Agricultura
Agricultura de pai para filho

Do processo rudimentar à modernidade dos dias de hoje, a trajetória da família Leal, de Boa Esperança

A agricultura é um assunto de família na casa do cooperado Cenor Leal, de Boa Esperança. A atividade foi incorporada por acaso à realidade da família há cerca de 30 anos. "Foi pouco depois do surgimento da Coamo", lembra o cooperado. A exploração da madeira o trouxe à região, no início da década de 50. 

Um pequeno sítio com 2.500 pés de café, adquirido em 1959, foi a primeira experiência do cooperado
Pai e filhos com um só ideal: desenvolver a agricultura
 
com a atividade agrícola. "Mesmo com as dificuldades, consegui produzir", revela. Leal acabou se entusiasmando com a produção e investiu na aquisição de novas áreas de terras, de olho na mecanização que despontava na região e na exploração da soja.

O trabalho de Cenor Leal sempre foi acompanhado de perto pelos filhos Luiz, Leonel e Lauro. Os três cresceram dentro da realidade agrícola da família e tomaram gosto pelo trabalho com a terra. "Fiz esforço para que eles seguissem outra profissão, mas a agricultura estava no sangue", conta Leal. Hoje, eles formam uma geração de agricultores de sucesso e todos são associados da Coamo. Juntos, sempre de olho nos avanços tecnológicos, eles administram cerca de 500 alqueires - entre áreas próprias e arrendadas. A soja é a cultura principal da família. A produtividade média das lavouras tem ficado em torno de 130 sacas por alqueire.

"O alicerce de todo esse sucesso está na parceria com a Coamo, firmada pelo meu pai no início da década de 70 e que permanece até hoje", ressalta Luiz Leal, um dos filhos. A meta da família, para o futuro, é continuar crescendo e se desenvolvendo dentro da atividade agrícola. "Queremos avançar ainda mais, com tecnologia e profissionalismo, sempre com apoio da nossa cooperativa", conclui.

 

De olho na integração

A exploração combinada entre a agricultura e a pecuária está nos planos dos cooperados de Faxinal. Buscando mais informações sobre o sistema, um grupo de agricultores e pecuaristas da região esteve no dia 7 de maio em Campo Mourão, a convite da Coamo. Eles acompanharam uma palestra sobre o assunto, na Fazenda Experimental da cooperativa e visitaram áreas 
Cooperados visitaram áreas experimentais e comerciais
 
de pesquisa e comerciais, onde o projeto de integração já foi implantado.

A proposta da visita surgiu diante da facilidade de adaptação da região ao sistema. Com a agricultura e a pecuária em franco desenvolvimento, a meta dos cooperados é ampliar os resultados, para a própria sustentação do processo produtivo.