Pecuária
Olho vivo na verminose

Vermes podem provocar desfalques na produção e inviabilizar a atividade

A entrada da primavera é um período crítico para a multiplicação dos vermes nas pastagens. As chuvas começam a ser mais freqüentes e as temperaturas sobem. Essa combinação (clima quente e úmido) favorece a eclosão dos ovos que são depositados nas pastagens pelos próprios vermes que estão nos animais. Esses vermes podem provocar desfalques na produção e inviabilizar a atividade pecuária, quer seja na produção de leite ou carne.

Os animais, durante o inverno, têm uma perda de imunidade, o que favorece a espoliação dos vermes. “Assim, os animais já saem do inverno debilitados e entram na primavera com uma alta carga de verminose. Esses vermes vão povoar bastante as pastagens. Assim, vamos ter os animais se alimentando das pastagens e ingerindo as larvas dos vermes junto com o alimento. Então o produtor terá em seu rebanho, se não tomar os devidos cuidados, uma grande infestação verminótica durante os primeiros meses da primavera”, alerta do médico veterinário Hérico Alexandre Rossetto, do Detec da Coamo em Campo Mourão.

Os vermes, segundo ele, acabam competindo com os animais pelos alimentos. “É uma fase crítica porque os bovinos absorvem toxinas depositadas pelos vermes através do aparelho digestivo e há uma sobrecarga hepática, lesão de õrgãos, problemas neurológicos e pulmonares”, esclarece.

Os desfalques na produção são preocupantes. No caso do rebanho leiteiro, uma alta incidência de vermes pode representar uma queda substancial na produção de leite, chegando a 25% do total. Já no caso de produção de corte, os animais podem perder cerca de uma arroba, no período de um ano, espoliação intermitente dos vermes.

Os cuidados que o produtor deve ter são de caráter preventivo. “Orientamos os cooperados para que façam um controle profilático já no início do inverno, para que haja uma destruição das larvas que iriam ficar em latência no organismo dos animais”, lembra Rossetto. Os criadores, segundo ele, devem fazer um novo controle preventivo na primeira quinzena de setembro, visando eliminar a primeira geração de vermes e diminuir o número de ovos nas pastagens.

Doenças do intestino – A entrada da primavera também aumenta os riscos de doenças do aparelho digestivo. Há uma grande probabilidade de perdas de animais por morte súbita em decorrência de algumas infecções intestinais graves que acontecem nesse período devido a característica de crescimento das pastagens e também ao aumento da espoliação verminótica nos animais.

“É comum os pecuaristas vincularem casos de mortes de bovinos com a brotação das pastagens. Mas na verdade o que acontece é que o rebrote das pastagens, nos primeiros 15 dias, possue um teor nutricional muito alto. E um desses nutrientes é energia, ou a gordura”, relata o veterinário da Coamo. Ele diz que o teor de gordura, nesse período inicial de brotação das pastagens, pode chegar a 3%. “E o aparelho digestivo dos animais só consegue metabolizar e digerir 1% de gordura. O restante faz com que haja uma mudança na fermentação intestinal e isso favorece o aparecimento de doenças, como a salmonelose e a enterotoxemia”, revela. Todas, segundo Rossetto, podem levar a mortalidade dos animais.

O criador, na opinião do técnico, deve tomar algumas precauções, sempre de caráter preventivo. A orientação é manter os animais pré-munidos contra as bactérias indesejáveis que poderão se multiplicar se aproveitando da mudança na fermentação intestinal. “A idéia é vacinar os rebanhos nessa época. São vacinas baratas. O custo por dose/animal é quase irrisório”, conclui.

A carne suína e a hipertensão

Certamente, a carne suína não é o único remédio, nem a única solução para as pessoas que sofrem de hipertensão arterial. Mas, ao ler este artigo, certamente você entenderá como ela pode ser uma excelente aliada no controle da enfermidade. 

Quais os principais sintomas da hipertensão arterial? A maioria das pessoas não tem sintomas e a pressão arterial pode subir a faixas perigosas para o organismo, sem que a pessoa note qualquer alteração. É um engano achar que só temos hipertensão se aparecerem os sintomas de dor de cabeça, vertigem e zumbido no ouvido. Por isso, é aconselhável sempre medir a pressão arterial, como medida preventiva.

Quais fatores podem estar relacionados à hipertensão? O problema da hipertensão arterial pode ser agravado em pessoas que apresentam um, ou mais, dos chamados “fatores de risco”: herança familiar, obesidade, consumo excessivo de sal ou álcool, fumantes, estresse emocional, diabetes, vida sedentária, idade mais avançada, altas taxas de colesterol (que podem causar o “entupimento” das artérias) e baixo consumo de potássio e magnésio.

Como controlar o aparecimento da hipertensão? Controle periodicamente sua pressão sanguínea. Deixe de fumar, minimize o uso de álcool, diminua o sal de seus alimentos (ideal, de 2 a 3 gramas por dia), aumente o consumo de alimentos ricos em potássio e magnésio, mantenha seu peso ideal, faça exercícios físicos sob orientação médica e evite a tensão.

Por que a carne suína a mais indicada para pessoas com hipertensão arterial? Como já citado anteriormente, uma das causas da hipertensão arterial, é a ingestão de alimento com alto teor de sódio. Quando comparada às carnes bovina e de frango, a carne suína mostra um menor teor de sódio e com vantagem adicional, o nível mais elevado de potássio.

Dada a importância da relação desses minerais, um alimento é avaliado pela relação sódio: potássio (relação Na:K). Quanto menor a relação, melhor é o alimento, pois isso indica que ele é mais rico em potássio (mineral desejável para os pacientes de hipertensão arterial) e contém menos sódio (mineral indesejável). A carne suína, e em especial o lombo (que é um dos cortes preferidos pelos consumidores), tem a menor relação Na:K, quando comparada à carne de frango e à bovina. Por esses motivos, é a carne mais indicada para pessoas que apresentam problemas de hipertensão arterial.

Porque o potássio é importante para as pessoas hipertensas? Ele é importante, devido ao fato de ser um componente essencial do sistema que regula a quantidade de água e de íons dentro de todas as células que constituem o corpo humano. Este sistema de regulagem denomina-se “bomba sódio:potássio”.

Qual a função da bomba sódio: potássio? Quando uma pessoa come muito sal, ocorre um aumento da quantidade de água nos líquidos extra celulares (sangue e tecidos entre as células) e um aumento da pressão arterial. A conseqüência é uma maior entrada de água nas células, por um fenômeno chamado Osmose. Se não houver um sistema para remover esta água, a célula irá inchando progressivamente, até estourar provocando sua morte). O mecanismo fisiológico para a retirada desta água, e inclusive dos íons produzidos dentro da própria célula, é o sistema “bomba sódio:potássio”.

Vários trabalhos científicos têm comprovado que alimentos mais ricos em potássio contribuem para a diminuição da pressão sanguínea. Portanto tenha uma dieta rica em carne suína e frutas que assim terá uma vida muito saudável. 

Adriano Regiani Pereira, médico veterinário Detec da Coamo em Mamborê. Fonte SUI News – Boletim Técnico para funcionários e clientes da Nutron Alimentos, número 11 – Novembro/Dezembro 2000