barra Site Coamo barra
Coamo Agroindustrial Cooperativa | Edição 351 | Junho de 2006 | Campo Mourão - Paraná

Cooperativismo

Na onda da cooperação

Sistema reúne 1 bilhão de pessoas e gera desenvolvimento mundial

O cooperativismo foi idealizado por vários precursores e aconteceu de fato em 1844, quando 28 tecelões do bairro de Rochdale, em Manchester na Inglaterra, criaram uma associação que, mais tarde, seria chamada de Cooperativa. Explorados na venda de alimentos e roupas no comércio local, os artesãos montaram, primeiro, um armazém próprio. Depois a associação apoiou a construção ou a compra de casas para os tecelões e montou uma linha de produção para os trabalhadores com salários muito baixos ou desempregados.

Desde então, as cooperativas existem em vários setores e em todo mundo. Segundo a Aliança  Cooperativa Internacional –ACI, existem no mundo cerca de 800 mil cooperativas com a participação de um bilhão de cooperados. Cerca de 70% da população do Canadá, Finlândia, Israel, Áustria e Austrália são cooperativistas, enquanto que nos Estados Unidos, Dinamarca, Japão e Portugal ceca de 40% da população são filiados a uma cooperativa. No Brasil,  5% da população participam de uma cooperativa. O país congrega 7.580 cooperativas e mais de 6 milhões de cooperados que com a força, trabalho e união  colaborando para a geração de 6% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional.

Valores – A cooperativa é uma associação autônoma de pessoas que se unem, voluntariamente, para satisfazer aspirações e necessidades econômicas, sociais e culturais comuns, por meio de uma empresa de propriedade coletiva e democraticamente gerida. Os valores e princípios cooperativos foram preservados, com pequenas alterações ao modelo cooperativista adotado em todo mundo, como também a própria base da filosofia do cooperativismo. As cooperativas se baseiam em valores de ajuda mútua e responsabilidade, democracia, igualdade, equidade e solidariedade. Na tradição dos seus fundadores, os membros das cooperativas acreditam nos valores éticos da honestidade, transparência, responsabilidade social e preocupação pelo seu semelhante.

Números do Paraná – O cooperativismo paranaense registrou em 2005 um  faturamento de R$ 15,5 milhões e sua participação no Produto Interno Bruto (PIB)  agrícola do estado foi de 55% e no PIB geral do Paraná foi de 18%. O segmento agropecuário representa cerca de 53% da economia agrícola do Paraná,  que está entre os de maior desenvolvimento no país, valorizando substancialmente a importância deste movimento econômico e social.

Ao todo cerca de 2 milhões de paranaenses são beneficiados diretamente pelo cooperativismo, que conta com a participação de mais de 400 mil cooperados integrantes de mais de 200 cooperativas em  diversos ramos. O agropecuário tem mais de 100 mil  cooperados em 74 cooperativas, cuja prestação de serviços é feita por um quadro funcional de 49 mil pessoas, que atuam diretamente do sistema cooperativista. O cooperativismo paranaense responde por  59% das exportações das cooperativas brasileiras e desse valor, a Coamo Agroindustrial cooperativa participa com 50% das exportações das cooperativas paranaenses.

Coamo – Com 19,5 mil cooperados na sua área de ação distribuída nos estados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, a Coamo Agro-industrial Cooperativa beneficia diretamente mais de 100 mil pessoas. A cooperativa conta com 4,2 mil colaboradores que prestam serviços aos seus cooperados  em 90 unidades de atendimento, localizadas em 53 municípios paranaenses, catarinenses e sul-matogrossenses.

Com a produção dos seus cooperados, a Coamo é responsável pelo recebimento de 3,3 % da produção agrícola do país e por 16% do Paraná. Em 2005, a cooperativa exportou 1,72 milhão de toneladas de produtos e figura entre as maiores empresas exportadoras do Brasil. O valor de tributos e taxas gerados e re-colhidos, durante o exercício de 2005, foi na ordem de R$ 139 milhões.

No campo técnico, educacional e social a cooperativa realizou com apoio do Sescoop e Senar, mais de 1.800 eventos entre cursos, palestras e treinamentos que foram importantes instrumentos para o  desenvolvimento e a difusão de tecnologias, bem como a melhoria da qualidade de vida e o incremento de renda para mais de 80 mil pessoas entre cooperados, esposas, filhos e empregados, no meio ambiente produtivo rural. Durante o exercício de 2005, o valor de tributos e taxas gerados e recolhidos pela Coamo foi na ordem de R$ 139 milhões.

Para o presidente da Coamo, engenheiro agrônomo José Aroldo Gallassini, o cooperativismo é um movimento fundamental para integrar e organizar a produção dos cooperados, atuando diretamente como agente de desenvolvimento econômico, educacional e social. “Assim é que com muito trabalho e intensa dedicação, o cooperativismo praticado pela Coamo contribui para a melhoria sócio-econômica de mais de 19 mil produtores e 100 mil pessoas, promovendo o progresso para suas regiões, estados onde atuamos e também para o país, através da geração de empregos, renda, tributos, desenvolvimento e qualidade de vida”, assegura Gallassini.