Site Coamo
Coamo Agroindustrial Cooperativa | Edição 370 | Março de 2008 | Campo Mourão - Paraná

Modernização

Investimentos de R$ 180 milhões nas unidades e ampliação da produção industrial da Coamo

Em assembléias gerais, cooperados aprovam investimentos para as áreas operacional e industrial que serão efetivados até 2010. Também a implantação de uma indústria de torrefação e moagem de café e uma corretora de seguros

A Coamo irá investir o montante de R$ 180 milhões na modernização e melhorias em 24 unidades e também na ampliação da sua produção industrial. Os investimentos foram aprovados pelos associados em assembléia geral e a previsão é de que sejam efetivados até 2010. A cooperativa também fará a implantação de uma indústria de torrefação e moagem de café e de uma corretora de seguros.

Recebimento e armazenagem – Para melhorar o recebimento e armazenagem da produção e a qualidade no atendimento as necessidades dos seus associados, além de propiciar a redução de custos com transportes, a Coamo realizará investimentos no valor de R$ 111 milhões com a modernização, adequação e ampliação de 25 unidades e capacidade de armazenagem da cooperativa, além da renovação e modernização da frota de veículos e máquinas. “Esses investimentos na área Operacional são necessários em função dos grandes volumes de produtos que a Coamo recebe dos seus associados nas safras de verão e de inverno, e da falta de espaço em nossos armazéns, havendo a necessidade de contratação de locais para armazenamento da produção”, explica o superintendente Operacional da Coamo, Antonio Granado Martinez.

Industrialização – Na área industrial, o total de investimentos programados pela Coamo no seu parque industrial será de R$ 89 milhões visando atender o grande crescimento do mercado de óleo refinado, gorduras vegetais e alimentos industrializados. A cooperativa ampliará a capacidade de esmagamento da sua indústria de óleo em Campo Mourão passando das atuais 2.000 toneladas/dia para 3.000 toneladas/dia; a produção da refinaria de óleo saltará de 360 para 660 toneladas/dia e a de gorduras institucionais será incrementada de 40 para 80 toneladas/dia. “A industrialização dos produtos recebidos dos associados, com a finalidade de agregar valor a produção, sempre foi um dos objetivos da Coamo”, justifica Divaldo Correia, superintendente Industrial da Coamo.

Indústria de café – A Coamo também implantará, dentro do seu programa de investimentos para 2008-2010, uma indústria de torrefação e moagem de café. A nova unidade industrial irá possibilitar o incremento substancial da produção e envase de café almofada e à vaco, no decorrer dos próximos anos. Segundo o diretor- presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini, a instalação dessa nova indústria visa também a melhoria no controle de qualidade o produto. “O café com a marca Coamo é um produto que já está consolidado no mercado nacional consumidor e com a produção própria teremos possibilidade de ampliar o atendimento e a demanda existente”, revela Gallassini.

Corretora de Seguro – Outra novidade aprovada pelos associados foi a constituição de uma corretora de seguros com a participação majoritária da Coamo. Atualmente as cooperativas Coamo e Credicoamo têm contratado seguros de riscos diversos, de veículos, de vida, residencial, agrícola, prestamista, roubo, incêndio e vendaval, transporte e outros. Para a proposição da criação de uma corretora de seguros o presidente da Coamo considerou os grandes volumes de seguros próprios ou de associados e funcionários contratados pela Coamo e Credicoamo. “Entendemos ser plenamente justificável a constituição dessa corretora de seguros da Coamo para administrar a massa segurada e atuar na corretagem de ramos elementares, seguros dos ramos de vida, capitalização, planos previdenciários e saúde”, completa o presidente da Coamo.

Novas unidades em Piquirivaí, Figueira do Oeste e Toledo

Pelo pacote de investimentos aprovado nas assembléias gerais da Coamo, serão destinados R$ 111 milhões para a modernização, adequação e ampliação de 25 unidades e capacidade de armazenagem da cooperativa, além da renovação e modernização da frota de veículos e máquinas. Também serão implantados três novas unidades de recebimento da produção nos distritos de Figueira do Oeste (Engenheiro Beltrão) e Piquirivaí (Campo Mourão), além de Toledo. Os demais entrepostos contemplados com modernizaçoes são: Campo Mourão (Indústria de óleo e Jardim Araucária); Mamborê; Peabiru; Barbosa Ferraz; Nova Tebas: Farol; Luiziana; Ivaiporã; Toledo (Dois Irmãos e Vila Nova); Nova Santa Rosa; Tupãssi (Bragantina); Boa Ventura; Pinhão; Cantagalo; Manoel Ribas (Furnas); São Domingos e Ipuaçu, em Santa Catarina; e no Mato Grosso do Sul, em Aral Moreira e Laguna Carapã.

 

 

 

 

FALA COOPERADO: