Site Coamo
Coamo Agroindustrial Cooperativa | Edição 374 | Julho de 2008 | Campo Mourão - Paraná

Fatos & Fotos

Colônia Japonesa homenageia Dr. Aroldo em evento histórico

Presidente da Coamo é reconhecido por relevantes serviços à Comunidade Nipo-Brasileira

O diretor-presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini, foi homenageado como Líder Empresarial no dia 12 de julho, durante evento comemorativo, em Campo Mourão, aos 100 anos da Imigração Japonesa no Brasil. O reconhecimento foi proposto pela Sociedade Nipo-Brasileira de Mourãoense (Sonibram), que também lembrou sete famílias de pioneiros nipo-brasileiros de Campo Mourão. Outros dois líderes empresariais também receberam homenagens no evento, sendo eles Jintaro Ikeda e Sérgio Ueda.

O presidente da comissão que organizou as homenagens, Oscar Sumio Azuma, disse que as famílias homenageadas contribuíram para o fortalecimento da colônia japonesa em Campo Mourão. “Os empresários lembrados, como o Dr. Aroldo Gallassini, também são merecedores desta honraria, pelo apoio que sempre demonstraram aos projetos da nossa associação”, explica Azuma.

Livro – Durante a solenidade também foi lançado o livro “Banzai Campo Mourão – 100 anos da Imigração Japonesa no Brasil”, que relata a história da imigração japonesa em Campo Mourão. Segundo o historiador Jair Elias dos Santos Júnior, um dos autores do livro, Campo Mourão começou a receber os primeiros imigrantes japoneses em 1949, dois anos após se emancipar do município de Pitanga e 37 anos após a chegada dos primeiros japoneses no Brasil. O primeiro nipônico que pisou em Campo Mourão, segundo os registros da época, foi Kameiti Nakayama. O pioneiro se instalou na cidade e, logo em seguida, iniciou o loteamento de uma área de 2.200 alqueires de terras. Ele também formou lavouras de café em uma área de 160 alqueires.

Primeiro agricultor – A chegada do primeiro agricultor de origem japonesa, Katsuiti Kobayashi, ocorreu em 1951. Ele de imediato adquiriu terras e formou lavouras, instalando o primeiro viveiro de mudas de café. Neste mesmo ano, Alberto Taniguchi também se instala em Campo Mourão, trabalhando inicialmente com horticultura.

 

Coamo entre as Maiores e Melhores de Exame

Conforme o anuário, na classificação geral, que engloba 500 empresas estatais e privadas, a Coamo ocupa a 104ª colocação. No entanto, considerando somente as privadas, a Coamo é a 90ª maior empresa privada por vendas e a primeira cooperativa agropecuária brasileira a figurar entre as 100 maiores empresas do país, motivada pelo seu excelente desempenho em 2007.

No setor Comércio, a Coamo ganhou quatro posições em relação ao ranking anterior e está na 20ª colocação. Entre as maiores do Sul, a Coamo ocupa a 10ª posição entre as empresas privadas da região. No Paraná, a Coamo é a primeira empresa privada do estado com capital 100% nacional, ou seja, uma empresa genuinamente brasileira.

Para o diretor-presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini, a 90ª colocação no ranking das 100 maiores empresas privadas do Brasil é motivo de orgulho e satisfação, confirmando o planejamento e o desenvolvimento estratégico que vem sendo promovido ao longo dos anos pela diretoria da empresa. “Mesmo diante de alguns fatores indesejáveis para a agricultura nacional, 2007 foi um ano de sucesso para a Coamo, que é uma cooperativa  administrada com visão moderna e apoio de uma equipe de profissionais qualificados e uma participação expressiva de um quadro de associados composto por 20,7 mil cooperados. Juntos, estes fatores fazem a diferença”, destaca Dr. Aroldo Gallassini.

Óleo de soja Coamo entre os líderes do Top Five 2008

Em pesquisa realizada pela revista Supermercado Moderno para o ranking Top Five de 2008, a linha alimentícia da Coamo aparece como destaque, principalmente nos itens óleo de soja e margarina. No ranking e concentração das 5 marcas líderes no canal supermercados, o óleo de soja Coamo aparece em 2º lugar na região Sul, que compreende os estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. O óleo de soja Coamo  ainda aparece, no ranking, ocupando a 4ª colocação entre as marcas líderes na grande São Paulo e interior de São Paulo. A mesma posição é apontada à marca Coamo em todo o Brasil.

O índice de porcentual de preferência do varejista, no caso do óleo de soja Coamo, é de 2%, o que demonstra o bom posiciona-mento do produto da Coamo no mercado nacional, que vem mantendo a sua qualidade e apreferência dos consumidores brasileiros.

Guerreiros do Comércio do Paraná

Os irmãos e empresários mourãoenses Jair Gitahy e Dulce Gitahy Ferreira (ele cooperado da Coamo) receberam no dia 18 de julho, em Curitiba, o troféu “Guerreiro do Comércio do Paraná”. O troféu foi concedido pelo Sistema Fecomércio, Sesc e Senac a partir da análise da importância do homenageado na sociedade, levando-se em consideração o tempo de mercado, projeção e reconhecimento da comunidade, entre outros fatores, como a qualidade na gestão da empresa, crescimento de participação da empresa no segmento em que atua e ações inovadoras colocadas em prática.

Outros dois empresários de Campo Mourão já receberam a homenagem, que é realizada pelo terceiro ano consecutivo. São eles: o cooperado Álvaro Machado da Luz (em 2006); e Geraldo Sebastião dos Santos (em 2007).

Neste ano foram homenageados 54 empresários de todo o Estado.