Site Coamo
Coamo Agroindustrial Cooperativa | Edição 410 | Dezembro de 2011 | Campo Mourão - Paraná

Safra de Verão

Uso de tecnologias e safra promissora

Com planejamento e atento ao uso das inovações, cooperado de Aral Moreira, Mato Grosso do Sul, está confiante em boas produtividades

Adepto das tecnologias, como agricultura de precisão, além de outras inovações, o cooperado Jair Defendi, de Aral Moreira, Mato Grosso do Sul, conta com uma propriedade de 206 alqueires. Associado da Coamo desde 2005, ele diz que a expectativa para essa safra de verão é positiva, sendo esperadas 145 sacas por alqueires na colheita da soja prevista para janeiro.

O engenheiro agrônomo do Detec de Aral Moreira, Eduardo Xavier do Nascimento, explica que o plantio de Defendi foi antecipado em 15 dias. "Com variedades adaptadas a cada situação, temos uma previsão melhor que a do ano passado. E com o clima, que até o momento está favorável, a expectativa é de superar a safra anterior", conta.

Para Eduardo Nascimento, o fato de o cooperado investir em tecnologias e se planejar tem contribuindo para que o desenvolvimento das lavouras seja cada vez melhor. "Os cooperados estão buscando se atualizar, e como consequência, notamos que as produtividades estão sendo maiores. Tem tudo para cada ano ser melhor mesmo", ressalta.

Safra de inverno - A safra de inverno para Jair Defendi também já está encaminhada. Sempre atento ao momento certo para a compra de insumos ele já está preparado. "O caminho é se antecipar e se organizar com apoio da Coamo. Agora é só torcer para que o clima ajude, porque nossa parte já fizemos", diz o cooperado.

A importância dessa organização também é ressaltada pelo agrônomo Eduardo Nascimento. "Grande parte dos cooperados já reservaram seus insumos, assim como Jair Defendi. Já temos definida uma grande área de safrinha para a nossa região, e se tudo correr bem, teremos um bom plantio."

Profissionalismo e planejamento na lavoura

O cooperado Luiz Aparecido de Carvalho, de Ivaiporã, região Vale do Ivaí, no Paraná, encara a atividade agrícola com muito profissionalismo. Todas as ações são planejadas, e assim, ele consegue contabilizar as despesas e os investimentos. Com isso, ao final de cada safra consegue saber qual foi o lucro.

O cooperado plantou 60 alqueires de soja e pretende alcançar uma produção de dez mil sacas, o que daria uma média de 166 sacas por alqueire. E para alcançar esse objetivo, o trabalho é desenvolvido em parceria com a Coamo que oferece toda a tecnologia e insumos de ponta, além de acompanhamento da assistência técnica. "Sem um bom parceiro não é possível alcançar o sucesso", diz o cooperado.

Na visão do produtor o negócio agrícola tem que ser administrado como uma empresa. Todo o trabalho desenvolvido na propriedade, que vai desde o plantio, pulverização e colheita, é terceirizado e com isso, segundo Carvalho, é possível ter 100% de controle da empresa agrícola. "No final de cada safra eu sei o quanto gastei e o quanto me sobrou de lucro. Pago para plantar, para pulverizar, pela mão de obra e o que sobra é o lucro real", assinala.

Adepto as novas tecnologias, o cooperado ressalta que o objetivo é sempre produzir mais, pois os custos existem e a única saída é administrar o negócio e ter uma boa produção. "Vejo que o grande problema do agricultor é não saber quanto ganha. Ter esse controle só é possível com administração e evidentemente, com um bom parceiro", destaca se referindo ao trabalho desenvolvido com a Coamo.

Contabilizar os gastos - O encarregado do Detec da Coamo em Ivaiporã, João Francisco Pazda Júnior, reforça a importância de cada cooperado contabilizar seus gastos e investimentos nas lavouras. Para ele, só assim conseguirá saber o que a atividade está gerando de lucro. Sobre a nova safra implantada, João destaca que o trabalho está sendo desenvolvido com o objetivo de ultrapassar a média de produtividade alcançada na safra passada, que foi de 160 sacas de soja por alqueire e que deu ao entreposto de Ivaiporã o título de campeão em produtividade de soja na área de ação da Coamo.

Perspectiva positiva com a nova safra em Rancho Alegre

Com a expectativa de altas produtividades na safra de verão, o cooperado José Evaristo Ocan, de Rancho Alegre do Oeste, região Centro-Oeste do Paraná, está otimista. A colheita passada foi satisfatória e a perspectiva para essa nova safra é ainda melhor. "Buscamos acompanhar os avanços tecnológicos o que vem a somar para que possamos atingir o máximo possível de produtividade", conta.

O engenheiro agrônomo do Detec de Goierê, Jean José de Almeida conta que o plantio foi feito de 20 de setembro a 20 de outubro. Além do clima quente, o fato dos cooperados estarem buscando se atualizar constantemente tem favorecido as lavouras. "O cooperado está consciente por conta dos treinamentos e estão aumentando o uso dessas tecnologias e consequentemente a produção final. Ele precisa ser um empresário, onde a sua empresa está a céu aberto", explica.