Site Coamo
Coamo Agroindustrial Cooperativa | Edição 388 | Outubro de 2009 | Campo Mourão - Paraná

Editorial

Safras anormais marcam o ano de 2009

Engenheiro agrônomo José Aroldo Gallassini, idealizador e diretor-presidente da Coamo Agroindustrial Cooperativa

Os efeitos climáticos marcaram 2009 como um ano atípico em razão das frustrações de safra nas lavouras de verão e inverno. Os produtores são esperançosos por natureza, fazem um bom planejamento e investem em tecnologia, fazendo desta maneira a sua parte, e assim, aguardam sempre que a nova safra seja melhor que a anterior. A safra de milho já foi praticamente implantada apresentando redução em torno de mais de 40% e a soja terá incremento de 15% na safra 2009/10.

Desta maneira, este ano deverá ter resultados bem diferente do que os produtores esperavam quando lançaram suas sementes ao solo na safra passada, tendo em vista a ocorrência de frustrações que resultaram em perdas, ora por períodos de seca e temperaturas elevadas, ora por excesso de chuvas e algumas até com granizos e temporais, causando grandes prejuízos em muitas regiões rurais e urbanas.

Outro problema que os produtores e o setor agrícola vêm sentindo são os reflexos provocados pela crise mundial, com interferência direta nos resultado de 2009. A redução do consumo, a queda dos preços em dólar e a valorização do real provocaram perda de renda, situação bem diferente dos anos anteriores. Por sua vez, a redução dos custos de produção da safra que está sendo implantada, ao redor de 35% nos adubos, e também verificada nos herbicidas, ajudou a amenizar um pouco os impactos da diminuição do lucro dos agricultores.

O produtor planta, produz e espera vender bem a sua safra com bons preços, o que, infelizmente não vem ocorrendo sendo a soja comercializada ao redor de R$ 42,00 e o milho a R$ 15,00, motivados pelo real valorizado e a desvalorização do dólar em safras anteriormente.

O trigo é outro produto que vem tendo dificuldade de preço provocando grandes perdas e insatisfação aos produtores. As chuvas na colheita e a ocorrência de doenças prejudicaram a qualidade do produto e consequentemente, determinaram a queda nos preços. O que o setor espera é o apoio do governo com intervenção para reduzir os problemas e amenizar esta grave situação, que é preocupante, principalmente se considerarmos que o Brasil produz 5 milhões de toneladas e consome 10 milhões de toneladas, e mesmo assim, não encontra compradores para a safra nova.

Retornei recentemente de viagem de negócios a clientes da Coamo na Europa. Eles acreditam que crise mundial continuará no próximo ano e como consequência, a tendência é que haja redução no consumo. A realidade atual mostra que está havendo redução no uso de farelo para a ração animal, e utilização de canola e girassol visando diminuição dos custos.

Mesmo com este cenário de dificuldades, os produtos exportados com a marca Coamo – óleo bruto e farelo -, possuem qualidade, mercado e credibilidade, e continuarão presente no mercado europeu em grandes volumes para atender as necessidades dos nossos clientes. Outra questão discutida nas reuniões de negócios na Europa foi em relação ao prêmio pela venda da soja não geneticamente modificada, que deverá estar definido até o final do mês de novembro.

Com a safra de verão 2009/10 semeada, os agricultores torcem por uma safra com clima regular, boas colheitas e preços regulares, para a volta da lucratividade nesta atividade importante que é a agricultura – responsável pela produção de alimentos para o Brasil e para o mundo, e ainda pelo incremento e êxito da balança comercial brasileira.

Por fim, parabenizo os cooperados e familiares que participaram da Copa Coamo de Cooperados – Futebol Suíço 2009, que é o tema principal desta edição do Jornal Coamo. Foi um belíssimo evento realizado ao longo de vários meses nas unidades da cooperativa com milhares de cooperados, culminando com a emocionante festa de encerramento no último dia 26 de setembro em Campo Mourão. Para a Coamo todos os cooperados são campeões e a Copa Coamo vem cumprindo o seu objetivo de ser um projeto com grande aceitação dentro de um esporte saudável, e incluindo lazer e integração, e promovendo a alegria, a amizade e a união entre a família Coamo.