Site Coamo
Coamo Agroindustrial Cooperativa | Edição 389 | Novembro de 2009 | Campo Mourão - Paraná

Cooperativismo em Família

O valor das mulheres cooperativistas

Coamo destaca atuação feminina e reúne 1,8 mil delas em programa cooperativista. Mulheres de todas as regiões da área de ação da cooperativa conhecem melhor a estrutura, os benefícios e a organização da Coamo

A Coamo completou neste mês de novembro 39 anos de fundação. Desde o histórico dia 28 de novembro de 1970, quando 79 produtores fundaram a cooperativa, um dos pilares fundamentais para a conquista e a manutenção do sucesso tem sido, seguramente, a participação efetiva e a satisfação dos seus cooperados e familiares, através das esposas e filhas de cooperados. Diante deste fato e valorizando cada vez mais a família cooperativista, a Coamo oferece durante o ano diversas opções de cursos, palestras e eventos nas comunidades rurais e urbanas para melhor informar e orientar as mulheres no campo e na cidade visando a melhoria da qualidade de vida no ambiente pro-dutivo rural e familiar.

Alicerçado nesta filosofia e na educação cooperativista continuada, como fator de integração e êxito da sua atividade, e com o objetivo focado na maior aproximação das mulheres no agronegócio, mostrando a elas como funciona e o que faz uma cooperativa, a Coamo idealizou há alguns anos o Programa Coamo de Integração da Família Cooperativista (FamíliaCoop), com o slogan “Família cooperada conhecendo melhor a sua cooperativa”. Em setembro, cerca de 1,8 mil mulheres estiveram participando deste importante programa em Campo Mourão entre cooperadas, esposas e filhas de associados, vindas de todas as regiões da área de ação da Coamo, nos estados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul.

MAIOR INTEGRAÇÃO – “A mulher vem ocupando cada vez o seu espaço e além de suas tarefas dentro de casa está presente ajudando na condução e na administração da propriedade rural, apoiando e trocando ideias com sua família – cooperados e filhos -, sobre a melhor forma de gestão, e buscando o aumento da produção e da rentabilidade. Este programa foi muito bem aceito e os resultados são muito bons com maior integração e participação das mulheres na co-operativa”, considera o presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini.

TEMAS – Gallassini esteve presente e palestrou em todos os sete eventos realizados neste ano. A exemplo dos anteriores, conversou com elas sobre diversos temas de interesse das visitantes. A filosofia cooperativista e a prática dos princípios cooperativistas que diferenciam as cooperativas das empresas mercantilistas foi um dos assuntos. Outro que despertou muita atenção foi a comercialização da produção, onde o presidente da Coamo mostrou como ela ocorre e as modalidades disponíveis, bem como as tendências do mercado nacional e mundial para os produtos agrícolas. Também mereceu destaque os benefícios e os programas oferecidos pela Coamo para incrementar a produção, reduzir custos e promover a qualidade de vida da família cooperada. A realidade atual com relação aos entraves do meio ambiente que vem despertando o interesse e preocupando a família rural foi debatido. Elas ficaram sabendo também quais foram as sugestões reivindicadas pela Coamo e setor agrícola para resolver a situação de milhares de produtores rurais brasileiros.

ADMINISTRAÇÃO – As participantes do FamíliaCoop tiveram a oportunidade de conhecer um pouco da estrutura e como funciona a administração da Coamo. “Uma cooperativa deve funcionar como uma empresa onde os cooperados têm direitos e deveres, e cada um deve cumprir a sua parte. Se isso não acontecer, poderá ocorrer o insucesso. Quanto mais o quadro social participa do cooperativismo, seja no abastecimento de insumos, entrega da produção ou, por exemplo, nos cursos, reuniões e eventos técnicos, educacionais e sociais, mais forte ele fica e a sua cooperativa também. E graças a Deus, a Coamo é privilegiada, pois é motivo comprovar o orgulho, a confiança e a grande participação dos cooperados Coamo”, relata o presidente da Coamo.

Para Elianete, esposa do cooperado Sergio Yoshio Hazegawa, de Moreira Sales (Noroeste do Paraná), a visita foi muito proveitosa. “Fiquei admirada com tudo o que vi, o doutor Aroldo é uma pessoa muito simples. É um homem de fibra e sábio. Para conduzir esta estrutura toda que a Coamo tem não é para qualquer um”, constata.

ALIMENTOS COAMO – No período da manhã, as mulheres ficaram sabendo da atuação da Coamo na área industrial e dos produtos alimentícios que, além de agregar valor a produção dos co-operados, estão presentes às mesas dos brasileiros e são exportados para vários países e continentes do mundo. E à tarde, elas visitaram o parque industrial conhecendo os processos e a industrialização que transforma a matéria-prima recebida dos cooperados em alimentos (óleo de soja refinado, café, farinha de trigo, margarinas e gordura vegetal) com as marcas Coamo, Primê, Solus e An-niela, que fazem parte do dia a dia de milhares de consumidores.

A qualidade dos Alimentos Coamo foi observada por Nicoli Carolina Maia de Almeida, de Mangueirinha, no Sudoeste do Paraná. “A Coamo está agindo de maneira correta demonstrando os seus produtos e a maneira como eles são feitos e a segurança quanto aos padrões de qualidade. Nós vamos às compras, comentamos com nossas amigas sobre a qualidade dos Alimentos Coamo que nos dá muito orgulho e a certeza do que estamos consumindo”, salienta.

HARMONIA FAMILIAR – No encerramento da programação matinal, Ercília Schmidt dos Santos, Encarregada do Setor de Seleção e Desenvolvimento, da Gerência de Recursos Humanos palestrou sobre a importância e a liderança da mulher para o sucesso no ambiente da família e da sociedade. “A mulher tem uma força incrível, mas precisa descobrir isso, se valorizar e se amar para com auto-estima elevada estar presente e ajudar nos negócios da família e da propriedade, vencer as dificuldades e vibrar com as coisas boas”, disse Ercília, que trabalhou com o sentimento de valor da mulher.

Opinião delas

Iaskara Goreti Serpa Maia, esposa do cooperado Juscelino Souza Almeida, de Mangueirinha (Sudoeste do Paraná) – “Este programa é importante. Através dele, conhecemos melhor a nossa cooperativa, para, junto com nossos maridos, garantirmos uma melhor administração da propriedade”.

Verônica Wasilewski, esposa do cooperado Pedro Wasilewski, de Cândido de Abreu (Centro do Paraná) – “Não imaginava toda essa estrutura. Fiquei surpresa em saber o real tamanho da nossa empresa, como somos fortes e como a união faz a força. Valeu a pena levantar bem cedo e ir à labuta com coragem. Hoje vemos o resultado de nossos esforços”.

Selma Vieira da Rosa Blasius, esposa do cooperado Pedro Paulo Blasius, de Manoel Ribas (Centro do Paraná) – “O que dizer da Coamo. Estou sem palavras. Me surpreendi com tudo o que vi e por saber que existe muito mais. Fico feliz porque tudo isso”.

Lurdes Brinhoni da Silva, cooperada em Campo Mourão (Centro-Oeste do Paraná) – “Gostei muito de participar. Passa sempre defronte ao parque industrial, mas não sabia que era tão grande a área de alimentos”.

Itelvina Aurora de Carvalho Bortoluzzi, esposa do cooperado Paulo Bortoluzzi, de Moreira Sales (Noroeste do Paraná) – “Eu sabia que a Coamo era empresa de grande porte e organizada, mas me surpreendi com toda esta estrutura organizacional e também com o Dr. Aroldo, um homem persistente e de punho forte”.

Genaide Galvani Marcelino, esposa do cooperado Edgar Marcelino, de Ivaiporã (Norte do Paraná) – “Sempre tive interesse em conhecer a sede da Coamo. E quando cheguei aqui vi que era mais do que eu esperava, pois a atenção que recebemos deixou evidente o quanto a cooperativa se preocupa com os cooperados e sua família”.