Site Coamo
Coamo Agroindustrial Cooperativa | Edição 370 | Março de 2008 | Campo Mourão - Paraná

Editorial

Safra, investimentos e Crédito Rural

Engenheiro agrônomo José Aroldo Gallassini, idealizador e diretor-presidente da Coamo Agroindustrial Cooperativa

O 20º Encontro de Cooperados na Fazenda Experimental Coamo, promovido com absoluto sucesso em fevereiro deste ano é um dos destaques desta edição do Jornal Coamo. Quatro mil pessoas entre associados, pesquisadores e técnicos conferiram as últimas novidades da pesquisa neste, que é pioneiro no gênero em todo o país e vem sendo muito elogiado por palestrantes e participantes. A Fazenda Experimental da Coamo se transforma em um grande laboratório a céu aberto, oportunizando as mais recentes novidades tecnológicas da agricultura e pecuária para milhares de associados. É um trabalho relevante que está completando duas décadas de sucesso e merece ser partilhado por todos os usuários da pesquisa.

Outro evento que contou com grande presença de associados foi a Assembléia Geral realizada recentemente onde foram aprovados investimentos de R$ 180 milhões para modernizar e propiciar melhorias nas unidades e ampliar a produção industrial da cooperativa. Na área Operacional, serão investidos R$ 111 milhões para incremento do recebimento e da armazenagem da produção, que resultará em melhoria na qualidade do atendimento as necessidades dos associados e na redução dos custos com transportes.

Na área industrial, serão aplicados R$ 89 milhões na ampliação da capacidade de produção visando atender o grande crescimento do mercado de óleo refinado, gorduras vegetais e alimentos industrializados. Também será implantada uma indústria de torrefação e moagem de café, que incrementará substancialmente a sua produção no decorrer dos próximos anos. A assembléia aprovou também a constituição de uma corretora de seguros com a participação majoritária da Coamo, justificada pelos grandes volumes de seguros próprios ou de associados e funcionários contratados pela Coamo e Credicoamo.

Os associados da Credicoamo participaram no dia 13 de março da Assembléia Geral da cooperativa e comemoraram o crescimento e o excelente desempenho verificado no exercício de 2007. O volume de operações realizadas pela Credicoamo em benefício dos seus 6,6 mil associados foi 70,39% maior que o alcançado no ano anterior, atingindo o montante de R$ 244,75 milhões, sendo o maior na história da cooperativa que está entre as maiores do país no cooperativismo de crédito rural. Em março deste ano o ativo total da Credicoamo atingiu meio bilhão de reais e dentro do planejamento estratégico estabelecido para 2008, a expectativa é de que a cooperativa mantenha o seu crescimento e os bons resultados, conquistados ao longo dos seus 18 anos de existência.

No campo de produção dos associados, a safra de verão 2007/08 está sendo colhida e apresenta-se de forma geral como normal, mas devido a vários fatores, está aquém das previsões iniciais dos agricultores. Os números da produtividade tanto na soja como no milho registra variações; no caso da soja a colheita está variando de 100 a 190 sacas por alqueire e no milho, de 250 a 570 sacas por alqueire. Entre os motivos da produtividade abaixo do esperado está o fato de que em várias regiões as plantas registraram ‘estresse’ e também a incidência de doenças de final de ciclo com e sem controle. Mas, cada situação é uma situação diferente, então, é necessário que cada associado faça uma análise e reveja a época de plantio, a fertilidade e a correção da acidez do seu solo e a necessidade da adubação em suas lavouras.

No contexto geral, a safra 2007/08 pode ser considerada como normal e deverá incrementar os volumes de recebimento nos armazéns da Coamo. As atenções voltam-se para a safra de inverno que deverá ter aumento na sua área de plantio em relação ao ano passado, que havia sido a maior da história. Os associados implantaram suas lavouras de milho safrinha efetivando as contratações de Proagro e do Seguro Agrícola, como medida preventiva em caso de ocorrências de intempéries e assim, garantir a proteção e o sucesso das suas lavouras.

Com relação a comercialização dos produtos agrícolas o cenário atual é de turbulência, haja vista que os preços de soja, milho e trigo estão altos em função da alta do petróleo, do aumento da produção do Etanol a partir do milho nos EUA, da especulação dos fundos na Bolsa de Chicago e da  crise imobiliária americana. Os preços da soja estão historicamente altos chegando a US$ 16,00 por buschel, mas recuaram mais de 20% desde então. Historicamente, a média da soja em dólar nos últimos 10 anos é de US$ 11,50 a saca e nesta safra atingiu níveis de até  US$ 27,00 a saca. Quanto ao futuro dos preços das commodities é difícil fazer qualquer previsão, mas no entanto, especialistas afirmam que o cenário atual deve continuar por mais algum tempo.

Com esta oscilação no mercado, os associados venderam sua produção de soja a níveis que variaram de R$ 30,10 a R$ 48,50 a saca. Diante dessa realidade do mercado, é interessante que cada associado analise a sua situação e venda a sua produção em função dos seus custos, sendo este procedimento o melhor para se obter uma média satisfatória no âmbito geral.

Pelas previsões o ano de 2008 deverá ser muito bom para a agricultura com os associados aproveitando as boas oportunidades de comercialização para obter bons resultados. Desta forma, estarão mais capitalizados e com as contas equilibradas terão a recuperação da sua renda e o sucesso na sua atividade, que foi muito prejudicada nos últimos anos por graves problemas de baixas produtividades e preços insatisfatórios.