Agricultura

Tecnologia rende resultados

Cooperados de Fênix investem em tecnologia e aumentam produtividade de milho

Rudek: Produtividade 35% maior e expectativa na safrinha
Os cooperados da região de Fênix estão bastante otimistas com a média de produtividade alcançada na colheita de milho, nesta safra de verão. "A cultura não era muito bem aceita na região, já que não alcançava boa produtividade", revela o engenheiro agrônomo Antonio Carlos Mazei, gerente do entreposto da Coamo em Fênix. Segundo ele, o limite estava, principalmente, na condição de
clima que não é muito favorável para a cultura do milho. "No entanto, com o trabalho do Detec da Coamo e a chegada de novas tecnologias, essa realidade mudou, e hoje muitos produtores acreditam no alto potencial do milho e estão obtendo bons lucros com o cereal", afirma.

É o caso do cooperado Sérgio Rudek, que nesta safra obteve um aumento de 35% na produção da sua lavoura de milho. Na última colheita a média por alqueire em sua área foi de 298 sacas, e neste ano ultrapassou as 350 sacas por alqueire. Ele atribui o significativo aumento de produtividade a melhor tecnologia aplicada, com a utilização de novas variedades adaptadas para a região, e melhor adubação. 

"Com este aumento de produtividade vou livrar meu custo de produção, mais uma prova de que vale a pena investir em tecnologia", destaca. O agricultor hoje, na opinião de Rudek, "tem que olhar com muito bons olhos para as novas tecnologias e sempre estar em contato com a área técnica da cooperativa, que passa excelentes informações técnicas para o bom desenvolvimento da lavoura".

O cooperado adotou o plantio direto há 12 anos. Ele também não abre mão do esquema de rotação de culturas. Na sucessão do milho recém colhido, Rudek plantou milho safrinha em parte da área de 100 alqueires. Cerca de 75% da área será ocupada com aveia e trigo, durante o período de inverno.

Sérgio Rudek acredita que uma lavoura de milho bem planejada pode render igual, ou em alguns casos melhor que a soja. Isso, pelos bons preços que atingiu o cereal e pelos nutrientes da palhada que protege o solo logo após a colheita, propiciando um bom equilíbrio da terra para o plantio de outras culturas.
Na safrinha, Rudek espera colher uma produtividade em torno de 250 sacas por alqueire.

 

Mamborê:
Evolutec apresenta novidades em milho

O entreposto da Coamo em Mamborê realizou pelo terceiro ano consecutivo, no início de fevereiro, o Evolutec – um dia de campo para apresentar as novidades em híbridos de milho recomendados para a região. Centenas de cooperados participaram do evento. Durante todo o dia, eles conheceram 18 novos híbridos, que estão sendo colocados no mercado. 

O evento foi realizado na Fazenda Menin, de propriedade do cooperado Antonio Celso Menin. "Hoje em dia o volume de híbridos lançados anualmente é muito grande. Por isso a gente tem colocado esses materiais a campo, inclusive para servir de avaliação para podermos ter segurança naquilo que estamos disponibilizando para o nosso cooperado", disse Marcelo Cidin Bozengo, engenheiro agrônomo do Detec da Coamo, em Mamborê. 

Bozengo lembra ainda que a cada ano o número de produtores que participam do evento tem aumentado. "Eles se baseiam nos resultados para plantar a próxima safra, escolhendo o híbrido que melhor se adapte à realidade da sua propriedade".

 

Alta produtividade no início da colheita

Pasquali: livrando a lavoura de soja com o resultado no milho
Os cooperados da Coamo conduzem a colheita de milho de olho no cultivo da segunda safra (safrinha). É o caso de Ênio Pasquali, cooperado da Coamo, em Campo Mourão. Neste verão, o milho ocupou 70 alqueires da propriedade do agricultor. O cereal foi incorporado ao sistema de produção de Pasquali objetivando a rotação de culturas com a soja. "Gostei tanto dos primeiros resultados que hoje não abro mão
de cultivar 30% da minha área com o milho", conta.

Com a colheita do cereal já encerrada, Pasquali comemora os bons resultados. "Estou mantendo uma boa média de produtividade, em função do equilíbrio dos nutrientes do solo e da aplicação das tecnologias preconizadas pela assistência técnica", revela. Segundo ele, a produtividade média desta safra fechou em 382 sacas por alqueire.

Com o volume colhido, Ênio Pasquali já fez as contas. Vai aproveitar os bons preços do cereal para amortizar os custos de produção de toda a safra. "Assim, acabo livrando a lavoura de soja, que será transformada em lucro limpo", contabiliza.

Safrinha -
Da previsão inicial, a colheita do milho na propriedade de Ênio Pasquali foi antecipada em praticamente duas semanas. Isso acabou animando ainda mais o agricultor, que ganhou tempo no cultivo da segunda safra (safrinha). Junto com a colheita, Pasquali também plantou a lavoura. "As colheitadeiras foram à frente e a plantadeira atrás. O tempo é fundamental no sucesso da safrinha e, por isso, trabalhamos com agilidade", destaca.

CAMINHO
A busca constante por produtividades cada vez mais elevadas, racionalizando o uso do solo e utilizando o máximo do potencial tecnológico, é o principal objetivo da assistência técnica da Coamo. "O cooperado sabe disso e o quadro técnico da Coamo está preparado para oferecer este suporte a ele", afirma o engenheiro agrônomo Roberto Bueno da Silva, do Detec da Coamo em Campo Mourão.