Opinião
Editorial:
O melhor ano da história da Coamo

Engenheiro agrônomo José Aroldo Gallassini, diretor-presidente da Coamo

"A elevação dos preços internacionais, associado a desvalorização do real, propiciaram melhores preços na comercialização da produção"
 
Dr. Aroldo Gallassini: "buscamos continuamente o desenvolvimento do quadro social"

Com satisfação apresentamos no último dia 20 de fevereiro aos nossos cooperados, por ocasião da 33ª Assembléia Geral Ordinária, o relatório da gestão sobre as atividades desenvolvidas pela nossa administração durante o ano de 2002 e as demonstrações contábeis da Coamo, relativas ao exercício encerrado em 31 de dezembro. Independente das crises mundiais dos últimos
anos, o desempenho econômico-financeiro da Coamo tem sido positivo, refletindo o acerto na condução de sua administração.

Em 2002, que podemos considerar como o melhor ano da história da cooperativa, a receita global atingiu R$2,27 bilhões, com um crescimento de 41,9% em relação ao ano de 2001. As sobras líquidas foram 77,2% superiores as do ano de 2001, atingindo o montante de R$170,54 milhões, e já estão sendo distribuídas aos nossos cooperados desde o último dia 24 de fevereiro. O Ativo Total cresceu 35,4%, atingindo o montante de R$1,29 bilhão e encerramos o ano com um Patrimônio Líquido de R$589,39 milhões, representando um crescimento de 25,1% em relação ao ano de 2001. O índice de liquidez geral ficou em 1,58 e o grau de endividamento em 48,8%, o qual, se confrontarmos o valor dos empréstimos com o valor disponível em bancos, reduz para 31,3%. 

A desvalorização do real e a elevação das taxas de juros afetaram diretamente os custos do setor agropecuário em 2002, já que ocorreram justamente num período em que os insumos da safra de verão estavam sendo adquiridos, em função de que grande parte do custo de produção é formada por produtos importados. A Coamo, acompanhando o cenário que se apresentava, procedeu a aquisição antecipada dos insumos da safra e forneceu aos seus associados a preços mais baixos do que o mercado, o que propiciou aos mesmos um baixo custo da produção. 

Por outro lado, a elevação dos preços internacionais das principais commodities agrícolas, em decorrência de fatores climáticos e da redução dos estoques mundiais, associado a desvalorização do real, propiciaram aos agricultores obterem melhores preços na comercialização da sua produção. 

Por estes motivos e com a ótima safra de verão obtida, novamente o setor agropecuário contribuiu significativamente com a balança comercial do país, gerando um superávit de US$20,35 bilhões no ano de 2002. A importância do agronegócio para o país, pela resposta rápida aos investimentos efetuados, foi reconhecida pelo Governo através da elevação dos recursos destinados ao financiamento do setor agropecuário de R$14,70 bilhões, na safra 2001/2002, para o valor de R$21,70 bilhões, na safra 2002/2003. Estes recursos propiciaram o aumento da produtividade e competitividade da agricultura brasileira. 

Apesar das adversidades que o ano apresentou, o dinamismo, a criatividade e a agilidade na gestão dos negócios da cooperativa, aliados ao incremento no fornecimento de insumos, aumento da produtividade média dos produtores, adoção de tecnologias modernas e a otimização das oportunidades de negócios, fez com que o ano de 2002 fosse o melhor ano da Coamo, refletindo diretamente em aumento da receita global dos seus cooperados.

Com a expectativa e a esperança de que este ano será ainda melhor que o ano anterior, iniciamos 2003 disponibilizando um grande benefício aos nossos cooperados efetuando o pagamento de 50% do capital social aos cooperados com mais de 65 anos de idade e 10 anos de filiação à Coamo; e pagamento de 100% do capital social aos cooperados com idade igual ou superior a 70 anos. Pela excelente situação econômico-financeira e pela capitalização da cooperativa, esta medida que beneficia mais de três mil cooperados foi bem aceita e valorizada, não coloca em risco a continuidade da gestão dos negócios da Coamo.

A participação dos nossos cooperados tem sido um dos fatores determinantes para o sucesso da Coamo. Iniciamos 2003 registrando expressiva participação de milhares de cooperados nas reuniões de campo, Assembléia Geral e no 15º Encontro na Fazenda Experimental da Coamo. Motivo de orgulho e satisfação para todos nós, pelo grande interesse, confiança, apoio e atuação exemplar do nosso quadro social na busca contínua de um maior desenvolvimento técnico, econômico e social. 

A colheita da safra de verão 2002/2003 foi iniciada com boas perspectivas. Esperamos que as condições climáticas continuem sendo favoráveis e que tenhamos êxito na colheita que ora iniciamos. Esperamos uma safra com novos registros de evoluções nas produtividades dos nossos cooperados, fator este que tem sido constante ao longo dos últimos anos, gerando renda e satisfação aos nossos cooperados. 

Finalizando, apresentamos os nossos sinceros agradecimentos aos nossos cooperados, companheiros de Conselho de Administração, Fiscal e Comitês Educativos, e funcionários pelo apoio recebido aos trabalhos desenvolvidos em 2002. Este incentivo e participação nos motiva a continuar enfrentando os desafios que nos são impostos diariamente para manter a nossa cooperativa em destaque no cenário nacional. Continuamos contando com todos nesta cruzada em prol do engrandecimento de nosso país, da nossa cooperativa e na realização plena dos anseios dos cooperados. Agradecemos também a Deus por mais um ano de excelentes resultados nas atividades à frente de nossa cooperativa com o apoio de todos, cooperados, diretores, funcionários, clientes e fornecedores. Muito obrigado.

"Novamente o setor agropecuário contribuiu significativamente com a balança comercial do país, gerando um superávit de US$20,35 bilhões no ano de 2002"