barra Site Coamo barra
Órgão de divulgação da COAMO Agroindustrial Cooperativa | Edição 349 | Jan/Fev de 2006 | Campo Mourão - Paraná

Reuniões de Campo

Sinal verde para a informação

DIRETORIA DA COAMO PERCORRE ENTREPOSTOS NO PARANÁ, SANTA CATARINA E MATO GROSSO DO SUL E CONVERSA COM MAIS DE 8 MIL COOPERADOS EM MARATONA DE ENCONTROS QUE DUROU 12 DIAS, NUMA MÉDIA DE 3 REUNIÕES POR DIA

Informação é a palavra-chave para o sucesso de qualquer negócio. No campo dos associados da Coamo, informação é sinônimo de parceria. Desde a fundação da cooperativa, há 35 anos, a diretoria percorre os entrepostos, numa verdadeira maratona de reuniões para manter os cooperados bem informados. Este é um grande projeto de educação cooperativista da Coamo, que é colocado em prática duas vezes por ano, sempre no início e no final de cada safra.

E como manda a tradição, neste ano não poderia ser diferente. Com um calendário de 37 encontros para realizar em 12 dias, a diretoria da Coamo iniciou as Reuniões de Campo no dia 25 de janeiro. A média foi de 3 reuniões por dia, com participação de mais de 200 cooperados por reunião. “Uma agenda apertada, mas que cumprimos com entusiasmo, principalmente em razão da expressiva participação dos nossos cooperados, que, a exemplo do que acontece todos os anos, sempre buscam aprimorar as informações para acertar nas decisões”, elogia o presidente da Coamo, Dr. Aroldo Gallassini.

Pré-Assembléias – As reuniões do primeiro semestre são consideradas preparatórias para a Assembléia Geral da Coamo. A diretoria repassa ao quadro social dados da situação agrícola brasileira, com apresentação dos custos de produção, cenário econômico e as tendências de comercialização das principais comomodities. Também a situação geral da cooperativa e dos serviços realizados ao longo do ano anterior.

O presidente da Coamo, Dr. Aroldo Gallassini, participou de todas as reuniões. Ao avaliar o projeto, ele disse que a união de pensamentos em torno do mesmo objetivo é o que tem feito a diferença no trabalho da Coamo. “Quando puxamos todos para o mesmo lado nos tornamos mais fortes e capazes de derrubar todos os obstáculos que estão do outro lado”, filosofa.

FALA COOPERADO:

 

Paulino Brandeleiro (Candói)
“O agricultor moderno precisa estar bem informado e atualizado em todos os aspectos da nossa atividade. Apesar das dificuldades estamos confiantes em um bom ano para a agricultura”.

Atenção redobrada ao mercado de grãos

DIANTE DOS GARGALOS DO SETOR, COOPERADOS SÃO ORIENTADOS A VENDER A SAFRA EM FUNÇÃO DOS CUSTOS DA LAVOURA

O comportamento do mercado agrícola foi um dos temas centrais das Reuniões de Campo do primeiro semestre deste ano. Com o início da colheita da safra, cresce a preocupação dos produtores rurais com uma das principais dificuldades encontradas por eles: a comercialização da produção.

Diante dos gargalos do setor, como a baixa qualidade da safra de trigo e a dificuldade de exportação do cereal, e do mercado super ofertado para a soja, em função dos altos estoques mundiais, a diretoria recomendou cautela aos cooperados. “O melhor caminho para a comercialização da produção é vender em função do custo da lavoura”, orienta o presidente da Coamo, Dr. Aroldo Gallassini, que demonstra animação com o mercado de milho. “Houve uma queda generalizada na safra de verão e dependendo do volume da safrinha os preços devem melhorar”, analisa. Dr. Aroldo diz que a exportação é uma das alternativas que o produtor pode ter também neste ano.

Para a soja a situação é um pouco mais complicada. O estoque mundial da oleaginosa é de mais de 50 milhões de toneladas. “Isso é ruim para o preço”, afirma o presidente da Coamo. Ele revela que não há perspectiva para melhora nos preços em real. “A não ser que o governo mude a sua política econômica, baixando a taxa de juros e valorizando mais o dólar frente a moeda brasileira”, finaliza.

Projeto é valorizado pelos cooperados

MÉDIA DAS REUNIÕES FOI SUPERIOR A 200 PARTICIPANTES POR DIA, MANTENDO A TRADIÇÃO DE 35 ANOS DOS ENCONTROS

FALA COOPERADO:

Ervino Canevesi (Vila Nova) - “Essas reuniões são muito importantes. Através delas ficamos por dentro do que está acontecendo com a nossa cooperativa”. José Furlaneto (Araruna) - “Para nós, cooperados, as informações de mercado são fundamentais neste momento. A diretoria sabe disso e nos orienta, sempre corretamente”. Domingos Silva (Caarapó) - “As reuniões são interessantes, oportunas e muito realistas. A Coamo faz na prática o que prega na teoria e isso lhe dá ainda mais credibilidade junto ao quadro social”.

Semestre planejado

DIRETORIA SE ENCONTRA COM OS COOPERADOS, PARA O REPASSE DE INFORMAÇÕES, DUAS VEZES POR ANO, NO INÍCIO E NO FINAL DA SAFRA

Desde a sua fundação, a Coamo mantém estreita relação com o seu quadro social, com ações voltadas ao desenvolvimento econômico e social da família cooperada. As Reuniões de Campo são realizadas com este objetivo. Por esta razão o projeto é tão valorizado pelos cooperados. “Não é só educação cooperativista. É uma forma de preparar os nossos associados para os desafios que o mercado globalizado impõe”, resume o presidente da Coamo, Dr. Aroldo Gallassini.

As Reuniões de Campo são consideradas verdadeiros canais de informação, ligados diretamente ao quadro social da cooperativa.