Agromercado     



PRODUTOS COAMO:
Representantes se encontram em CM

CONVENÇÃO ANUAL APRESENTA EVOLUÇÃO EM VENDAS DA LINHA ALIMENTÍCIA DA COAMO, QUE CRESCEU 37% EM 2004

A edição 2004 da Convenção Anual de Vendas da Coamo foi marcada pela apresentação de números que referendaram a consolidação da linha alimentícia da cooperativa no mercado nacional. O evento reuniu cerca de 80 representantes comerciais que trabalham na venda direta dos produtos Coamo em oito estados brasileiros (Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Rio Grande do Sul, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul) e aconteceu no dia 01 de outubro, em Campo Mourão, centro-oeste do Paraná.

Segundo informou a gerência de Alimentos da Coamo, o setor acompanhou a tendência verificada nos últimos anos, ampliando os volumes de produção e de vendas. No período de outubro de 2003 a setembro de 2004 as vendas dos Produtos Coamo tiveram um incremento de 37%, em relação ao período anterior. O volume de produção também cresceu, em 26%. “Esse avanço tem sido verificado ano após ano e revela que estamos no caminho certo”, disse o gerente de Alimentos da Coamo, Lourival Aguirra. Os produtos da linha de alimentos da Coamo, segundo ele, “estão cada vez mais presentes na mesa dos consumidores, levando qualidade e sabor à vida dos brasileiros”.

Aguirra também creditou os bons desempenhos do setor à abertura de novos mercados, ampliando a área de atuação no Brasil. “Há um novo enfoque no trabalho de atendimento aos clientes, mais regionalizado. Isso tem garantido aos clientes uma parceria mais estreita e, assim, um atendimento mais personalizado”, destacou.

Os representes de vendas dos Produtos Coamo estiveram reunidos na cooperativa durante o dia todo. Eles debateram com a diretoria da Coamo os avanços do setor e os projetos para os próximos anos. Também aproveitaram para trocar experiências e promover maior integração. Ao final do encontro, eles participaram de uma palestra motivacional, com o tema A Magia de Gerenciar Equipes.

A Convenção Anual de Vendas da Coamo é uma promoção da gerência de Alimentos, ligada à superintendência Comercial da cooperativa.

 
 

Agroanálises
(Comercialização Coamo – 20/10/2004)

 SOJA
No último relatório do dia 12/10/2004 apresentado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), foi projetado uma produção americana de 84,55 milhões de toneladas. Isso representa um acréscimo de 7,37 milhões de toneladas comparada ao relatório do mês anterior, que foi de 77,18 milhões de toneladas. A projeção de tamanha produção tirou todo ânimo do mercado, além de não sinalizar melhoras adiante.

 MILHO
O volume ofertado no mercado é grande. Em contrapartida, o lado comprador está totalmente fora do mercado alegando estar abastecido. No mercado externo, a supersafra americana só veio coroar o desinteresse por parte da demanda. Voltaremos a ter bons preços se conseguirmos exportar, ou se houver frustrações, o que neste caso não é bom.
 CAFÉ
Os preços do café caíram nas últimas semanas em função das chuvas que beneficiaram as lavouras e também da queda do dólar. Além disso, a safra do Vietnã tende a ser 5 a 6 milhões de sacas superior ao ano passado, compensando em parte a diminuição da produção no Brasil. Nesse momento, o mercado está calmo, atento ao desenvolvimento da florada numa tentativa de estimar o tamanho da próxima safra.
 ALGODÃO
O último relatório do USDA apontou uma produção mundial acima do consumo, gerando em certo desconforto para o mercado no que tange à expectativa que se tinha quanto uma recuperação nos preços no curto prazo. O mercado internacional mostrou-se mais frouxo, com reflexo imediato no mercado interno, deprimindo ainda mais os preços que já eram considerados baixos pelos produtores, no entanto não é o único produto com preços em declínio por excesso de produção mundial. Considerando que grande parte dos volumes exportados pelos produtores brasileiros não foram embarcados, torna evidente pelo comportamento do mercado que os volumes a serem comercializados neste momento supera a demanda das indústrias até a entrada da próxima safra, sinalizando que a recuperação nos preços não será tão fácil como se esperava.
 TRIGO
Continua um dilema a comercialização do trigo para os triticultores paranaenses. Do lado das indústrias, ainda não se consumiu todo o trigo adquirido da safra 2003 e principalmente as indústrias localizadas nos estados de São Paulo e Minas Gerais vem se abastecendo com trigo paulista e goiano, mantendo-se temporariamente fora do mercado paranaense, que por sua vez enfrenta um descompasso entre a pouca demanda por parte das indústrias e uma grande pressão de venda por parte dos produtores. O Governo Federal no intuito de auxiliar na comercialização instituiu os leilões de PEP – Prêmio para Escoamento de Produto para o norte e nordeste do país, no entanto sem sucesso. A expectativa fica por conta dos leilões de opção, com início nesta semana, para exercício e pagamento somente em 15/02/2005, porém ajudará a dar uma melhor liquidez ao produto.


Indicadores Econômicos 

VARIAÇÕES mai/04 jun/04 jul/04 ago/04 set/04 Acumulado
Período
Acumulado
12 meses
IGPM (% AO MÊS) 1,31%
1,38%
1,31% 1,22%
0,69% 7,33% 11,90%
TR (% AO MÊS) 0,15%

0,20%

0,20%

0,20%

0,17% 0,99% 2,05%
DÓLAR COMERCIAL (%AO MÊS) 6,26%

-0,69%

-2,60%

-3,07%

-2,56% -1,72% -2,22%
TJLP (% AO MÊS) 9,75%

9,75%

9,75%

9,75%

9,75%    
SOJA 25,32%

5,06%

19,40%

12,12%

13,85% 117,75% 269,29%
MILHO 4,44%

9,09%

13,79%

2,07%

7,14% 58,67% 112,08%
ALGODÃO 24,24%

0,00%

5,33%

0,00%

0,00% 40,44% 57,75%
TRIGO (PH 78) 7,14%
9,09% 9,76% 6,96% 4,55% 57,51% 61,26%


Poder de Troca mês a mês

MÁQUINAS/INSUMOS X PRODUTOS abr/04 mai/04 jun/04 jul/04 ago/04 set/04 MÉDIA
DO PERÍODO

MÉDIA ULT.
12 MESES

TRATOR NEW HOLLAND TM-135 - 125 CV (COMPLETO)
SOJA 3.469 3.573 3.704 3.817
5.000
5.180 4.277 3.948
MILHO 9.551 8.641 8.696
10.112 11.945
12.414 10.412
10.692
ALGODÃO (TIPO 6) 8.000 8.595 9.091
8.682 11.667
12.000 10.108
9.147
TRIGO (PH 78) 6.355 5.483 5.217 6.455 7.353 8.000 6.525 6.639
COLHEITADEIRA NEW HOLLAND TC 57 (completa)
SOJA 7.143 7.865 8.889 8.020
10.571
10.647
9.175
8.194
MILHO 19.663 19.022 20.870
20.875 25.256
25.517 22.313 21.982
ALGODÃO (TIPO 6) 16.471 18.919 21.818
18.339 24.667
24.667 21.707 19.039
TRIGO (PH 78) 13.084 12.069 12.522 13.427 15.546 16.444 13.969 13.705
PLANTADEIRA PSE 8 2S (COM CÂMBIO)
SOJA 872 961 1.056 987
1.221
1.230
1.084 1.009
MILHO 2.402 2.323 2.478
2.607 2.918 2.948 2.638 2.734
ALGODÃO (TIPO 6) 2.012 2.311 2.591
2.247 2.850
2.850 2.565 2.339
TRIGO (PH 78) 1.598 1.474 1.487 1.663 1.796 1.900 1.652 1.697
PULVERIZADOR COLUMBIA MAXTER FLOW
SOJA 625 712 772 710
893
900 792 724
MILHO 1.720 1.722 1.813
1.871 2.134
2.156 1.927 1.953
ALGODÃO (TIPO 6) 1.447 1.713 1.895
1.622 2.084
2.084 1.876 1.685
TRIGO (PH 78) 1.144 1.093 1.088 1.192 1.314 1.390 1.207 1.214
CALCÁRIO
SOJA 1 1 1 1 1 1 1 1
MILHO 3 3 3
3 3 3 3 3
ALGODÃO (TIPO 6) 2 3 3
3 3 3 3 3
TRIGO(PH 78) 2 2 2 2 2 2 2 2
Para cálculo da paridade de produtos X máquinas e insumos foram utilizados os preços praticados no último dia do mês.

 Página Inicial   Índice Geral