Site Coamo
Coamo Agroindustrial Cooperativa | Edição 380 | Janeiro e Fevereiro de 2009 | Campo Mourão - Paraná

Dinheiro Extra

Sobras animam cooperados

Associados comemoram retorno de parte das sobras da cooperativa em 2008. Pagamento foi feito em todos os entrepostos, simultaneamente

Um dia depois de aprovarem as contas do exercício de 2008 e a devolução de parte das sobras de R$ 315,73 milhões geradas durante o ano, os associados da Coamo receberam comemoravam o dinheiro-extra nos seus entrepostos. Tradição na cooperativa, o pagamento das sobras foi feito simultaneamente nos 55 municípios que compõem a área de atuação da Coamo nos estados Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, no dia 19 de fevereiro. Cada associado recebeu parte do dinheiro na proporção da sua movimentação no abastecimento de insumos, entrega e comercialização da safra.

Diante do melhor ano em desempenho financeiro de toda a história da Coamo, as sobras geradas em 2008 também foram recordes. Na comparação com o volume alcançado no ano anterior o crescimento foi de 25%. “Um avanço que só foi possível porque os nossos associados continuaram apoiando as ações da cooperativa. Assim, eles valorizaram e usufruíram dos serviços oferecidos, contribuindo para mais um ano de bons resultados”, salienta José Aroldo Gallassini, diretor-presidente da Coamo.

Data na agenda – O cooperado Luiz de Sá Polizeli, de Campo Mourão (Centro-Oeste do Paraná) comemorou com orgulho as sobras deste ano. Ele lembra que o dinheiro é muito aguardado pelos associados. “O dia de receber as sobras está sempre marcado na nossa agenda”, revela. Sempre sorridente, Polizeli adianta que o dinheiro-extra é utilizando para saldar compromissos e complementar os custos da colheita de verão. “É um dinheiro que chega sempre em boa hora”, ressalta.

O produtor compara a situação vivida pela Coamo e seus cooperados com outras grandes empresas que neste momento de crise passam por dificuldades. “Nós, associados, somos privilegiados. Outro dia estive pensando: ouvimos notícias que existe uma quebra financeira muito grande, na maior parte das vezes por má administração. E isto não acontece aqui na Coamo. Apesar de colocarmos todos os novos ovos na mesma cesta, ou seja, aqui na cooperativa, temos uma grande tranquilidade porque sabemos da eficiência da nossa diretoria”, elogia Polizeli.

Confiança – O cooperado Alcemir Scarabelot, do distrito de Piquirivai, também em Campo Mourão, tem a mesma confiança na administração da Coamo. Ele diz que vai utilizar as suas sobras no custeio da colheita de verão, que já está acontecendo na sua propriedade. “Como em todos os anos estávamos aguardando este beneficio para dar uma folga a mais neste período de colheita”, salienta Scarabelot.

Para os Quiuti, dinheiro adianta nova casa

 

Satisfação mesmo, ao receber o dinheiro das sobras, teve o casal Mário e Sônia Maria Quiuli, de Campo Mourão. Eles revelaram que esperavam receber um valor e foram surpreendidos. “Foi bem mais gorda do que esperávamos. Estamos muito felizes. A família toda agradece, pois este dinheiro vai nos ajudar bastante neste momento. Estamos em fase de construção da nossa casa e com mais recursos no bolso vamos dar uma boa adiantada na obra”, conta Mário Quiuli.

O casal enfatiza que faz questão da fidelidade à Coamo, tanto na aquisição de insumos quanto na entrega da produção. “Todos os nossos negócios são realizados aqui na Coamo. Não tem razão de ser diferente. Colhemos benefícios o ano inteiro e, principalmente, agora”, comemoram, revelando que a cada ano que passa a parceria do casal com a cooperativa fica mais fortalecida.