Especial
Credicoamo cresceu 58% em 2002

Ativo Total da cooperativa atingiu R$ 196 milhões e as sobras foram de R$ 7 milhões

Participação expressiva dos cooperados durante a AGO
Os números do balanço do exercício de 2002 da Cooperativa de Crédito Rural Coamo Ltda. (Credicoamo) reforçam a crescente tendência de evolução da entidade. No ano, a Credicoamo cresceu 58%, em relação ao exercício anterior. O Ativo Total da cooperativa atingiu 196,14 milhões.

O desempenho econômico-
financeiro da Credicoamo em 2002 foi apresentado aos cooperados em assembléia geral, realizada no dia 21 de março em Campo Mourão. Eles aprovaram o balanço e confirmaram, mais uma vez, que a cooperativa está no caminho certo. "Foi o melhor resultado de toda a nossa história de 13 anos", revelou o diretor presidente da Credicoamo, engenheiro agrônomo José Aroldo Gallassini.

O grau de solidez da cooperativa vem se concretizando a cada ano. A política administrativa de capitalização e gerenciamento dos recursos financeiros implantados desde a fundação da cooperativa, tem propiciado condições especiais para o financiamento das atividades e atendimento integral dos cooperados. "A participação maciça dos cooperados também é um dos fatores determinantes para o sucesso da Credicoamo", comemorou Gallassini.

A movimentação financeira dos cooperados da Credicoamo contabilizou uma receita total da ordem de R$ 23,6 milhões, representando um crescimento de 56% em relação ao ano anterior. As sobras apuradas durante o ano foram de R$ 7,1 milhões, com um crescimento de 40,8% em relação a 2001. De acordo com a decisão da assembléia, o valor destinado a cada cooperado será creditado na conta corrente de cada um, de acordo com a movimentação feita durante o ano na cooperativa.

O patrimônio líquido da Credicoamo encerrou 2002 com um aumento de 32,3%, com o valor de R$ 29,5 milhões. A solidez da cooperativa pode ser medida pelo seu grau de solvência, que demonstra a relação entre o patrimônio líquido e os seus ativos, ponderados pelo grau de risco, em 27,78%.

Durante o ano passado foram repassadas pela cooperativa um total de 5.993 operações de empréstimos e financiamentos, no montante de R$ 84,6 milhões, apresentando um crescimento de 27,3% em relação a 2001. A Credicoamo recolheu R$ 5,52 milhões em impostos e contribuições, um volume 55,7% maior que o registrado no exercício anterior.

Novos conselheiros fiscais da Credicoamo, eleitos para a gestão 2003: Bueno Ingo Ruch, Leomar Puton, Valtenir Santiago, João Woicikoski, Humberto Vonsowski e Henrique Sanches Salla
Para o presidente da Credicoamo, os bons resultados, mais uma vez contabilizados, demonstram a satisfação do quadro social com o trabalho da cooperativa. Segundo Gallassini, a cooperativa tem buscado alternativas para disponibilizar modalidades de financiamento que atendam as necessidades dos cooperados e que possam agregar maior valor à produção agropecuária. "Esta política tem garantido a satisfação dos cooperados e a manutenção
dos bons resultados nesses 13 anos de sucesso e os constantes resultados positivos são provenientes da efetiva movimentação dos cooperados. Eles sabem que quanto maior for a participação na vida da cooperativa maiores serão os benefícios", afirmou.

Sobras

Parte das sobras apuradas durante o exercício de 2002 já estão sendo distribuídas entre os cooperados, conforme decisão da assembléia geral. O valor destinado aos associados está sendo creditado na conta corrente de cada um, de acordo com a movimentação feita durante o ano na cooperativa.

 

FALA COOPERADO:

Odilon Tarciso Pazinato, de Abelardo Luz (SC) - "Me surpreendi com o avanço da Credicoamo. Vou ser um garoto propaganda para fortalecer ainda mais esta nossa cooperativa".
João Marco Nicareta, de Pitanga - "A gente fica feliz por que vê o resultado aparecer. Assim somos ainda mais beneficiados com as sobras, que são sempre bem vindas".
Pedro Porfírio Pereira, de Moreira Sales - "Gostei muito dos resultados. Temos o nosso banco, com as garantias de um atendimento completo e de qualidade".