetivo fazer um balanço e apresentar o desempenho do sistema em 2007, integrar dirigentes, co-operados e familiares. A Coamo esteve presente no evento através do seu diretor-presidente, José Aroldo Gallassini, que também é vice-presidente da Ocepar; do diretor-secretário, Ricardo Accioly Calderari; e uma delegação de 130 associados e suas esposas, representando várias regiões da área de atuação da cooperativa.

Papel Relevante – “Nós tivemos um ano extremamente ativo, com desafios significativos para as cooperativas, o que  evidenciou mais uma vez o importante papel que as mesmas têm na defesa sócio-econômica de mais de 450 mil cooperados que as integram, sobretudo no papel relevante que desempenham no desenvolvimento dos municípios e regiões do nosso Estado”, disse o presidente do Sistema Ocepar, João Paulo Koslovski, na abertura do evento em Curitiba.

Faturamento – Segundo o presidente da Ocepar, as cooperativas são fundamentais no supor-te às ações econômicas dos co-operados, com forte responsabilidade social e ambiental. “Em 2007, as cooperativas devem fechar o ano com um faturamento global superior a R$ 18 bilhões. Elas geram 770 mil postos de trabalho e os investimentos, neste ano, superaram R$ 1,1 bilhão, totalizando 2,5 bilhões desde 2005. Com isso, a organização estima que a meta de investimentos de R$ 3,5 bilhões para ser alcançada entre 2005 a 2010 será superada. São fiéis arrecadadoras de tributos e contribuições aos governos e, neste ano, devem ser recolhidos aos cofres públicos mais de R$ 870 milhões”, frisou Koslovski, destacando a formação e a educação, realizadas através do Sescoop, que treinou mais de 111 mil cooperativistas através de 2.950 eventos.

Pendências – Depois de comentar as conquistas, Koslovski alinhou as várias pendências que afetam as cooperativas, cuja solução depende especialmente de decisão governamental. Entre as pendências, citou a cobrança do IR dos cooperados do ramo transporte; vale pedágio; implementação do Programa de Capitalização das Cooperativas Agropecuárias; aprovação da Lei Cooperativista; implementação da importação de agroquímicos genéricos; regulamentação da parceria agrícola e a implementação de uma política de garantia de renda ao agricultor.

Autoridades – O Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses contou com a presença dos ministros Reinhold Stephanes (Agricultura) e Paulo Bernardo (Planejamento); do presidente da OCB, Márcio Lopes de Freitas; dos deputados federais da Frente Parlamentar Cooperativista (Frencoop) Abelardo Lupion e Eduardo Sciarra; dos secretários estaduais Valter Bianchini (Agricultura) e Rasca Rodrigues (Meio Ambiente e Recursos Hídricos); dos deputados estaduais Augustinho Zucchi e Élio Lino Rusch; dos presidentes ou representantes da Fiep, Fecomércio, Associação Comercial do Paraná, Faep, Junta Comercial do Paraná, Banco do Brasil, BRDE, Coep e Claspar. Também estavam presentes os diretores do Sistema Ocepar.

Exportações devem crescer 20% no próximo ano

As cooperativas paranaenses devem movimentar cerca de R$ 20 bilhões em 2008. A estimativa foi anunciada pela Ocepar e é otimista também em relação à exportação de produtos agrícolas. “A nossa previsão é de que haja um crescimento de até 20% nas exportações para o próximo ano. Nesse ano, as cooperativas exportaram cerca de 40 produtos para mais de 70 países. O faturamento de 2007 do cooperativismo paranaense deve ser acima de R$ 18 bilhões, o maior dos últimos dez anos”, disse Koslovski.

Paraná entre os primeiros do país no agronegócio

Segundo levantamento do Ministério da Agricultura, Produção e Abastecimento (Mapa), o Paraná está na vanguarda da produção agropecuária brasileira. O Estado é o primeiro na produção e exportação de frango no Brasil, é o campeão na produção de  milho, trigo, feijão e cevada, e está na segunda posição na produção de soja e açúcar, em terceiro, na produção de suínos.

Ocepar elogia ministros e deputados

O presidente da Ocepar, João Paulo Koslovski, destacou que as cooperativas e a Ocepar têm obtido imprescindível apoio dos ministros Reinhold Stephanes e Paulo Bernardo, dos deputados integrantes da Frencoop, Abelardo Lupion e Eduardo Sciarra, com a decisiva participação do presidente da OCB, Márcio Lopes de Freitas. Citou inclusive as leis, decretos e instruções normativas aprovadas durante o ano, solucionando pendências que travavam a atuação de diversos ramos de cooperativas. A Lei 11.524, por exemplo, criou o Fundo de Recebíveis do Agronegócio e transferiu para o Sescoop o recolhimento de tributos destinados a projetos de formação.

Planejamento das Ações para 2008

O planejamento estratégico do cooperativismo paranaense para 2008 terá como base as sugestões apresentadas pelas cooperativas nas reuniões de núcleos, realizadas no mês de novembro em várias regiões do Estado. Entre as quais, a aprovação da legislação que regulamenta o “Ato Cooperativo” e a nova Lei Cooperativista; interceder junto ao governo para equacionar as dificuldades de reconhecimento do crédito tributário e buscar o equacionamento do endividamento do setor rural e das cooperativas. Há, também as ações específicas para os ramos do cooperativismo, como a revisão dos preços mínimos e melhoria do seguro agrícola.

Stephanes: “agricultura vive momento novo”

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o paranaense Reinhold Stephanes, destacou no seu pronunciamento aos cooperativistas que apesar das mudanças climáticas, há um aumento na demanda por produtos agrícolas. “É um momento novo para a agricultura, primeiro porque há um aumento de demanda por alimentos. Segundo, porque há o biodiesel”, afirmou.

“Cooperativismo é uma Potência!” – Para o ministro Stephanes, o Paraná sempre foi destaque desde a sua estruturação há 40 anos e o seu cooperativismo de forma ímpar é exemplo a nível nacional. Entre os pontos principais integrantes da agenda do seu ministério para 2008, ele destaca entre outras prioridades o trabalho referente a defesa sanitária e vegetal, o equacionamento do endividamento agrícola de forma definitiva e a criação de um seguro que minimize ou elimine as questões climáticas, além dos problemas de logísticas. “Temos uma agenda vasta de assuntos que estamos trabalhando para estruturar a médio e a longo prazo a agricultura brasileira”. O ministro também teceu elogios à Coamo, afirmando a sua importância para o agronegócio brasileiro. “A Coamo é uma cooperativa extraordinária e vem crescendo; tem bons cooperados e é exemplo para todo o país”.