Clima
Fenômeno:
El Niño não interfere no inverno do Sul


Meteorologistas analisam condições climáticas e impactos do fenômeno, que deve ocorrer a partir do segundo semestre

Em reunião conjunta dos centros de previsão do tempo e clima da região Sul do Brasil - Simepar (PR), Climerh (SC) e 8º Disme/Inmet, com participação do Cptec/Inpe, foi feita a análise das condições climáticas para o período do outono nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Os meteorologistas analisaram as condições climáticas da região e os impactos do fenômeno El Niño, que deve ocorrer a partir do segundo semestre. A principal novidade do encontro, é que para o inverno deste ano não se espera influência do fenômeno nas condições do clima na região Sul.

De acordo com o relatório do Grupo de Climatologia do Simepar - Sistema Meteorológico do Paraná (www.simepar.br), os modelos de previsão climática indicam que a chuva no Paraná, no trimestre de maio, junho e julho, deve estar abaixo da média histórica, variando de 30% a 50% em praticamente todo o Estado. Com relação às temperaturas, a previsão é de que elas estejam ligeiramente acima da média histórica, com variação média de 1 a 2 C. Durante os meses de julho e julho podem acontecer geadas nas regiões Oeste, Sudoeste, Sul, Centro e Capital.

Acompanhando o El Niño - O fenômeno El Niño é caracterizado por um aquecimento anormal das temperaturas do Oceano Pacífico, causando alterações na atmosfera e acarretando variações no clima do planeta. Ele ocorre em intervalos médios de 4 anos e persiste de 6 a 15 meses. A tendência é que o fenômeno seja iniciado entre junho a dezembro. Os meteorologistas esperam que, se o El Niño de fato ocorrer, seja de fraca intensidade, devendo persistir até março de 2003.

O relatório do Simepar indica, ainda, que caso o fenômeno se desenvolva no segundo semestre - o que ainda não está garantido, os impactos sobre o clima do Paraná estarão associados com o aumento da chuva, principalmente no final da primavera (novembro) e no final do outono (abril e maio de 2003).