barra Site Coamo barra
Órgão de divulgação da COAMO Agroindustrial Cooperativa | Edição 349 | Jan/Fev de 2006 | Campo Mourão - Paraná

Especial – Sobras

Sobras são aplicadas na colheita

COOPERADOS CONTAM COM O DINHEIRO EXTRA EM ÉPOCA DE MUITO TRABALHO E POUCO RECURSOS

Depois de aprovadas as contas do exercício de 2005, durante a 37ª Assembléia Geral Ordinária, realizada no dia 17 de fevereiro, em Campo Mourão (Centro-Oeste do Paraná), a Coamo efetuou o pagamento das sobras aos cooperados. Parte do resultado líquido da cooperativa, as sobras fazem a alegria dos associados, que decidiram pelo retorno do dinheiro conforme a movimentação de cada um no abastecimento de insumos e na entrega da produção na cooperativa.

Tradicionalmente, o pagamento das sobras na Coamo é feito de forma simultânea em todos os entrepostos da cooperativa, nos estados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. As sobras da Coamo no exercício 2005 representaram montante de R$ 202,21 milhões, diante de receitas globais que totalizaram R$ 2,93 bilhões.

“Um resultado que merece ser comemorado por todos nós, diante das dificuldades que o setor agropecuário enfrentou no ano passado”, afirma o diretor-presidente da Coamo, Dr. Aroldo Gallassini. Ele lembra que o ano de 2005 foi muito difícil, com pressão inflacionária; elevação da taxa básica de juros; valorização da moeda brasileira; custo elevado da produção e estiagem. “O desempenho obtido pela Coamo em 2005 ratifica os sólidos alicerces em que são geradas as operações da cooperativa, que são construídos anualmente com base nas ações firmes da diretoria, na participação ativa dos associados e na postura do quadro de funcionários que conjuntamente objetivam a evolução constante da Coamo”, explica Gallassini.

Dinheiro na colheita - As sobras não poderiam chegar em melhor hora para os cooperados da Coamo. “O dinheiro é bem-vindo. Estamos iniciando a colheita e as sobras vão nos ajudar na preparação para o trabalho, como na revisão do maquinário e aquisição de óleo diesel”, ressalta Elimar Delcanale Ribeiro, esposa do cooperado Izival Batista Ribeiro, de Farol (Centro-Oeste do Paraná). “Assim, ganhamos mais fôlego na safra, podendo comercializar a produção no melhor momento”, salientou.

Elimar administra os negócios da família e faz questão de afirmar que as sobras não são fruto do acaso. “Este dinheiro é gerado pela nossa participação na cooperativa. Portanto, quanto mais participamos, mais ganhamos”, comemora. Nesta safra, ela cultivou 51 alqueires de soja e espera ter um bom resultado também na produção. A colheita já foi iniciada.

FALA COOPERADO:


Luiz de Sá Polizeli (Campo Mourão) – “Para nós é uma tradição. Nesta época nós contamos com as sobras e desde que sou cooperado da Coamo sempre obtive esTe benefício. É um dinheiro que vem sempre em boa hora”. Milton Munhoz (Luiziana) – “Mais uma vez as sobras chegam em boa hora. Vivemos um momento complicado e esse dinheiro vai nos ajudar muito. Não só o associado da Coamo espera essas sobras, mas também a economia local, onde esse dinheiro gira”. Davi do Santos (Araruna) – “Neste momento as sobras nos tiram do sufoco. É um grande beneficio, principalmente antecedendo a safra. Com esse dinheiro podemos nos preparar melhor par a colheita”.