Site Coamo
Coamo Agroindustrial Cooperativa | Edição 400 | Dezembro de 2010 | Campo Mourão - Paraná

40 Anos

O orgulho de ser Coamo

Celebração dos 40 anos da Coamo é marcada pela emoção e consolidação do compromisso tem levado a cooperativa a um caminho cada vez mais sólido para enfrentar todos os desafios dos novos tempos

“Sou a força dessa terra; orgulho da nação; o sangue dessa gente; sou Coamo de coração”. No refrão do jingle que embalou a celebração dos 40 anos da maior cooperativa da América Latina, o retrato de um sentimento que marcou toda a sua trajetória de vida. A expressão de um grande sonho que virou uma bela realidade, e que continua forte, colaborando para o desenvolvimento do cooperativismo e do agronegócio nacional, em busca de um país melhor para as futuras gerações.

Constituída no dia 28 de novembro de 1970, a Coamo é, hoje, a maior cooperativa da América Latina. Com sede em Campo Mourão, no Noroeste do Paraná, a Coamo plantou, ao longo de quadro décadas, sementes que renderam bons frutos. Uma história constituída de fatos e que retrata uma filosofia incorporada pelo trabalho de milhares de homens e mulheres. O projeto inicial da cooperativa foi endossado por 79 agricultores pioneiros, que, imbuídos pelo desejo de se fortalecerem enquanto produtores rurais, sobretudo garantir a armazenagem e comercialização das suas safras, gravaram os seus nomes na história da cooperativa.

Hoje, quatro décadas depois, a Coamo comemora a conquista de objetivos jamais imaginados pelos pioneiros. “Hoje, somos uma das maiores empresas do cenário econômico nacional e com forte participação no mercado internacional. Uma cooperativa que fatura cerca de R$ 5 bilhões anuais e está presente em 60 municípios de três estados brasileiros: Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, com um quadro social composto por 23 mil agricultores. Somos a força, o orgulho, o sangue e o coração de milhares de agricultores brasileiros, que ainda transformam sonhos em realidades”, afirma o idealizador e diretor-presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini.




Café da manhã simultâneo

Uma extensa programação foi montada para celebrar o aniversário da cooperativa. As atividades foram concentradas durante a manhã do dia 26 de novembro e aconteceram simultaneamente em todas as 113 unidades da Coamo.

Os entrepostos abriram as portas às 7h30 com uma grata surpresa para os associados. Como parte das comemorações dos 40 anos de fundação, a cooperativa serviu um café da manhã para os produtores rurais e demais convidados. Durante o evento, os presentes assistiram a um vídeo em que o idealizador e diretor-presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini, apresentou os fatores que levaram a cooperativa ao sucesso. Eles também acompanharam o lançamento do livro Coamo 40 anos, que resgata a história da cooperativa desde a sua idealização aos dias atuais.

Em Campo Mourão, a programação especial do dia foi além. Além do café da manhã, servido no saguão do entreposto local, os 79 associados fundadores receberam homenagem da diretoria da cooperativa, em solenidade que aconteceu defronte ao prédio da Administração Central. Antes, porém, foi celebrado culto ecumênico para autoridades e convidados, e também feito o lançamento do livro Coamo 40 anos.

Seis horas de solenidade: livro histórico e homenagens

Na presença da Diretoria Executiva, conselhos de Administração e Fiscal, lideranças dos comitês educativos, cooperados fundadores e familiares, lideranças políticas e empresariais, funcionários da cooperativa e demais convidados, a solenidade que marcou a comemoração do aniversário de 40 anos da Coamo teve duração de seis horas. Perto de mil pessoas acompanharam a programação, que foi aberta com um culto ecumênico, co-celebrado pelo padre Ademar Lins, da Catedral São José, e pelo pastor Arnildo Klub, da Igreja Presbiteriana do Brasil, ambas em Campo Mourão.

LIVRO HISTÓRICO – Em seguida, o diretor-presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini, fez o lançamento do livro que retrata a história dos 40 anos da cooperativa, dedicando os primeiros dois exemplares ao secretário de Agricultura do Paraná, Érikson Camargo Chandoha, que representou, na solenidade, o governador do Estado, Orlando Pessutti; e ao prefeito de Campo Mourão, Nelson José Tureck. Idealizado pela Coamo, o livro foi escrito pelo jornalista Eloy Olinto Setti, com experiência de mais de 20 anos na comunicação cooperativista paranaense. “Nas páginas desta obra histórica os leitores terão a oportunidade de ver o importante trabalho realizado por milhares de pessoas para que a Coamo chegasse aonde chegou como uma cooperativa de orgulho dos seus integrantes”, disse Gallassini.

HOMENAGEM AOS FUNDADORES – O ponto alto da solenidade foi a homenagem aos 79 agricultores que fundaram a Coamo. Os pioneiros foram lembrados com emoção porque ainda são espelhos que refletem a imagem do sucesso construído pela Coamo nas quatro décadas de estabelecimento da cooperativa. Eles, ao lado do idealizador do projeto, José Aroldo Gallassini – agrônomo recém formado, na época, e atuando como extensionista da Acarpa (hoje Emater) -, lançaram a semente do cooperativismo na região de Campo Mourão.

A homenagem aos pioneiros foi marcada pela entrega de uma placa metálica que simboliza os ideais da Coamo; um exemplar do livro histórico; e um boton com a logomarca dos 40 anos. O reconhecimento foi repassado a 65 pessoas, entre elas os próprios cooperados fundadores ou seus representantes. “Para nossa alegria, a maioria dos que puderam estiveram conosco. E destes, alguns ainda estão ativos na Coamo”, comemorou Gallassini.

MAIS HOMENAGENS – Na condição de idealizador da Coamo, Gallassini também foi homenageado durante a solenidade. O reconhecimento foi feito pelos mais de cinco mil funcionários da Coamo, Credicoamo, Arcam, Via Sollus e FUPS, por meio da entrega de uma escultura. A peça foi produzida em alumínio por profissionais do setor de Tornearia da Gerência de Engenharia e Manutenção da Coamo, em Campo Mourão, e entregue pelo funcionário Lauro Sedoski. A obra apresenta um grafismo único centrado na logomarca dos 40 anos da cooperativa.

O funcionário da Coamo com mais tempo de casa também foi homenageado. Trata-se de Djalma Cândido de Godoy, que trabalha na cooperativa há 36 anos, e recebeu do presidente da Coamo uma placa histórica. Hoje, cerca de 28% dos funcionários têm mais de 10 anos de serviços prestados à cooperativa.

E a terceira homenagem da manhã foi para o cooperado fundador Nelson Teodoro de Oliveira, número 48. Ele fez parte de todos os conselhos de Administração da Coamo, desde a fundação da cooperativa, participando ativamente da gestão dos três presidentes que já ocuparam o cargo. Emocionado, o produtor recebeu de Gallassini uma escultura em cristal com dedicatória e reconhecimento pelo espírito cooperativista demonstrado pela participação do associado em toda a história da cooperativa. “É um grande orgulho representar os cooperados fundadores nesta homenagem. Um reconhecimento que envaidece a todos nós, porque construímos algo que ficará marcado para sempre na história”, agradeceu Oliveira.

MONUMENTO AOS PIONEI-ROS – Depois das homenagens, cooperados, autoridades e convidados acompanharam o descerramento de placas alusivas aos 40 anos da Coamo, defronte ao monumento aos pioneiros, inaugurado em 2000. Em seguida, fundadores e familiares, bem como autoridades e convidados, participaram de um almoço servido na sede social da Associação dos Funcionários da Coamo (Arcam).




De volta ao passado

Pioneiros revivem dia história do início da Coamo. 65 fundadores ou seus representantes, dos 79 constituintes, foram homenageados pela cooperativa

Ao sonharem com uma vida melhor para as suas famílias, os 79 agricultores que fundaram a Coamo sequer imaginavam que em apenas quatro décadas poderiam reviver a data histórica da fundação da cooperativa, sobretudo com ela consolidada como uma das maiores empresas brasileiras. E uma boa parte dos constituintes teve esse privilégio. Durante as comemorações dos 40 anos da Coamo, 65 fundadores, ou seus representantes, compareceram à solenidade que celebrou a data e foram homenageados pela diretoria da cooperativa.

Os pioneiros receberam carinho e gratidão por terem acreditado na força da unidade e da solidariedade entre os homens do campo. E, também, foram agraciados com uma placa comemorativa, um exemplar do livro Coamo, 40 anos, e um boton com a logomarca da Coamo 40 anos. As lembranças foram entregues pelo idealizador e diretor-presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini; o diretor vice-presidente, Cláudio Francisco Bianchi Rizzato; e o diretor-secretário da Coamo, Ricardo Accioly Calderari.



































Autoridades enaltecem trajetória da Coamo e de José Aroldo Gallassini

Governador do Paraná, Orlando Pessutti, lembra das marcas positivas que a Coamo e o cooperativismo deixaram para o Estado nos últimos 40 anos e os sonhos que foram realizados nesse período

Em seus pronunciamentos, as autoridades presentes à solenidade de celebração dos 40 anos da Coamo destacaram a importância da cooperativa na geração de oportunidades econômicas e sociais para o Paraná e o Brasil. Eles também enfatizaram o caráter e o trabalho do idealizador e diretor-presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini, que tem sido exemplo para uma geração de dirigentes cooperativistas.

MARCAS POSITIVAS – “Marcas do que se foi; sonhos que vamos ter. Como todo dia nasce, novo em cada amanhecer”. Com um fragmento da poesia imortalizada em música, o governador do Estado do Paraná, Orlando Pessutti, encerrou seu discurso no durante as comemorações dos 40 anos da Coamo, em Campo Mourão. Vindo especialmente para o evento, Pessutti citou o refrão da canção, lembrando das marcas positivas que a Coamo e o cooperativismo deixaram para o Estado nos últimos 40 anos e os sonhos que foram realizados neste período.

O governador não economizou elogios ao destacar a história da Coamo e a importância da cooperativa para o setor agropecuário paranaense e brasileiro. “Todos sabem o quanto esta região prosperou nos últimos anos. Eu especialmente, porque já estive aqui como estudante; como extensionista rural; como deputado estadual; como presidente da Assembléia Legislativa do Paraná; como secretário de Estado da Agricultura e como vice-governador, sempre como amigo, como irmão. E hoje venho como governador do Estado do Paraná”. Pessutti fez questão de realçar a parceria com a maior cooperativa da América Latina, que é paranaense. “Somos parceiros e, portanto, celebremos sim esse momento, pois é momento de dizermos que somos Coamo de co-ração, que temos orgulho e que temos sonhos”, disse Pessutti, lembrando outra poesia musical: “cada um compõe a sua própria história e carrega o do dom de ser capaz e de ser feliz”. E afirmou: “Como fez o idealizador da Coamo, José Aroldo Gallassini, ao lançar a semente de criação da Coamo e cultivá-la até hoje. Eu acho que a história de Aroldo Gallassini se mistura coma história da Coamo. A Coamo não seria o que é sem o Gallassini e o Gallassini não seria o que é sem a Coamo, sem a Marli e sem as suas filhas”, concluiu Pessutti.

PARTICIPAÇÃO ATIVA – Quem também se pronunciou foi o Secretário Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paraná (Seab), Erickson Camargo Chandoha. O mourãoense observou que acompanhou de perto o crescimento da Coamo, tendo sido, inclusive, associado à cooperativa. Ele elogiou a filosofia cooperativista defendida pela Coamo nesses anos e a forma como a diretoria conduziu esse processo de crescimento. “Temos realmente que parabenizar a todos, em especial os seus fundadores, que junto com o Gallassini tiveram a coragem de levantar essa bandeira e fazer desse sonho uma realidade”, comentou o secretário, que lembrou ainda da força da marca Coamo, já que hoje a cooperativa é conhecida mundialmente. “Recentemente falei em uma viajem que fiz para fora do país da marca Coamo, que hoje é conhecida e reconhecida mundo a fora”.

VIDA COMEÇA AOS 40 – Na opinião do Superintendente do Sindicato e Organização das Co-operativas do Paraná (Ocepar), José Roberto Ricken, se o ditado que diz que “a vida começa aos quarenta” for verdadeiro, é difícil de imaginar o que a Coamo será capaz de fazer no futuro. Para ele, até aqui tudo que a Coamo fez já foi espetacular. “E nessa visão, nesse orgulho de ter a Coamo dentro do cooperativismo do Paraná é que nós acreditamos que a cooperação é a melhor forma de desenvolver as pessoas, porque só ela representa mais de 20% do cooperativismo paranaense”, destaca Ricken.

VIVA A COAMO – Para o prefeito de Campo Mourão, Nelson José Tureck, a Coamo é o espelho da boa administração e a competência da sua diretoria, na pessoa do presidente José Aroldo Gallassini. Ele enxerga a cooperativa como símbolo do desenvolvimento do município e da região. “A Coamo é um orgulho, um patrimônio nosso. Uma empresa que distribui renda, riqueza e agrega muitos valores para a nossa comunidade”, argumenta. “Eu conheço a história e a diretoria da Coamo. Posso afirmar que se não fosse ela eu acho que nem seria prefeito. Pois me candidatei baseado no projeto da Coamo de geração de emprego e renda e de produzir e industrializar alimentos para por na mesa dos cidadãos do Paraná, do Brasil e do mundo”, confessa.

PRODUÇÃO RESPONSÁVEL – O presidente da Câmara de Vereadores de Campo Mourão, Eraldo Teodoro de Oliveira, lembrou que o crescimento da Coamo foi consolidado de forma responsável. “A cooperativa vem trilhando o caminho da evolução em todos os sentidos e está voltada para a sustentabilidade nos processos de produção, valorizando o social e o econômico, e garantindo melhor qualidade de vida e trabalho para as pessoas, para o ambiente onde vivemos e, sobretudo, para as futuras gerações”, enalteceu Oliveira.

UM EXEMPLO A SER SEGUIDO – “Brusque, gerou; Curitiba, formou; Campo Mourão, adotou e o mundo admira este que através de um sonho transformou uma região em uma realidade que assusta”. Com essa frase o mourãoense Ademar Batista de Melo descreveu a trajetória de José Aroldo Gallassini. Ele focou a ideologia do líder cooperativista em criar na região de Campo Mourão, uma cooperativa agrícola que resolvesse os problemas dos produtores rurais.

“Assim como Gallassini, a Coamo é uma cooperativa respeitada no Brasil e admirada no mundo inteiro”. O mourãoense, que é companheiro de Gallassini no Rotary Clube, emendou: “Essa confiança foi construída com muita humildade, característica que diferencia o grande líder”, valorizou.