Site Coamo
Coamo Agroindustrial Cooperativa | Edição 429 | Setembro de 2013 | Campo Mourão - Paraná

Investimentos

Coamo sempre perto dos associados

“A Coamo está perto dos seus mais de 26 mil associados e durante os seus 43 anos de existência tem trabalhado forte com o objetivo de ter uma estrutura adequada e ágil para o recebimento da produção dos seus produtores associados. Mas, com as tecnologias e máquinas modernas que tem aumentado as produtividades há necessidade de mais agilidade nas colheitas, por isso é que a diretoria propôs e foram aprovadas a atualização e melhoria nos fluxos de recebimento e beneficiamento, e no aumento na capacidade de armazenagem”, considera o engenheiro agrônomo José Aroldo Gallassini, presidente da Coamo.

O maior percentual do montante a ser investido será direcionado à reforma e ampliação das unidades já em atividade, o que inclui a troca de balanças, máquinas de limpeza, elevadores, aumento da capacidade de secagem, armazenagem, entre outros itens. O presidente da Coamo diz que a cooperativa pretende fazer esses investimento sem comprometer o capital de giro, ou seja, utilizará as linhas do governo federal a longo prazo “o quanto for necessário”.

Segundo Galassini, a capacidade estática da cooperativa – entre reformas e novas unidades – deve aumentar em pelo menos oito milhões de sacas, ou quase 500 mil toneladas. “Antes uma colheitadeira colhia 700 sacas de soja, hoje são quatro mil sacas. Os caminhões que levam a produção à cooperativa também estão maiores e por isso o trabalho de recebimento precisa ser mais rápido. Esta liberação de recursos foi uma exigência e necessidade para os nossos cooperados”, avalia.

Recorde de recebimento

A Coamo deve encerrar o ano com um recebimento de mais de 105 milhões de sacas de produtos colhidos nas safras de verão e inverno, superando o montante de seis milhões de toneladas, entregues nos armazéns da cooperativa em mais de 120 unidades no Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. “Foi a primeira vez em 43 anos que a Coamo ultrapassou a marca de 100 milhões de sacas de produtos agrícolas. Esse montante é próximo dos 20% da produção paranaense. Investimos muito forte na estrutura das unidades e na qualificação dos funcionários para que os nossos associados tenham sempre o melhor atendimento”, assegura.

Segundo o presidente da Coamo, a cooperativa é voltada totalmente para o melhor dos associados, e está junto deles o ano todo. “Esse aumento é para evitarmos aluguel de armazém e remoção de produto na época em que o frete está nas alturas”, afirma Gallassini. O executivo estima que o déficit de armazenagem da cooperativa seja de 38 milhões de sacas. “Nunca vamos ser autossuficientes em armazenagem, e nem seria econômico”, acrescenta.

FALA COOPERADO