Site Coamo
Coamo Agroindustrial Cooperativa | Edição 387 | Serembro de 2009 | Campo Mourão - Paraná

Cooperativismo Social

Os 10 anos do Sescoop no Paraná

Às vésperas do início da primavera de 1999, nascia, no Paraná, o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo, o Sescoop

De uma reunião realizada na sede do Sistema Ocepar, em Curitiba, nascia, no início da primavera de 1999, o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR). Pouco mais de um mês depois foi realizado o primeiro evento: o Seminário e Discussão do Plano de Trabalho do Sescoop, que ocorreu em quatro municípios – Lapa, Mariópolis, Campo Mourão e Cafelândia, e reuniu 242 participantes, em sua maioria dirigentes e técnicos de cooperativas.

Outros nove eventos foram realizados até o fim daquele ano, com o enfoque inicial em fóruns e seminários. “As discussões e os temas abordados, bem como o número considerável de participantes já davam uma ideia do que viria pela frente. Havia uma forte demanda em todas as cooperativas por ações de treinamento e promoção social”, lembra o superintendente da Ocepar, José Roberto Ricken, que trabalhou na estruturação do Sescoop/PR.

Rapidamente, o Sescoop se tornou um instrumento essencial para o desenvolvimento das co-operativas do estado. “Foi uma iniciativa sem precedentes no cooperativismo. De repente, havia uma estrutura voltada totalmente para a formação, promoção social e monitoramento. Uma nova perspectiva se abriu para o setor”, afirma Guntolf van Kaick, dirigente do Sistema Ocepar.

ORGANIZAÇÃO DA ESTRUTURA – O surgimento do Sescoop/PR trouxe inúmeros benefícios ao sistema cooperativista do Estado. A melhoria da gestão, treinamento e promoção social contribuiu de forma decisiva para a expansão do setor no Paraná. “É um trabalho fundamental para que as cooperativas alcancem seus objetivos, desenvolvendo produtos e serviços de qualidade. As ações de formação para colaboradores, cooperados e familiares são estratégicas e imprescindíveis e o Sescoop/PR as realiza com eficiência”, avalia o diretor-presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini.

PLANEJAMENTO – No Sescoop/PR, a palavra-chave é planejamento. Todo o evento, curso ou treinamento precisa ser planejado pela cooperativa com antecedência. “Até o mês de outubro, as demandas das cooperativas para o próximo ano precisam ser enviadas ao Sescoop/PR, que faz a avaliação das ações requisitadas. O que se busca é o diálogo transparente e que atenda da melhor maneira às necessidades do sistema”, explica o superintendente da Ocepar e do Sescoop/PR, José Roberto Ricken.

PROFISSIONALIZAÇÃO – A meta da Gerência de Desenvolvimento Humano (GDH) do Ses-coop/PR, para o ano de 2009, é realizar 3.000 eventos, sendo 700 na área de promoção social e 2.300 na área de formação profissional cooperativista, beneficiando um público total de 100 mil pessoas em mais de 40 mil horas de atividades. “Acreditamos que com o apoio das cooperativas, cujos agentes de Desenvolvimento Humano contribuem de forma significativa para o planejamento e execução das atividades do Sescoop, vamos superar o número de eventos do ano passado, atingindo ou até mesmo ultrapassando a meta proposta para 2009”, projeta o gerente de Desenvolvimento Humano, Leonardo Boesche.