Agricultura
Produtividade cresce mais de 20% em Ivaiporã

No milho a evolução chegou a 51% em duas safras. Assunto foi debatido por centenas de cooperados da região

Cooperados da região de Ivaiporã aprimoraram conhecimentos na tecnologia de plantio direto
O panorama agrícola da região de Ivaiporã vem sofrendo grandes transformações, desde a chegada da Coamo, há quatro anos. Com um pacote de benefícios que disponibiliza uma assistência diferenciada desde a escolha da semente, passando pelas etapas de planejamento, acompanhamento do plantio e colheita, até a comercialização da produção, os cooperados estão vivenciando na prática um momento jamais
presenciado na região. E esses bons resultados da ação conjunta realizada pela Coamo e seus cooperados foram apresentados no 3º Encontro de Plantio Direto promovido recentemente, em Ivaiporã.

No encontro tecnológico que reuniu mais de 350 cooperados, o engenheiro agrônomo Edivan Abel de Moraes, responsável pelo Detec da Coamo em Ivaiporã, mostrou a evolução nas produtividades das lavouras de verão na região. Considerando as últimas três safras, a produtividade da soja saltou de 105 sacas por alqueire na safra 1999/2000 para 140 sacas por alqueire de média neste ano, representando crescimento de 21%. No milho, a evolução foi ainda maior, com aumento de 51% (158 sacas por alqueire em 1999/2000 e 292 sacas por alqueire na safra 2001/2002). "A presença da Coamo está colaborando para o desenvolvimento dos nossos cooperados e do perfil agrícola regional. Esses bons resultados são frutos do grande interesse e participação dos cooperados no sentido de conhecer e utilizar as modernas tecnologias para aumento de produtividade e renda na atividade", afirma o engenheiro agrônomo José Aroldo Gallassini, presidente da Coamo, que palestrou na abertura do evento.

A programação do encontro constou de apresentação de importantes palestras que contribuíram para a elevação de conhecimentos e aprimoramento tecnológico dos cooperados. Entre os temas abordados, destaque para "manejo e controle integrado de plantas daninhas no sistema de plantio direto", com o especialista Antonio Ferreira Neto, gerente de biotecnologia da Monsanto; "pragas secundárias", com o engenheiro agrônomo da Coamo, Joselito Santos; "manejo da física e compactação do solo", com o especialista Cássio Tormena, da Universidade Estadual de Maringá. 

Atualmente, o sistema de plantio direto é praticado por cerca de 99% dos cooperados, número bem diferente do verificado em anos anteriores, quando o percentual de produtores adeptos dessa prática não ultrapassa 70%. "A área de adubação praticamente triplicou na nossa região e o plantio direto hoje é uma bela realidade. Agora, o desafio passa a ser a busca incessante pelo aprimoramento visando a melhoria da rentabilidade com redução de custos", relata Moraes.