Site Coamo
Coamo Agroindustrial Cooperativa | Edição 399 | Novembro de 2010 | Campo Mourão - Paraná

Projetos

Desenvolvimento no campo

Mais de 74 mil eventos técnicos, educacionais e sociais são realizados pela Coamo, buscando aumentar a renda e a qualidade de vida da família rural

Nessas quatro décadas de existência da Coamo, a participação de cooperados e familiares vem sendo muito grande e constituindo em importante exemplo na prática da educação e da formação cooperativista. Anualmente, a Coamo promove mais de 1.400 eventos nas áreas técnica, educacional e social para cooperados, esposas e filhas, objetivando agregar valor a produção e a melhoria da qualidade de vida no ambiente produtivo rural nas suas comunidades. “Em 2009, nova-mente a presença nos cursos, treinamentos e palestras foi significativa, com o registro de mais de 74 mil participações. Este número demonstra o forte interesse da família dos nossos cooperados em aprender sempre e aprimorar seus conhecimentos não só na área técnica, mas também na área educacional e social”, explica o agrônomo José Varago, superintendente Técnico da Coamo.

ASSISTÊNCIA – Na área Técnica, o Departamento Técnico (Detec) da Coamo está o ano todo ao lado dos seus cooperados oferecendo uma assistência qualificada para difundir tecnologias e trocar experiências visando o sucesso nas atividades dos cooperados. No ano passado, somente na área técnica, a Coamo promoveu mais de 800 eventos reunindo 50 mil pessoas nos eventos como dias de campo, reuniões e encontros, palestras técnicas, entre outros. Para José Varago, o Detec exerce um papel de muita importância junto ao quadro social, principal-mente na orientação para redução dos custos de produção, aumento da produtividade, e conservação do meio ambiente e da fertilidade do solo, além de apresentar novas e modernas tecnologias. “Os números com a evolução das produtividades dos cooperados ao longo desses anos da existência da Coamo comprova a eficiência e o sucesso da parceria entre os cooperados e a Coamo, que tem atuado fortemente no apoio necessário para que eles produzam mais e melhor”, analisa o superintendente da Coamo.

CURSOS – No campo social, por exemplo, há mais de três décadas a Coamo oportuniza as mulheres das comunidades rurais a participação em diversos cursos que buscam a ampliação dos recursos da família e a melhoria da qualidade de vida da família cooperativista. Com dezenas de cursos tanto na alimentação como nas artes, a área de Promoção Social da Coamo em parceria com o Sescoop oferece anualmente cerca de 300 eventos beneficiando mais de três mil mulheres entre cooperadas, esposas e filhas. “Somente no ano passado tivemos cerca de 3.500 mulheres presentes nesses eventos, mostrando a sua alegria e satisfação em participar, aprender e colocar seus talentos para melhorar a qualidade na sua propriedade e obter uma renda extra com os trabalhos realizados”, co-memora o agrônomo Ricardo Accioly Calderari, diretor-secretário da Coamo. Para os cooperados, empregados e filhos de co-operados, a Coamo efetivou através do Centro de Treinamento Agrícola (CTA) a realização direta de 87 cursos com 1.285 participantes em cursos de capacitação agrícola. Entre eles, os de opera-dor de colheitadeira e tratorista; regulagem de colheitadeira, plantadeira e pulverizadores. “Sem contar, os inúmeros atendimentos realizados nas unidades por ocasião das épocas de plantio e colheita, para que os cooperados tenham êxito nas suas atividades”, informa Domingos Carlos Basso, técnico do CTA.

Futebol e integração

A Copa Coamo é o maior evento esportivo rural do Brasil. Cooperativismo na cabeça e no pé

O homem do campo labuta a terra de sol a sol para produzir alimentos com qualidade para o Brasil e o mundo. Mas, nem só de trabalho o homem deve viver. Foi com este propósito e pensando em um divertimento que pudesse estreitar e até aumentar os laços de amizade entre seus cooperados e familiares que a cooperativa criou em 1993 a Copa Coamo de Co-operados – Futebol Suíço.

Considerado o maior evento esportivo rural do Brasil, a Copa Coamo reúne a cada dois anos cerca de 500 equipes, uma participação direta em campo de 7.500 cooperados e um total de mais de 25 mil participantes, de Norte a Sul, Leste a Oeste na área de ação da Coamo, transformando-se numa grande festa do cooperativismo, pelo esporte e lazer.

Em 2009, a Copa Coamo foi promovida na sua 10ª edição. E desde a primeira em 1993, vem registrando presenças de centenas de times e milhares de atletas que entram em campo com elevado espírito de equipe e de solidariedade, tendo a certeza de participar de um projeto de lazer que deu certo, e consolida a prática do bom cooperativismo, dentro e fora de campo. O resultado desta interação é grandioso, tanto que o evento é esperado com expectativa redobrada e já faz parte do calendário dos cooperados e familiares, de milhares de pessoas cooperativistas.

A Copa Coamo, que no ano passado completou 16 anos da sua primeira edição, é um projeto bem aceito que tem história em todos os municípios da área de ação da cooperativa, figurando sempre, entre as maiores festas das comunidades locais.

O diretor-presidente da Coamo e presidente de honra da Copa Coamo, José Aroldo Gallassini ressalta o interesse dos cooperados e a participação dos funcionários que com voluntariado tem feito a diferença e o sucesso dos jogos. “A Copa Coamo é diferente, é um campeonato organizado pela nossa própria equipe de funcionários, com talento, profissionalismo e competência, caprichando e emocionando a todos com cada detalhe. E é muito bom ver a alegria da família dos nossos cooperados em cada rosto”.

A próxima Copa Coamo de Co-operados está programada para o primeiro semestre de 2011 e a diretoria espera repetir o sucesso das edições anteriores,com grande integração e participação dos cooperados. “É uma festa do cooperativismo, muito importante para a família Coamo. É um projeto de esporte e lazer que deu certo, por isso é uma grande honra para a Coamo promover este evento que une e fortalece as amizades entre os integrantes do cooperativismo”, comemora Gallassini.

Produção industrial

Dos campos dos cooperados para a mesa dos brasileiros e vários países do mundo

Em uma área superior a quatro milhões de hectares de terras a Coamo recebe e comercializa anualmente mais de quatro milhões de toneladas de grãos, oriundos da produção dos seus cooperados. A Coamo responde por 3,7% de toda a produção nacional de grãos e fibras e 17% da safra paranaense, atuando fortemente em 63 municípios do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. E ultrapassando fronteiras, a participação no mercado externo é mais um motivo de satisfação e orgulho. Os números do Ministério do Desenvolvimento e Comércio Exterior colocam a Coamo entre as maiores exportadoras do país, com sua produção migrando para vários países da Europa e da Ásia, entre outros.

Desta maneira, dos campos dos cooperados sai a produção que vai para os armazéns da cooperativa e em seguida para a industrialização, gerando maior valor as atividades dos produtores. Assim, as indústrias também têm especial importância para a cooperativa porque além de agregarem valor à produção dos cooperados geram competitividade num mercado cada vez mais globalizado.

No parque industrial da Coamo, indústrias de esmagamento de soja, entre próprias e terceirizadas, possuem capacidades de produção de dois milhões e cem mil toneladas. Entre estas indústrias está uma refinaria de óleo de soja com capacidade 660 toneladas/dia; uma fábrica de gordura hidrogenada para 100 toneladas dia; uma indústria de margarina, com capacidade para 180 toneladas/dia; duas fiações de algodão com capa-cidade para 30 toneladas de fio/dia; um moinho de trigo arrendado que industrializa 200 toneladas de trigo por dia e uma indústria de torrefação e moagem de café para produzir 450 toneladas /mês.

MERCADO CONSUMIDOR – Não é somente nos campos de produção que o trabalho dos mais de 22 mil cooperados da Coamo é observado e valorizado. Das indústrias da Coamo saem para as mesas dos consumidores, os alimentos com as marcas Coamo, Primê, Anniela e Sollus, entre óleo de soja refinado, margarinas, gordura vegetal, farinhas de trigo e cafés. “Os alimentos com as nossas marcas estão nas prateleiras dos principais supermercados de várias regiões do país, com a certeza de serem produtos oriundos de agricultores produzidos com a mais alta tecnologia e a tradição de quem faz o que gosta e faz bem feito, seguindo os mais exigentes padrões e controles de qualidade. O trabalho dos nossos associados está impresso na força e qualidade das marcas Coamo, Primê, Anniela e Família, que ocupam lugar de destaque no mercado consumidor brasileiro”, afirma José Aroldo Gallassini, diretor-presidente da Coamo.

COMMODITIES – Também merece destaque as commodities agrícolas – farelo e óleo degomado de soja -, que são comercializadas no mercado externo nos sistemas FOB e CIF, com certificado de rastreabilidade, que garante o controle do produto Coamo dos campos dos cooperados até o seu destino final, sendo que as exportações da cooperativa são feitas por terminal portuário próprio em Paranaguá, no estado do Paraná, cuja capacidade para embarque é de até três mil toneladas de produtos por hora.

Industrialização: Linha do tempo

1975 – Entra em operação o moinho de trigo, em Campo Mourão. Hoje a unidade possui uma capacidade para beneficiar 200 toneladas do produto por dia;

1981 – Começa a funcionar a primeira indústria de óleo de soja, em Campo Mourão;

1986 – Início das operações da fiação de algodão, com capacidade para 20 toneladas de fio cardado por dia;

1990 – Entra em operação a indústria de esmagamento de soja, em Paranaguá. Hoje, a unidade possui capacidade de esmagamento de 2.000 toneladas por dia;

1996 – Começa a funcionar a refinaria de óleo de soja, em Campo Mourão, cuja capacidade atual é de 360 toneladas por dia;

1999 – É instalada a indústria de hidrogenação, em Campo Mourão. A unidade possui uma capacidade atual de 100 toneladas por dia;

2000 – É inaugurada a indústria de margarina e gorduras institucionais, em Campo Mourão. A unidade possui capacidade atual de 180 toneladas por dia;

2007 – Entra em operação a indústria de envase de óleo de soja pet, cuja com capacidade atual é de 400.000 caixas por mês;

2009 – Início das atividades da Coamo na Fiação de Algodão em Goioerê, com capacidade para 10 toneladas de fios cardados por dia; inaugurada a indústria de torrefação e moagem de café, em Campo Mourão, para produção de 450 toneladas/mês.

Renda e qualidade de vida

Atividades desenvolvidas pela Coamo propiciam aos associados investimentos em tecnologias e aumento da produção no campo

Quando 79 agricultores se reuniram e fundaram a Coamo em 28 de novembro de 1970 eles tinham muitos problemas, e sabiam que sozinhos seria muito difícil, para não dizer impossível, de solucionar as dificuldades existentes na época. E unidos no mesmo ideal, com base na solidariedade entre eles, identificaram quais eram os problemas e suas necessidades e, juntos, tiveram a solução que foi a Coamo. Uma co-operativa organizada e forte, que coloca à sua disposição projetos e serviços para suprir e dar apoio a tudo aquilo que o quadro social precisa para ter êxito na atividade.

Entre os benefícios relevantes para os cooperados está o Departamento Técnico. A Coamo disponibiliza assistência agronômica e veterinária, com o trabalho de mais de duzentos profissionais, treinados e especializados em suas funções. Os técnicos exercem função primordial junto aos produtores, principalmente no que se refere a redução dos custos de produção, o aumento da produtividade, e a conservação e fertilidade do solo, além da aplicação de modernas tecnologias e incremento da renda e qualidade de vida aos seus cooperados.

Os cooperados têm a garantia do abastecimento de insumos modernos para poder plantar e obter maiores produtividades, com sementes selecionadas, adubos e defensivos de qualidade e a preços justos. E também importante: os insumos estão sempre na hora certa que o co-operado precisa para plantar.

FAZENDA EXPERIMENTAL – Ao longo desses 40 anos de Coamo, foram surgindo novas técnicas de plantio e conservação de solos, de combate a doenças e pragas, que foram testadas e aprovadas em um só lugar. Foi na Fazenda Experimental Coamo, onde são desenvolvidos experimentos com novas variedades de cultivares, com segurança e qualidade. E também os novos defensivos e variedades que surgem no mercado são testados primeiramente nesse lugar para depois serem utilizados pelos cooperados. Assim, a Fazenda Experimental Coamo é uma escola, um laboratório a céu aberto, sendo referência há mais de trinta anos não só para os cooperados, mas também para a formação da equipe técnica da cooperativa e de pesquisadores.

Para repassar aos cooperados novas e modernas tecnologias, a Coamo conta com uma fazenda experimental que, em uma área de 170 hectares, sendo referência há mais de trinta anos para produtores, técnicos e pesquisadores.

FERTILIDADE DO SOLO – Com a assistência da Coamo, vários são os projetos desenvolvidos, como os de Fertilidade do Solo para o equilíbrio dos nutrientes do solo e aumento da produtividade.

LAVOURA/PECUÁRIA – O projeto Integração Agricultura-Pecuária visa melhorar a rentabilidade da propriedade durante a estação de inverno, transformando parte da área de lavoura em pastagem para engorda de gado.

NA PONTA DO LÁPIS – O programa de Gerenciamento Rural, conhecido como o Programa “Na Ponta do Lápis”, auxilia o cooperado e sua família a compreender sua realidade financeira, com anotações dos custos de produção e despesas invisíveis, tanto de casa quanto de sua propriedade. O “Na Ponta do Lápis” deu à Coamo o Prêmio OCB, com o melhor projeto de gestão profissional no cooperativismo brasileiro.

LABORATÓRIO DE SEMENTES – Outro ponto de apoio aos cooperados é o moderno laboratório de Análise de Sementes, com sistema de gestão de qualidade baseado na norma ISO 17.025, que assegura a garantia da qualidade dos resultados de análise de sementes fornecida ao quadro social.

MEIO AMBIENTE – A preservação do meio ambiente também merece atenção e atuação especial dos técnicos da Coamo junto aos cooperados com uma área de mais de 1.200 hectares de matas, distribuição de mudas nativas que garantem a recuperação e a manutenção das matas ciliares, e uma área de 3.800 hectares de reflorestamento para fins energéticos, garantindo o equilíbrio da natureza. Em parceria com entidades oficiais, a Coamo desenvolve o Programa de Recolhimento de Embalagens Vazias de Defensivos Agrícolas, que foi premiado pela Associação Nacional de Defesa Vegetal (Andef), a nível nacional.

JOVENS LÍDERES – A Coamo também trabalha para preparar e formar uma nova geração de cooperados e empreendedores rurais, propiciando o desenvolvimento e a continuidade da atividade. Assim, surgiu o Programa Coamo de Jovens Líderes Cooperativistas, que já formou mais de 600 jovens cooperados com ensinamentos sobre cooperativismo, liderança, planejamento e gestão empresarial.

ASSISTÊNCIA DE PRIMEIRIA – “Nesses 40 anos a Coamo cresceu e esteve ao lado do quadro social no atendimento das suas necessidades, agregando maior valor e propiciando um melhor rendimento a todos os cooperados com melhor qualidade de vida. A Coamo está presente, junto com seus mais de 22 mil cooperados, dando-lhe todo apoio e assistência de primeira qualidade, quer na área técnica agronômica, como financeira e na comercialização. Os nossos cooperados são atualizados permanentemente e como resultado, estão colhendo altas produtividade em suas lavouras”, afirma o idealizador e presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini.