Agricultura

Avaliando as lavouras na integração

Dois anos após a implantação do projeto experimental de exploração integrada entre a agricultura e a pecuária, Fazenda da Coamo avalia os resultados das lavouras

A produtividade de carne dos dois primeiros lotes de animais, criados na Fazenda Experimental da Coamo, comprova a eficiência da exploração conjunta entre a agricultura e a pecuária. O ganho de peso por unidade animal por área superou as expectativas. Faltava, no entanto, uma avaliação do comportamento das lavouras no sistema, o que aconteceu nesta safra, dois anos depois da implantação do projeto experimental.

Para essa análise, o engenheiro agrônomo Joaquim Mariano Costa, responsável pelos trabalhos na fazenda da cooperativa, destaca três pontos que foram observados. O primeiro foi a condição de plantio das lavouras em sistema direto, tendo em vista que o solo recebeu um pisoteio constante do gado. "Nesse aspecto, a plantadeira se comportou muito bem e comprovou que a camada de 3 a 5 centímetros compactada pelo cascos do animas não é problema", comemora. Outro ponto analisado, segundo o agrônomo, foi um possível distúrbio biológico que poderia ser causado pelo cultivo anterior. "Também não verificamos nenhum problema, seja na soja ou no milho, pelo cultivo da pastagem de inverno". Pelo contrário. Segundo Costa, a soja, cresceu tanto que chegou até acamar, mas acabou fechando o ciclo com uma boa produtividade.

O terceiro ponto avaliado foi a produtividade das lavouras. O milho fechou com média de 376 sacas e a soja 120 sacas em cada alqueire. "A média da soja poderia ser ainda melhor, não fosse o problema de acamamento que houve, por excesso de crescimento", explica Costa. Segundo ele, a performance das lavouras implantadas sobre áreas pastejadas pelo gado foi um sucesso. "Isso nos estimula à continuidade e repetição do trabalho, avaliando os benefícios que o sistema oferece para o solo e para os cultivos subseqüentes".

O agrônomo da Coamo lembra ainda que esta é um dos poucos projetos viáveis onde o produtor pode dobrar o seu rendimento correndo menos risco. "Plantando bois é possível eliminar a ameaça de perder o plantio com as geadas que normalmente ocorrem no inverno", orienta.

O planejamento para a próxima safra é continuar repetindo os ensaio para apurar uma média em três anos. A repetição é necessária para chegar a conclusões científicas e técnicas.