Agromercado
O cooperativismo e o agronegócio do Paraná

Ocepar prevê crescimento no faturamento das cooperativas para este ano

"O ano de 2002 será um dos melhores de toda a história do agronegócio paranaense". Esta é a conclusão do presidente do Sindicato e Organização das Cooperativas Paranaenses (Ocepar), engenheiro agrônomo João Paulo Koslowski, que em entrevista ao Jornal Coamo avaliou os resultados do agribusiness ao final dos nove primeiros meses do ano.

Para o presidente da Ocepar, as dificuldades com o clima não limitaram a capitalização dos produtores que buscaram apoio no mercado e tiveram excelentes preços nas principais commodities: soja e milho. Segundo ele, o agronegócio teve forte presença para o superávit da balança comercial brasileira e passou a ser reconhecido no País. "Esses bons resultados estão permitindo que aja melhoria significativa no planejamento e implantação das estratégias na atuação das cooperativas", disse Koslowski, afirmando que o cooperativismo venceu todas as dificuldades ocorridas nos últimos anos.
Segundo levantamento preliminar da Ocepar, o faturamento das cooperativas em 2002 deverá ter um crescimento em relação ao ano anterior. A entidade que representa um dos Estados onde o cooperativismo mais se desenvolve no país também prevê maior participação das cooperativas na produção agropecuária do Estado neste ano. "As cooperativas respondem por mais de 50% dos resultados do agronegócio do Paraná. Com a previsão do governo em colheita de mais de 106 milhões de toneladas na safra 2002/2003, certamente haverá um crescimento nas produtividades paranaenses e incremento nos nossos resultados", informa Koslowski.

Exemplo da Coamo - O presidente da Ocepar, João Paulo Koslowski, participou das Assembléias Gerais Extraordinárias (AGE's) realizada pela Coamo no dia 30 de setembro em Campo Mourão que aprovaram novos investimentos para as áreas Operacional e Industrial, e as alterações no Estatuto Social que permitirão a retirada do Capital Social para cooperados com idade igual ou superior a 65 anos de idade. Koslowski lembrou que o cooperativismo é o caminho para a paz e a democracia, é o melhor instrumento para o desenvolvimento e a distribuição de renda para os produtores. Considerou a aprovação dos assuntos nas AGE's, como relevantes para a melhoria dos bons serviços e o desenvolvimento da Coamo em prol dos seus 17 mil cooperados.

"A Coamo dá novamente um bom exemplo ao anunciar investimentos que, com certeza, agregarão valor à produção primária dos seu quadro social. A decisão de devolver o Capital Social para os cooperados que atingirem a idade de 65 anos permitirá que os produtores mais antigos, colaboradores ao longo de muitos anos na sua cooperativa, usufruam desse capital para a melhoria da sua qualidade de vida e também dos seus familiares", disse com satisfação o presidente da Ocepar.

 

Análises do Mercado Agrícola
Comercialização Coamo - 29/10/02

Soja
Prevalece o mercado interno em função do pouco volume ofertado e também o percentual a ser comercializado, algo em torno de 6% a nível nacional. A colheita americana com base em 27.10.02 encontra-se com 84% colhido, no ano anterior era 80% e na média dos últimos 5 anos 87%, ou seja está dentro do normal. O que predomina é a preocupação quanto ao câmbio que até o momento não achou um ponto de equilíbrio.

Milho
Permanece a pouca oferta e com isso o produtor cadencia o mercado vendendo sempre, mas em pequenas doses, conseqüentemente deixando o mercado aquecido. O comprador começa a fazer cálculos de importação, que no momento ainda não é a melhor opção. A colheita americana com base em 27.10.02 encontra-se com 66% colhido, no ano passado era 62% e na média dos últimos 5 anos 74%.

Café
Estamos vivendo um mercado de clima, com muita volatilidade. A seca tem prejudicado muito as lavouras no sudeste, que já estavam esgotadas pela supersafra e pela deficiência de tratos culturais. De outro lado, é sabido que o café tem um potencial de recuperação muito grande caso as chuvas voltem a cair de maneira regular. Assim, a cada boletim meteorológico o mercado toma um posicionamento. No presente momento, há previsão de chuvas para o começo de novembro, que, caso concretizem-se jogarão o mercado para baixo. Há que se ponderar que o déficit hídrico na região sudeste é muito grande e a população já está sendo comunicada da necessidade de se fazer racionamento de água.

 

 

Indicadores Econômicos

VARIAÇÕES Abr/02 Mai/02 Jun/02 Jul/02 Ago/02 Set/02   ACUMULADO ACUMULADO
  PERÍODO 12 MESES
IGP/M (% AO MÊS) 0,56% 0,83% 1,54% 1,95% 2,32% 2,40% 9,98% 13,32%
TR (% AO MÊS) 0,24% 0,21% 0,16% 0,27% 0,25% 0,20% 1,32% 2,58%
DÓLAR
COMERCIAL
(% AO MÊS)
1,67% 6,75% 12,28% 20,54% -11,85% 28,88% 67,64% 45,81%
TJLP (% AO MÊS) 9,50% 9,50% 9,50% 10,00% 10,00% 10,00%    
SOJA 10,26% 13,95% 12,24% 11,91% 18,33% 29,41% 141,69% 234,17%
MILHO 5,45% 5,17% 0,00% 8,13% 5,26% 21,43% 53,29% 85,17%
ALGODÃO (TIPO 6) 3,00% 0,00% 0,00% 8,74% 7,14% 16,00% 39,20% 39,20%
TRIGO (PH 78) 11,80% 7,22% 6,225 12,20% 17,39% 40,74% 118,39% 148,37%
 

Poder de Troca mês a mês

MÁQUINAS/INSUMOS X PRODUTOS UNID. Abr/02 Mai/02 Jun/02 Jul/02 Ago/02 Set/02

MÉDIA DO PERÍODO

MÉDIA ULT. 12 MESES

 

TRATOR JOHN DEERE 6-300 - 120 HP

SOJA sacas 4.341 3.913 3.462 3.237 3.053 2.692 3.450 2.381
MILHO sacas 7.876 7.563 7.377 7.422 7.326 6.774 7.390 5.046
ALGODÃO (TIPO 6) arrobas 8.768 8.738 8.738 8.837 8.621 7.778 8.580 5.399
TRIGO (PH 78) sacas 5.028 4.826 4.523 4.368 4.000 3.231 4.329 3.071
 

COLHEITADEIRA NEW HOLLAND TC 57 (completa)

SOJA sacas 9.024 8.043 7.115 6.474 5.802 5.103 6.927 7.634
MILHO sacas 16.372 15.546 15.164 14.844 13.919 12.839 14.781 16.290
ALGODÃO (TIPO 6) arrobas 18.227 17.961 17.961 17.674 16.379 14.741 17.157 17.003
TRIGO (PH 78) sacas 10.452 9.920 9.296 8.736 7.600 6.123 8.688 9.884
 

PLANTADEIRA PSE 8 2S (COM CÂMBIO)

SOJA sacas 1.557 1.500 1.327 1.110 995 836 1.221 1.200
MILHO sacas 2.825 2.900 2.009 2.546 2.387 2.102 2.462 2.540
ALGODÃO (TIPO 6) arrobas 3.145 3.350 3.350 3.031 2.809 2.414 3.017 2.704
TRIGO (PH 78) sacas 1.804 1.850 1.734 1.498 1.303 1.003 1.532 1.560
 

PULVERIZADOR COLUMBIA MAXTER FLOW

SOJA sacas 1.023 912 807 736 660 567 784 859
MILHO sacas 1.856 1.763 1.704 1.688 1.583 1.427 1.670 1.824
ALGODÃO (TIPO 6) arrobas 2.066 2.036 2.036 2.009 1.862 1.639 1.942 1.914
TRIGO (PH 78) sacas 1.185 1.125 1.054 993 864 681 984 1.116
 

CALCÁRIO

SOJA sacas 1 1 1 1 1 1 1 1
MILHO sacas 3 3 2 2 2 2 2 3
ALGODÃO (TIPO 6) arrobas 3 3 3 3 3 2 3 3
TRIGO (PH 78) sacas 1 2 2 1 1 1 2 2
Para cálculo da paridade de produtos X máquinas e insumos foram utilizados os preços praticados no último dia do mês.