Site Coamo
Coamo Agroindustrial Cooperativa | Edição 373 | Junho de 2008 | Campo Mourão - Paraná

Safra de Inverno

Trigo tem tudo para render bem

Chuvas regulares desde meados de abril propiciaram boa germinação à cultura que tem bom desenvolvimento até o momento

Diante do mercado favorável para a cultura, o trigo segue com um bom desenvolvimento na região de atuação da Coamo e tem tudo para render bem neste inverno. O clima tem sido um fator decisivo para o panorama positivo sobre a produção do cereal. As chuvas estão regularizadas desde meados de abril, propiciando boa germinação das lavouras.

O cooperado Paulo Sérgio Ferrari, está cultivando 61 alqueires de trigo na região de Campina do Amoral, em Campo Mourão (Centro-Oeste do Paraná), e espera colher uma boa safra neste ano. Orientado pela assistência técnica da Coamo ele semeou a lavoura no mês de maio e está dormindo tranqüilo. “Até agora não tive nenhum problema com a cultura. Tenho um levantamento histórico da melhor época de plantio para minha propriedade e me baseio nesses dados para plantar sempre na época mais favorável”, explica o produtor, que revela ter alcançado bons resultados com o cereal nas últimas safras. “Por isso, o trigo é a minha principal alternativa de inverno”, reforça.

Safra cheia – Este ano o produtor investiu e está trabalhando para colher uma safra cheia, segundo ele. “Pela tecnologia que estou utilizando e o investimento que fiz, com análises de solo, adubação, cobertura e acompanhamento técnico, quero colher entre 130 e 140 sacas por alqueire, de média”, adianta.

O agrônomo Roberto Bueno Silva, do Detec da Coamo em Campo Mourão, observa que todo o projeto do cooperado para esta safra de inverno foi planejado para colher alta produtividade. “Realmente é de se esperar que isso aconteça, mas não é apenas por achar e sim porque temos históricos de produtividade da propriedade”, esclarece. Segundo o técnico, depois que o cooperado adotou o sistema de rotação de culturas, plantio nas épocas de melhor probabilidade de colheita e menor risco, a média dele é acima das 120 sacas de trigo por alqueire. “Isso não quer dizer que todo ano ele tem colhido esse patamar. Depende muito do clima. Porém se ele fizer a sua parte e o clima contribuir, certamente o sucesso é garantido”, diz Bueno

O agrônomo da Coamo esclarece que o planejamento de cada produtor depende da região onde ele está inserido. “É importante frisar que é preciso se planejar de acordo com o clima da sua região. Esses dados devem ser colhidos ano a ano, para que a melhor decisão seja tomada”, alerta.

Boa perspectiva – O cooperado Paulo Ferrari revela que a expectativa dele para a safra de trigo deste ano é muito boa, em função do investimento e o planejamento feito para a propriedade. Para o agrônomo Roberto Bueno, há um ganho muito grande de tecnologia nas lavouras plantadas nesta safra, motivado pelo preço e condições climáticas. “Não sabemos como o clima vai se comportar durante os meses de julho, agosto e setembro. Mas as lavouras estão com um potencial visual melhor que em anos anteriores. Quem vai ditar se as lavouras vão produzir mais ou menos é o clima e esperamos que ele seja normal para não prejudicar a cultura”, analisa o agrônomo da Coamo.