Site Coamo
Coamo Agroindustrial Cooperativa | Edição 410 | Dezembro de 2011 | Campo Mourão - Paraná

Atualizacao

Encontro tecnológico em Goioerê

Agricultura de precisão, a situação do seguro agrícola no Brasil e como obter altos rendimentos no milho safrinha foram temas do evento

Levar conhecimento aos cooperados por meio da constante atualização é o objetivo do Departamento Técnico da Coamo. Dando continuidade a essa proposta, as unidades de Goioerê e Rancho Alegre do Oeste, região Centro-Oeste do Paraná, realizaram no dia 11 de novembro, o 1º Encontro de Tecnologia em Produção. Os temas palestrados foram sobre agricultura de precisão, situação do seguro agrícola no Brasil e como obter altos rendimentos no milho safrinha.

Para o cooperado Wagner Menechini, de Goioerê, esses eventos são muito importantes devido a atualização das novas tecnologias que vão surgindo. Ele destaca que a palestra sobre milho safrinha foi uma ótima oportunidade para o cooperado se programar para a safra de inverno. "Planejamento é tudo. Hoje, para garantir os híbridos da sua preferência é preciso se antecipar", ressalta.

 

Seguro Receita

Quando o assunto é segurança para o produtor rural e sua propriedade, a Credicoamo se mantém na vanguarda e busca constantemente inovar. A última novidade que a cooperativa de crédito trouxe ao cooperado é uma parceria com a UBF seguros, onde foi desenvolvido um produto que consiste na segurança de até 70% da receita do agricultor.

De acordo com o representante da UBF Seguros, Rodrigo Rocha, que palestrou durante o encontro em Goioerê, o seguro receita surgiu para atender uma demanda muito antiga do produtor rural. "Esse produto vem para garantir não apenas a safra, mas também a receita, aquilo que de fato entra no bolso dele ao final de um ciclo cansativo de esforço", esclarece.

Rocha destaca que o seguro receita na prática, é composto por produtividade e preço. "Se multiplica esses dois fatores e estabelece o que chamamos de receita esperada. Esse é o grande benefício que o seguro receita traz, porque muitas vezes mesmo colhendo com uma produtividade boa, se o preço de soja cai ou tem uma variação cambial brusca a receita pode ser comprometida e o objetivo é complementá-la."

 

 

Agricultura de precisão

A agricultura tem avançado, novidades surgem constantemente e manter-se atualizado é uma prática fundamental para o produtor que pretende atingir altas produtividades. Cada vez mais ao alcance de todos, a pesquisa agrega valor e mostra que é possível quebrar paradigmas e utilizar essas tecnologias. Uma dessas novas técnicas é a agricultura de precisão.

O engenheiro agrônomo, Antonio Muniz Junior, falou sobre o assunto no encontro. Ele explica que a agricultura de precisão tem crescido e hoje o produtor precisa acreditar que é algo acessível.

Muniz esclarece que os níveis de produção do Brasil não ficam atrás dos maiores produtores do mundo, principalmente em soja e milho. "Nossa produção é ótima, mas podemos crescer ainda mais. As novas tecnologias, como a agricultura de precisão, podem ajudar e muito a elevar os tetos de produção e melhorar a rentabilidade do produtor que no Paraná já é muito boa".

Boas perspectivas para o milho safrinha

O milho safrinha tem crescido gradativamente. Com produtividades cada vez mais altas o produtor precisa aproveitar as boas perspectivas e se preparar com antecedência para a safra de inverno. O engenheiro agrônomo, Antônio Luiz Fancelli doutor em agronomia pela Universidade de São Paulo (USP), também esteve presente no encontro tecnológico de Goioerê. Ele fez recomendações aos produtores para que possam obter alto rendimento no milho safrinha.

Dentre as informações destacadas pelo professor, estão a escolha do híbrido adequado para cada região e a época certa para a semeadura. Além disso, ele diz que é preciso utilizar o tratamento de sementes, objetivando aumentar o enraizamento, fundamental para o milho safrinha. Fancelli elenca que bioreguladores de qualidade também são recomendados e uso de inseticida a base de neonicotinóides para evitar surtos ou ataques de percevejos.

Outro aspecto funda-mental, segundo Antônio Luiz Fancelli é a questão da velocidade do plantio. "Depois de regulada a semeadera, o produtor precisa plantar o milho de forma tranquila, comprometido com a qualidade da operação, sem ultrapassar a velocidade de 6km/h".

"Esses cuidados favore-cem o desenvolvimento inicial do milho e garantem um potencial de produção satisfatório", alerta Fancelli ao reforçar a importância de o produtor manter-se atualizado e seguir as recomendações do departamento técnico para obter um alto rendimento.