Site Coamo
Coamo Agroindustrial Cooperativa | Edição 389 | Novembro de 2009 | Campo Mourão - Paraná

Balanço / Formação

Cooperativas repetem receita de R$ 25 bilhões

Presidente da Ocepar revela ano difícil e comemora resultado projetado de janeiro a dezembro. Para 2010 a meta do setor é crescer 10%

Apesar da redução na demanda mundial e da quebra na produção de grãos, as cooperativas do Paraná vão fechar 2009 com faturamento de R$ 25 bilhões, mesmo valor do ano passado, revelou o presidente da organização que representa o setor no Estado, a Ocepar, João Paulo Koslovski. O faturamento de 2008 foi recorde - 37% maior que o de 2007.

DIFÍCIL – “Foi um ano difícil. Tivemos perda no poder de compra em mercados como Estados Unidos, União Européia, Japão, o que resultou em queda nas exportações. Mas ainda assim as cooperativas conseguiram resultado positivo”, disse Koslovski. Os R$ 25 bilhões são uma projeção que considera o período de janeiro a dezembro.

MERCADO INTERNO – O mercado interno impediu que a renda das cooperativas recuassem, disse Koslovski. “Tivemos queda muito grande nos preços dos produtos (grãos, carnes, derivados). Não bastasse isso, o Paraná perdeu 9 milhões de toneladas de grãos (soja, milho, trigo e feijão)”. As dificuldades de acesso ao crédito também limitaram o desempenho do setor, acrescentou.

RETOMADA – Em 2010, as cooperativas pretendem voltar a crescer. O presidente da Ocepar aposta em 10% de aumento, numa perspectiva de que a moeda nacional se mantenha ou perca valor diante do dólar. Ele confia numa maior participação da soja. (Com informações da Gazeta do Povo)

Jovens Líderes Cooperativistas

A 13ª turma do Programa Coamo de Jovens Líderes Cooperativistas da Coamo teve a sua formatura no dia 24 de novembro. Quarenta cooperados estiveram na solenidade e foram prestigiados pelos familiares e a diretoria da cooperativa.

O programa é realizado em cinco módulos. O primeiro deles busca a identificação do cooperado para a sua condição dentro da sociedade, na propriedade e na família, e traça estratégias e metas para o futuro. O segundo, trata de planejamento e administração rural. O terceiro enfoca a questão da lide-rança, em busca de um futuro promissor. O quarto módulo destaca a gestão estratégica de negócios para a cooperativa e a análise e interpretação de balanço como instrumento para a tomada de decisão. E o quinto e último módulo promove uma viagem pelos entrepostos da cooperativa em todas as regiões da área de atuação. Ao todo, são 96 horas/aula de curso.

NOVA GERAÇÃO – “Os jovens do campo são os grandes responsáveis pela implantação de um novo modelo de administração rural, muito mais profissional. Eles trabalham de forma arrojada, sem esquecer das lições da família, passadas de geração em geração”, explica José Aroldo Gallassini, presidente da Coamo.

Desde a sua implantação, em 1998, o programa já formou 600 cooperados na faixa de 18 a 35 anos, de todas as regiões da área de ação da Coamo.