Site Coamo
Coamo Agroindustrial Cooperativa | Edição 369 | Janeiro e Fevereiro de 2008 | Campo Mourão - Paraná

Pré-Assembléias

Informação na linguagem do campo

Mais de 8 mil cooperados prestigiam as Reuniões de Campo da Coamo, preparativas para a assembléia geral

Não há como negar. A informação é um dos melhores e mais importantes insumos para a propriedade rural. E um importante instrumento para o conhecimento e planejamento estratégico do quadro social, são as Reuniões de Campo da Coamo, realizadas duas vezes por ano pela diretoria da cooperativa, sempre no início e final de cada safra. Além de ser fator de integração social entre cooperados e diretoria, os encontros proporcionam ao cooperado o acesso à informação de qualidade e na medida certa.

Maratona – Neste primeiro semestre foram realizadas 36 reuniões em nove dias, com média de 4 encontros por dia, para um público de mais de 8 mil cooperados, numa grande maratona de 5 mil quilômetros percorridos no Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul.

Durante os encontros, o presidente da Coamo, Dr. Aroldo Gallassini, apresentou aos participantes a realidade atual da agricultura brasileira, as tendências da comercialização para a safra 2007/2008; além dos custos dos financiamentos das lavouras de verão e os resultados do exercício do ano 2007. “Felizmente divulgamos números positivos e boas perspectivas para o ano agrícola. Isso deixa o nosso cooperado mais animado, com a esperança renovada, depois de seguidas frustrações, em anos anteriores, que desfalcaram o meio rural”, co-menta Gallassini, lembrando ainda que “os encontros são positivos à medida que os cooperados têm grande interesse em ficar por dentro das tendências de mercado dos produtos agrícolas e da situação geral da cooperativa”, define o presidente da Coamo.

As Reuniões de Campo da diretoria da Coamo com os cooperados nos entrepostos é uma tradição que vem sendo mantida ao longo dos 37 anos de existência da cooperativa, com grande sucesso e participação.

Aprimorando o atendimento ao cooperado

Coamo investe em melhorias, reformas e novas construções para ficar ainda mais próxima das propriedades dos cooperados

Entre os importantes assuntos abordados pelo presidente da Coamo nas Reuniões de Campo do primeiro semestre deste ano, destaque para as obras e investimentos já realizados ou programados pela cooperativa para este ano. Dr. Aroldo Gallassini destacou o desenvolvimento de 88 obras entre melhorias, reformas e novas construções que já estão em andamento ou serão feitas durante o ano de 2008 em toda área de ação da Coamo.

“Há obras em andamento e outras que deverão ser iniciadas ainda neste ano para cumprir o nosso calendário. Trata-se de investimentos que se fazem necessário para um melhor atendimento ao quadro social, porque a razão da existência da cooperativa são os seus associados”, analisa.

As obras vão desde a adequação até a construção de silos, e reforma e construção de escritórios operacionais e readequações de pátios, entre outros.

Retrospectiva positiva

Presidente da Coamo avalia o período como bom para a produção e prevê melhora de preços no segundo semestre

Durante as Reuniões de Campo do primeiro semestre o diretor-presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini, fez uma retrospectiva positiva do ano de 2007. Ele lembrou de algumas adversidades ocorridas no ano, mas fez um balanço positivo para a agricultura.

O presidente da Coamo também fez algumas previsões para a nova safra. Ele analisou o período como bom para a produção e melhora de preços no segundo semestre. Dr. Aroldo lembrou que a maioria dos cooperados comercializaram soja a até R$ 30,00 e outros de R$ 30,00 até R$ 41,00. No milho, um grande número de associados vendeu a produção entre R$ 15,00 a R$ 27,00.

Houve ainda uma melhora no crédito rural que foi suficiente para atender a demanda, bem como os juros para os médios e grandes produtores que baixou para 6,75% ao ano. Para a agricultura familiar esse percentual ficou ainda melhor. Os juros caíram em média de 3% a 5%. Mas o presidente da Coamo faz questão de lembrar o associado que é preciso fazer financiamento para custear a lavoura.

“Comprar a prazo de safra é sempre mais rápido e fácil, mas é um risco muito grande. Pois se ocorrer frustração não temos nenhuma segurança, já quando financiado, o governo garante prorrogação para o pagamento da dívida. Sem contar que a prazo de safra os juros são maiores”, alertou Dr. Aroldo Gallassini.

Olho na safra e nos preços

Seguindo os resultados na colheita, previsão é de bons preços para a comercialização dos grãos

Com tanto acesso a informação, nos dias atuais, e diante de toda assistência técnica oferecida, o agricultor não encontra mais problema na hora de produzir. Entretanto, quando o assunto é comercialização nem tudo é “mar de rosas”.  Por isso, um dos assuntos que mais prendem a atenção dos cooperados durante as Reuniões de Campo da Coamo, é a comercialização de produtos agrícolas e as modalidades de venda imediata e futura dos grãos.

O tema foi abordado a fundo pelo presidente da Coamo nos encontros deste primeiro semestre, que procurou enfatizar não só as vantagens, mas também a responsabilidade de trabalhar com venda antecipada através de contratos.

Dr. Aroldo Gallassini fez questão de mostrar a cada semestre, está opção moderna de vender a produção, garantindo o custo da lavoura e fazendo médias ao longo do ano, sem correr riscos. “É uma modalidade muito moderna e que sempre vamos ter a disposição do cooperado. A idéia é fazer com que o nosso quadro social tenha consciência da importância em vender a produção de forma segura, garantindo o custo, e depois fazer médias, se possível para cima. Mas é preciso saber que a partir do momento que decidimos fazer o contrato temos que cumpri-lo, não tem como correr. Se vender parte da produção e subir o preço, melhor, pois temos ainda a maior parte para comercializar”, explicou Gallassini.

O presidente da Coamo mostra aos cooperados o volume de sacas contratado ano a ano, desde 2002, apontando a evolução do sistema de venda, principalmente em anos de bons preços como o que está ocorrendo neste momento.

FALA COOPERADO:

 

Carlos Luhm, de Guarapuava (Centro-Sul do Paraná) – “É importante participar destas reuniões, pois aqui ficamos por dentro de tudo que estão acontecendo e o que pode acontecer com a nossa atividade. Essa linguagem simples do Dr. Aroldo faz com que consigamos entender bem a mensagem”.

 

Antonio Gancedo, de Luiziana (Centro-Oeste do Paraná) – “Foi muito boa a nossa reunião com a diretoria da Coamo. É muito gratificante participar desses encontros. Procuro não perder nenhuma oportunidade do contado com a diretoria, porque hoje a informação é o tudo na agricultura. É preciso estar bem informado para alcançar resultados positivos”.

 

Luiz Brás Maran, de Caarapó (Sul do Mato Grosso do Sul) - “As reuniões são ótimas. É um grande volume de informação que com certeza nos auxilia no dia-a-dia da atividade”.
Leolírio Dionísio Poletti, de Vila Nova (Oeste do Paraná) - “É importante estar atento ao que a Coamo nos oferece. Sempre que posso participo das reuniões. O doutor Aroldo traz bons conselhos que nos ajuda bastante”.
João Carlos de Souza, de Araruna (Centro-Oeste do Paraná) - “Boa surpresa os números positivos que foram mostrados. A reunião me deixou mais esperançoso, com boa expectativa para a safra.”.