Site Coamo
Coamo Agroindustrial Cooperativa | Edição 430 | Outubro de 2013 | Campo Mourão - Paraná

FamíliaCoop

Mulheres constroem o cooperativismo

Programa de Integração da Família Cooperativista reuniu 1.500 mulheres em Campo Mourão com o objetivo de valorizar e integrar cooperadas, esposas e filhas de cooperados

Elas vão à luta, são mães, esposas, donas de casa, empresárias, filhas, são mulheres que sabem aonde querem chegar e têm buscado o crescimento profissional e pessoal. Quando o tema é agricultura, elas fazem bonito e mostram o quanto entendem do assunto. Com a crescente participação, trabalhando ou apoiando esposos e familiares, ou até mesmo administrando sozinhas empreendimentos rurais, é preciso valorizar e capacitar esse novo perfil de profissionais que dão exemplo de força de vontade e perseverança. Por este motivo, a Coamo realiza a cada ano, o Programa Coamo de Integração da Família Cooperativista (FamíliaCoop).

Desde 2008, o projeto tem motivado cooperadas, esposas e filhas de cooperados a se interarem mais sobre administração rural, agronegócio e cooperativismo, a única ferramenta capaz de congregar esforços em prol de um mesmo objetivo. A Coamo está alinhada com os ideais do cooperativismo, que tem em sua filosofia o reconhecimento de que somente por meio da união é possível crescer. É a consciência de que essa marca da integração começa na família.

Durante uma semana, 1.500 participantes de todas as regiões da cooperativa nos Estados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, tiveram um contato direto com a diretoria da Coamo na administração central e aumentaram o conhecimento sobre a estrutura e os benefícios que a cooperativa disponibiliza para o sucesso da família cooperada na condução e administração dos negócios. “Com este programa pretendemos valorizar, fortalecer, integrar e incentivar ainda mais a participação da mulher na vida da Coamo. É uma iniciação ao cooperativismo, um evento muito importante que possibilita uma maior integração onde elas ficam sabendo mais sobre o cooperativismo e o dia-a-dia da Coamo”, avalia José Aroldo Gallassini, presidente da Coamo.

Chave para o sucesso

O trabalho na propriedade da família Bortoluzzi é resultado da união de todos. Dona Etelvina, esposa do cooperado Paulo Bortoluzzi, conta o quanto isso faz a diferença e elogia a iniciativa da Coamo em valorizar e incentivar essa prática. Para ela, que é de Goioerê, Centro-Oeste do Paraná, e tem raízes fincadas na agricultura, a mulher precisa ser participativa e incentivar nos filhos a filosofia da cooperação. “Sou filha de agricultor e depois casei com agricultor. Gosto de viver no campo ao lado dele, ser participativa e saber como vai o mercado e os negócios, gosto de estar sempre presente. Para a mulher é muito importante estar ao lado do marido, assim como o marido também deve participar na vida do lar, junto com a esposa. É uma troca que temos na família”, explica.

Etelvina ainda ressalta a importância do Programa ‘Família Coop’ e do cooperativismo. “Durante a visita fiquei impressionada ao ver essa estrutura enorme que a Coamo tem, quantas pessoas trabalhando e crescendo juntas. É uma satisfação grande para nós mulheres, que somos cooperadas, esposas ou filhas de cooperados. Nos dá um orgulho imenso em ser cooperativista. Toda a minha vida acreditei que o cooperativismo é uma força que temos para vencer muitos obstáculos que nossa agricultura e pecuária enfrenta. Se você não for cooperativista não chega lá. É o melhor caminho, se não for por meio da cooperação e da colaboração com o outro, não chegamos a lugar nenhum”, enfatiza.

O dia é delas

Todos os anos, as mulheres têm oportunidade de conhecer a estrutura da cooperativa

O Programa Coamo de Integração da família Cooperativista tem ganhado força e conquistado a cada ano mais adeptas. Neste ano, entre os dias 30 de setembro e 4 de outubro, a Coamo recebeu diariamente 300 mulheres que passaram um dia na cooperativa. O objetivo é esclarecer dúvidas e integrar a família. O dia delas começa com uma recepção da diretoria da Coamo. Em seguida, participam de uma palestra com o presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini, que explica o funcionamento da Coamo e do agronegócio, apresentando para as participantes a estrutura administrativa da cooperativa. As visitantes também participam de uma palestra sobre o valor da mulher e conhecem as instalações do Parque Industrial.

Processo de comercialização

O produtor rural planta, toma todos os cuidados com a lavoura, colhe e depois entrega o esforço de seu trabalho na cooperativa. Mas, e depois o que acontece com a produção? Essa é uma dúvida comum. Muitos sabem que esses produtos agrícolas são exportados e comercializados nos mercados externo e interno. Contudo, o que poucos sabem é como acontece esse processo. Durante o encontro as participantes têm a oportunidade de compreender a sistemática da comercialização.

Papel da mulher

Durante este dia reservado para elas, nada melhor do que um momento que fale sobre a realidade delas. Pensando nisso, durante o encontro, as visitantes participam de uma palestra ministrada pela encarregada do setor de Seleção e Desenvolvimento, da gerência de Recursos Humanos, Ercília Schmidt dos Santos sobre o papel da mulher no contexto atual. Um momento que incentiva a integração da mulher no cooperativismo como parceira do esposo na propriedade rural; aborda a postura da mulher como esposa, mãe e parceira e a autoestima da mulher. Segundo Ercília, cada situação exige uma postura diferente. “A mulher precisa se sentir bem para agir de forma correta e estar motivada. A cada ano atualizamos essa palestra que trabalha para a melhora da qualidade de vida de cada uma delas, sempre procurando considerar que cada uma tem uma forma de viver”, esclarece Ercília.

A transformação dos Alimentos Coamo

Aquele cafezinho que faz parte do dia a dia, o pão e a margarina que não faltam na cozinha, vem da terra e do trabalho das mãos de cada agricultor(a) que faz parte da família Coamo. A curiosidade de muitos, no entanto, é saber como funciona o processo de industrialização desse produto. Por este motivo, faz parte deste dia uma visita ao parque industrial, momento onde as participantes observam de perto o processo de fabricação dos Alimentos Coamo. O roteiro começa pela Fiação de Algodão, segue para a torrefação dos cafés Coamo, Sollus e Coamo Premium, depois para o refino e o envase do óleo de soja Coamo, até chegar na produção de margarinas e gorduras Coamo e o creme vegetal Primê.

Para Edineia Gomes Kaplun, esposa de cooperado, de Faxinal, a higiene e o cuidado com que são preparados os Alimentos Coamo a impressionaram. “O produtos da Coamo que já uso em casa e são fruto do nosso trabalho, posso fazer mais propaganda para minhas amigas usarem sem medo, pois eu vi e sei de todos os cuidados que são tomados para a produção desses alimentos”, avalia.

Sozinho ninguém cresce

Mulheres valorizam apoio da Coamo

“Uma viagem longa mas cheia de alegria e satisfação pelo fato de participar de um encontro saudável e que tem muito o que acrescentar para a nossa vida. Esse encontro superou minhas expectativas”, essas são as palavras de Marlene Albrecht Breure, esposa do produtor Meeuwis Breure, que veio de Maracaju para participar pela 1ª vez do Programa Coamo de Integração da Família Cooperativista.

Marlene avalia o dia como extremamente produtivo, onde reafirmou a segurança que tem na Coamo. “Depois desse encontro convido outras senhoras, esposas de agricultores de nossa região que se associem à Coamo, pois nela encontramos o apoio e segurança. Não temos como errar, pois temos uma diretoria competente que nos dá esse respaldo. Às vezes, pecamos por ter dúvidas, que esclareci com o diretor presidente, Dr. Aroldo. Ele nos explicou muito bem como funciona a cooperativa. É um prazer muito grande estar aqui e até dou os parabéns para o meu marido que está se associando a essa cooperativa”, comenta.

A esposa de cooperado ainda convida outras mulheres para participarem e buscarem esse conhecimento. “Venham à luta, vamos crescer juntas com os maridos e com a cooperativa, pois conforme li na sala do presidente da Coamo: ‘Sozinho, ninguém cresce’.”

Avaliação positiva

Após conhecer o Parque Industrial da Coamo, a diretoria encerra os eventos com a certeza da satisfação das mulheres e da importância do programa para o sucesso do cooperativismo praticado pela Coamo. O presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini, conta que esse é mais um programa da cooperativa que deu certo. “Com esse trabalho damos a oportunidade para a família falar em casa sobre comercialização, preço, o que é como age a cooperativa, dentre outros temas relacionados. Dá uma boa noção às esposas e com o tempo vamos aprimorando essas reuniões, levando outras informações, aperfeiçoando esse nosso trabalho. É uma coisa que começou e tem que continuar”, explica Gallassini.




Encontro em fotos

FALA MULHER