barra Site Coamo barra
Coamo Agroindustrial Cooperativa | Edição 367 | Novembro de 2007 | Campo Mourão - Paraná

Bioenergia / Meio Ambiente

Biodiesel no galpão da propriedade

Combustível produzido pelo cooperado Jandir Bombardelli, no Oeste do Paraná, movimenta a estrutura industrial leiteira do sítio

Os campos floridos de girassol logo na entrada da propriedade do cooperado Jandir Fausto Bombardelli, em Toledo (Oeste do Paraná), não são apenas bonitos. Eles fazem parte de um bem montado projeto de produção e industrialização leiteiro mantido pelo produtor no sítio de 33 alqueires de área, sendo 17 destinados ao cultivo de lavouras e o restante ocupado por pastagem e instalações. O girassol, para os Bombardelli, cumpre uma função econômica, sendo usado na alimentação dos animais, e ambiental, uma vez que o produto é utilizado pelo cooperado no processo de produção de biodiesel, energia renovável que não polui o meio ambiente e que vem sendo usado na movimentação de toda a estrutura da propriedade.

Proteína mais barata – O projeto para a produção de bioener-gia foi desenvolvido e vem sendo operacionalizado pelo cooperado, que é médico-veterinário por formação. “A escolha do girassol foi motivada por ser uma alternativa de produção na entressafra do verão; importante na rotação de culturas e porque utilizamos a torta de girassol, que é uma fonte barata de proteína, como um dos itens principais da alimentação do plantel”, explica Bombardelli. Ele diz que o aproveitamento do produto é muito bom: “para cada três quilos de girassol a produção é de dois quilos de torta e um litro de biodiesel”. Os animais, segundo ele, produzem mais quando são alimentados com a torta de girassol, uma vez que ela possui 30% de proteína e um custo 15% menor no mercado.

Energia alternativa – O biodiesel ainda está sendo testado na estrutura industrial da empresa Lactobom, de propriedade da família Bombardelli. Os testes estão sendo feitos para avaliar a melhor forma de trabalho a partir da utilização total de energia alternativa, tanto nas unidades industriais quando nos tratores do sítio e caminhões que transportam a produção. “Hoje, a nossa produção anual é de 68 mil quilos de torta de girassol e 34 mil litros de biodiesel, além de 3,4 mil de glicerina”, contabiliza o co-operado. Ele garante que há possibilidade para ampliar a produção, através do incremento na produção de girassol. “Estamos buscando parcerias com outros produtores de leite para viabilizar a ampliação do projeto”, garante, explicando que a demanda do sítio é de 1 milhão de litros de biodiesel por ano.

Transesterificação – Todo o projeto de bioenergia vem sendo implantado para otimizar a estrutura leiteira da propriedade. A transesterificação do óleo bruto do girassol é o processo que dá origem ao biodiesel. “O óleo bruto de girassol, misturado com metanol e soda cáustica, é transformado em éster e glicerina em um reator com capacidade de produção para 10 mil litros por dia. Ao final da reação química há a decantação da glicerina. Em seguida, é só fazer a separação e o biodiesel já está pronto para uso”, explica Bombardelli.

O biodiesel é utilizado para alimentar as indústrias de pausteurização do leite e derivados e para abastecer os 12 caminhões que fazem a coleta entrega dos produtos da Lactobom, além dois tratores e os motores de irrigação do sítio, usados na lavoura. As indústrias administradas pelo cooperado processam diariamente 65 mil litros de leite, em Toledo e Ponta Grossa. Os caminhões, segundo o produtor, já estão ro-dando com 100% de biodiesel, com pequenos ajustes nos bicos dos motores. “Pelos testes iniciais o consumo é semelhante ao diesel de petróleo, com uma vantagem: uma economia de 46% no custo do combustível. Mas ainda estamos levantando estas informações”, adianta o cooperado.

Preocupação ambiental – A iniciativa dos Bombardelli, além do lado comercial, também é interessante ambientalmente. “Procuramos valorizar a produção sustentável e a preservação ambiental, já que o biodiesel é uma energia renovável e 98% menos poluente que o diesel de petróleo”, salienta Bombardelli.

Ar refrigerado nos estábulos

Na propriedade, a atividade principal é a de bovinocultura leiteiro. O cooperado Jandir Bombardelli possui 420 vacas da raça holandesa, sendo 110 em lactação. A produção de leite é de 1,2 milhão de litros por ano. O leite é pasteurizado e industrializado na propriedade e os produtos são vendidos ao consumidor.

Um outro experimento que vem sendo testado na propriedade é a melhoria do ambiente nos estábulos, através da instalação de ar refrigerado. “É fato que as vacas produzem mais no inverno, então resolvemos refrigerar as salas de ordenha para garantir maior conforto aos animais e explorar o máximo do potencial na produção leitura durante o ano inteiro”, destaca o cooperado.

Girassol

O girassol é uma cultura de inverno, com ciclo de 125 dias, que é plantada no sítio do cooperado Jandir Bombardelli da primeira quinzena de março à primeira quinzena de julho. A colheita é feita em julho e novembro. O produtor faz a rotação com o milho, que será utilizado, depois, para silagem, num sistema elaborado para privilegiar a produção leiteira. A produtividade da cultura, no sírio dos Bombardelli, varia entre 60 a 100 sacas por alqueire, dependendo do ano.

Marilândia: meio ambiente na escola

Para marcar a passagem da Semana do Meio Ambiente, o entreposto da Coamo em Marilândia (Norte do Paraná), através do Detec da unidade, promoveu um evento diferente que envolveu 500 estudantes dos períodos matutino e vespertino do Colégio CEPAC, de ensino fundamental e médio. Foram ministradas duas palestras aos estudantes com o tema “O Meio Ambiente e o Cooperativismo da Coamo”, como parte do calendário da Semana Cultural promovida por professores e alunos da escola.

Segundo o agrônomo Durval Bachega, responsável técnico do entreposto da Coamo em Marilândia, sobre o tema das palestras foi destacada a importância do cooperativismo praticado pela Coamo e parte da história da cooperativa, que completou neste ano 37 anos de fundação. “Também apresentamos os resultados dos projetos desenvolvidos em favor da melhoria da qualidade de vida dos cooperados e os trabalhos da cooperativa voltados à preservação do meio ambiente e dos recursos naturais renováveis”, completa Bachega.